Thursday, February 16, 2017

Brazilian Grill Hyannis

Hello Gastronomia
Cai de melhor churrascaria gaúcha de MA para vala comum dos restaurantes
Paulo Monauer
Fotos Paulo Monauer
                O restaurante continua no mesmo lugar, os gaúchos que servem o churrasco continuam pilchados a caráter, o prédio onde funciona já há algum tempo teve melhorais e foi ampliado, o estacionamento foi reformado e tem muito espaço para os clientes.
                O que sempre marcou o Brazilian Grill e o tornou famoso a ponto de inúmeras famílias de Hyannis de americanos e de brasileiros lotarem o estabelecimento diariamente pelos seus ótimos serviços de bufê e rodízio de carnes, inclusive proporcionando e motivando inúmeras outras famílias da grande Boston e toda MA a frequentarem o restaurante, sempre foi o excepcional atendimento e o singular abundante rodízio de carnes. O Brazilian Grill ganhou fama e notoriedade, até abriu outro restaurante em North Darmouth, MA no mesmo estilo, porém não em um prédio tão rústico e afinado com a cultura tradicional gaúcha como o de Hyannis, mas manteve o estilo de rodízio de carnes e atendimento. Pois é, muito disto se perdeu talvez pela falta de zelo, falta do olho dos donos, que entregaram nas mãos de funcionários e gerentes não tão qualificados a zelar pela imagem da casa. A imagem da casa caiu sensivelmente. Resultado deste descaso hoje, o Brazilian Grill afasta clientes e desmotiva outros a voltarem.
                O bufê continua o mesmo, impecável e ótimo, incomparável com qualquer outro restaurante estilo rodízio brasileiro, não tem para ninguém, neste quesito o Brazilian Grill continua o mesmo e podemos dizer que até melhorou se comparado com ele mesmo.
                O que caiu de qualidade no Brazilian Grill a ponto de afastar os clientes:
- Logo no primeiro atendimento, a preferência do atendente da casa é falar inglês, mesmo que ele perceba que os clientes da mesa estão falando português. A língua nativa do restaurante esta sendo podada e parece um pecado falar em português na casa. E quando o atendente é questionado se fala português ele responde com certo descaso; ‘falo um pouquinho’. Mas se o cliente insistir em falar em português ele fala com certo ar de desprezo, mas fala português, como se falar português fosse algo pesado e desagradável para ele, ou como se ele não curtisse um cliente brasileiro.
                -Depois deste fato, logo depois cuidado com água oferecida. Aquele atendente que não curte falar português com brasileiros, vem à mesa e pergunta se você quer água com gás ou sem gás. Todo mundo sabe que a água com gás você tem que pagar, pois a água vem engarrafada, porém em qualquer restaurante água sem gás e uma opção econômica que qualquer cliente pode optar, ou seja, água da torneira, free, de graça. No Brazilian Grill a água sem gás que trazem para você vem em uma garrafa ‘boss’ que não é aberta na sua frente, você não percebe se ela vem lacrada, e servem você sem questioná-lo se você quer aquela água, você até pensa ser uma cortesia da casa. No final da conta vem à cobrança de $5.00 por garrafa de água sem gás que quase ninguém toma uma vez que todos sempre optam por um refrigerante, vinho cerveja, etc. O interessante é que o tal garçom que não curte falar português, não explica que vai cobrar $5.00 ‘paus’ por uma garrafinha de água sem gás, pois se explicasse ninguém iria aceitar, isso é um truque do restaurante para engordar o valor da conta no final.  
                -O rodízio de carnes o ponto mais forte da churrascaria perdeu muita qualidade. As carnes ‘nobres’ continuam a serem servidas, falo do filé mignon, picanha entre outras. Porém a tradição da casa, o zelo de causar uma boa impressão ao começar o rodízio em uma mesa ao trazer aquela enxurrada de opções de carne, sempre na sequência começando pelo salsichão, galinha, etc. perdeu força. Carnes nobres aparecem sempre, salsichão também, porém carne de carneiro, porco, alcatra com queijo, costelão assado, e outros tipos de carnes mais seletivas e trabalhadas que dava um plus surreal a casa e a tornava única acabou, ou se existe é só para alguns clientes, e já não esta mais ao alcance de todos os clientes.
                -Uma novidade é que logo depois da terceira ou quarta rodada de carnes ao ser servida na mesa já vem à pergunta tradicional; ‘qual carne que você quer comer’?  Esta é uma boa pergunta depois da casa oferecer o seu cardápio completo de variedades, mas a pergunta vem logo depois de uma ou duas rodadas de picanha e algum filé mignon. O cliente sai do restaurante sem conhecer a melhor referencia da churrascaria a abundância de opções de carne. Até carne de pato já foi servida por lá, peixe grelhado também, e por ai vai, mas isso é coisa do passado.
                -Outro ponto negativo é que existe uma certa indisposição e falta de carisma de alguns servidores de carne com os clientes, não estou generalizando, tem uns excepcionais, mas outros deixam a desejar, não são tão simpáticos. No quesito de quem serve bebidas e gerencia as mesas parece estar de contra gosto no trabalho, falta o espírito de simpatia, o bom sorriso, o prazer de atender bem seja quem for, mas se você for brasileiro com certeza vai ser descriminado.
                -Um fato importante, ao pagar a conta você deve ficar muito atento, pois deve conferir tudo que estão cobrando de você. Tome cuidado se levar crianças, se as crianças se servirem de um prato somente a casa cobra um rodízio completo de adulto, falta sensibilidade e cuidado da casa com o cliente, neste quesito.
                - Fique atento quando você for reclamar para o gerente de alguns atendimentos precários, ou cobrança indevida, ele diz que vai corrigir o problema e logo oferece a você um cartão de Gift Card por debaixo da mesa para tentar fechar a sua boca (coisa de brasileiro pequeno). O cliente que sai de Boston para ir Hyannis comer não vai lá para ganhar um Gift Card pelo mau atendimento, ele vai atrás de um atendimento que se tronou marca registrada do Brazilin Grill. É aquela coisa de optar entre ir à Churrascaria Fogo de Chão ao ‘lado da sua casa’ para dirigir uma hora até Hyannis, quem faz isso não se importa de pagar $20.00, $30.00, $50.00 dólares a mais na conta, mas quer ser bem atendido, e quer desfrutar do atendimento diferencial da casa, mas isso é no Brazilian Grill é coisa do passado. O Brazilian Grill esta em retrocesso por causa da sua soberba talvez, e ao que tudo indica já virou uma casa para americanos, que não conhecem a nossa cultura e que babam por qualquer atendimento. Fica o alerta o Brazilian Grill está desprezando sua língua nativa, sua origem, e seus clientes brasileiros. Será que pela aquela velha história de que brasileiro não curte dar gorjeta?
                -Ok, vamos ao ponto, a tal da gorjeta, existe uma obsessão com ela na casa. Primeiro ela vem embutida na conta principal como se fosse parte da conta, não dando opção de o cliente optar em dar o quanto ele quer de gorjeta. Isso é ilegal em qualquer estabelecimento em MA, colocar a gorjeta como se fosse parte da conta. Pois bem, não Brazilian Grill a regra é outra, a gorjeta vem conta incluída e você não pode pagar menos do que vem estipulado no total da conta, o garçom não aceita um pagamento menor, diz que a conta não fechou o total cobrado. Uma soberba sem precedentes, a casa realmente tomou rumos adversos e perde credibilidade no conceito de respeito ao cliente. Isso quando o total da conta não vem com 40% de gorjeta agregada a conta, com uma assinatura de ‘Obrigado’ embaixo. Se você não ficar esperto paga, pois confia no tal garçom e na casa.
                -O conjunto de tudo isso, tem refletido na frequência da casa, onde sempre era uma luta para se conseguir uma mesa, hoje não se preocupe você pode ir lá com calma e se sempre vai ter uma mesa para você. Casa cheia é coisa do passado.

                -O inacreditável é que os donos continuam os mesmos, nada mudou, não existe uma nova administração, porém como se diz lá no sul, ‘o olhar do dono é que engorda o gado’, neste caso o dono desconhece este ditado e esta perdendo muito, pois o gado esta emagrecendo e se continuar não vai sair da vala comum que é o lugar onde o Brazilian Grill está hoje. Uma pena!

Thursday, February 2, 2017

Efeito Trump na nossa comunidade em Boston

Paulo Monauer
www.facebook.com/hellobrazilnews
                Não tem como falar da política mundial dos EUA, sendo um imigrante residente legal ou ilegal que vive aqui na grande Boston, a nossa visão e versão dos fatos como morador de Boston sem duvida é diferenciada daquele que vive fora dos EUA, ou em outros estados americanos. O Trump esta fazendo um barulho no mundo, mas o que está realmente afetando o nosso dia a dia aqui em Boston?
                Nós brasileiros da comunidade de Boston, conhecemos a nossa realidade na América de dentro para fora, aqui no nosso mundinho comunitário, nossa realidade é vivida dia após dia.
                Um fato! Não temos carteiras de motorista para ilegais. Os ilegais dirigem no tranco há anos. Nem vamos ter. Quem é responsável por esta negativa dos ilegais dirigirem há mais de 20 anos em Boston? São os políticos Democratas de MA, que há mais de 20 anos tem mais de 90% das cadeiras entre os deputados e senadores no estado. Que fique claro, hoje temos um governador Republicano em MA, mas este homem não tem e nunca terá responsabilidade nenhuma sobre a negativa de uma carteira de motoristas para ilegais no estado de MA, enquanto não chegar uma lei em suas mãos aprovadas pelos políticos Democratas de MA para que os ilegais possam dirigir. Volto a lembrar nos últimos 20 anos os Democratas nunca consolidaram uma lei para os imigrantes ilegais dirigirem, logo falar que o governador vai vetar o que nunca existiu (e acho que nem vai existir), e conversinha de ONG ou ativistas que não tem o que fazer. Alias esta gente não tem o que fazer há anos. Olha, bota uma lei na mesa do homem (governador) para ele vetar. Ok! Caso ele vetar realmente (repito, eu não acredito nisto) e se ele vetar, a lei volta para os políticos Democratas do estado que como disse tem 90% das cadeiras das duas casas de MA e podem com facilidade derrubam o veto do governador, volto a frisar caso ele vete. O resto que se fala sobre carteiras de motorista por ai é só gente que vive procurando se promover nas costas dos imigrantes ilegais.
                Cidades Santuárias, oficialmente tem 6 em MA e 400 nos EUA. Resumindo, as cidades não precisam necessariamente neste momento critico se declararem santuárias (protetora dos imigrantes), ela só precisam divulgar que a policia da cidade não vai reter imigrantes e entregá-los para imigração caso eles infrinjam uma lei menor (exemplo; dirigir sem carteira) ao serem abordados pela policia da cidade. Um exemplo prático disto é a cidade de Everett ao lado de Boston. Não é uma cidade declaradamente santuária, mas o Prefeito DeMaria declara abertamente aos quatro ventos, que os residentes imigrantes ilegais da cidade não vão sofrer pressão da policia local cidade a favor da imigração. E quem não se sentir seguro na cidade pode buscar abrigo ou conselho indo pessoalmente no seu gabinete do prefeito.
                Fato positivo e de efeito. O prefeito de Boston, soltou o verbo a favor dos imigrantes, na maior cidade do estado, com peso agregado de ser a capital de Massachusetts. ‘Aqui imigrante tem vez e proteção’, disse o prefeito. Bonito o manifesto e o ato político. Isso que é prefeito não fica em cima do muro, na hora que precisa, solta o verbo sem medo desde ou daquele, nossa comunidade adorou ver o prefeito em todas as mídias americanas defendendo os ilegais. Este merece nosso apoio e reconhecimento eterno.
                Foto negativo! Quanto ao prefeito de Revere, que foi nossa pauta dias atrás aqui no Hello. Este não é confiável, é um vaselina, escorregadio. Primeiro vai para um jornalzinho local americano de circulação na sua cidade de Revere e arredores e faz uma média com seu eleitorado ao declarar em manchete de capa do jornalzinho, “Revere não vai ser uma cidade santuária”. No mínimo este prefeito ou é muito incompetente politicamente, ou se acha esperto demais para imaginar que ninguém liga o que ele diz referente aos imigrantes ilegais que vivem por opção própria na sua cidade. Você leitor precisa saber e a redação do Hello zela pala nossa comunidade, e não faz políticas de conchavos por isso reproduzimos as palavras do prefeito em nossa matéria. Se o tal prefeito falou e virou manchete na mídia, nos estamos aqui para ecoar suas palavras. Se Revere não vai ser uma cidade que não vai dar guarida para imigrantes ilegais que livremente optaram por viver lá, então reiteramos nosso alerta, SE VOCÊ É ILEGAL, FIQUE LOGE DA CIDADE DE REVERE.
                Falamos em nossa matéria de Revere sobre alguns comércios brasileiros que existem na cidade de Revere, na verdade conhecidamente, temos uma loja de carros, um mercadinho e escritório de despachante prestador de serviços. Este escritório de despachante veio a publico defender o tal prefeito. Pois bem, este escritório não tem boas referencias na nossa comunidade brasileira e nem moral para defender o tal prefeito, ele esta olhando para seu próprio umbigo, pensando no seu faturamento e não na comunidade. Esta lojinha de despachante deveria se unir ao Hello, aos ilegais e não tentar reverter um fato, no caso a entrevista do prefeito na mídia americana. Isso mostra o elo e o vinculo que este escritório tem com a nossa comunidade. E eu respondo: Nenhum! Aquela história de comunidade burra e manipulada já era, não nos dias de hoje. Na verdade tentar defender o prefeito neste caso é uma vergonha para quem tentar falar por ele. Por que será que este escritoriozinho quer proteger um prefeito escorregadio em detrimento de uma comunidade inteira? Cuidado, tem muita gente que se diz nossa gente, porém trabalha e age contra a gente comunidade em favor dos seus próprios interesses financeiros.
                Força comunitária! Volto a frisar para você brasileiro imigrante ilegal ou legal: Se você tem uma chance de escolher entre viver em Revere em outro lugar, escolha outro. Se você tem uma chance de escolher onde montar um negócio não monte em Revere. Se você tem uma chance de comprar algo em Revere ou em outro lugar, compre em outro lugar. Se você tem uma chance de escolher uma praia para ir, não vá a Revere. Não compre casa em Revere, não alugue casa em Revere, não circule em Revere, não gaste um centavo em Revere. Este tal prefeito que dá declarações anti-imigrantes na mídia e depois se diz arrependido precisa conhecer a força dos imigrantes brasileiros, precisamos nos fazer respeitar. O Hello não inventou as declarações do tal prefeito afinal foi ele que foi para mídia dizer que Revere não vai ser uma cidade santuária. Este é o tipo de coisa que um político barriga fria faz, não pensa e solta verbo, e o pior, sempre faz na hora errada. E você brasileiro ilegal vai continuar em Revere? Vai pagar para ver? Depois não reclama. A dica está na mesa. Boa sorte!