Friday, October 28, 2016

Depressão ou loucura?

 Não tenho formação médica, tenho a prática de vida com meu corpo e com situações familiares, e tenho certeza que disso todo mundo tem um pouco, afinal esta é a vida.  Dizem as boas línguas e um chavão popular que de depressão e loucura todo mundo tem um pouco.
Depressão é um sintoma físico ou mental, ou ambos? Loucura com certeza é um sintoma mental. Alguém com depressão não é necessariamente um louco, um louco tem problemas mentais bem definidos e não consegue ter uma sã consciência dos fatos, um depressivo por sua vez sim, apesar de que pode acontecer que as  vezes ele se ache incapaz de vencer seus problemas e momentaneamente perder a sua lucidez.
Tem algumas pessoas que gostam de fazer comparações com problemas físicos e problemas mentais. Acham que a saúde da mente tem que ser cuidada tão a priori como a saúde física. Concordo quando for o caso. A diferença da saúde física é que ela pode ser diagnosticada com precisão já a saúde mental é uma questão de interpretação de alguém, não é precisa.
Posso explicar meu ponto de vista. Na questão da saúde física ela pode ser diagnostica de uma forma exata, como por exemplo; você tem pressão baixa, o coração esta fraco, o rim esta com problema, seu fígado não funciona, seu pulmão está bichado, você não esta enxergando, etc. e etc. Para ter um diagnostico preciso destas e outras doenças você só  precisa fazer um exame que vai comprovar se esta doente e precisa de um tratamento.
Na suade mental; se você nasceu vegetativo, você não tem controle sobre você mesmo é violento, agressivo, é um risco para qualquer pessoa, etc. etc. você facilmente pode ser diagnosticado como uma pessoa com problemas mentais, pelo fator visual e de atitude. Não existe uma máquina ou resultado de laboratório que realmente atesta que você é um louco, ou deficiente mental, neste caso o médico é quem dá o parecer.
                Um derivado dos problemas mentais no ponto de vista dos médicos é o ‘fator depressivo’, porém um depressivo não é um louco, um ser vegetativo, apesar de que um não elimina o outro, pode ter um louco comprovadamente que tem problemas de depressão, assim como pode um depressivo ser louco.
Um depressivo pode vir a ficar louco. Falo de depressão ‘aguda’ até por que todo mundo como disse antes, tem sintomas de depressão constantemente e a maioria das pessoas dominam bem isso. Quem tem uma depressão mais ‘aguda’ às vezes necessita de ajuda.
A medicina moderna tem remédios para depressão, pois eles já conseguem mapear o celebro, e fizeram drogas para diferentes partes da cabeça. A medicina moderna também já sabe entre outras coisas onde se localiza no celebro a parte da felicidade e a parte da tristeza de um ser humano. Comprovadamente felicidade e tristeza são as chaves da depressão de acordo com os médicos, tudo começa por ai, dizem eles.
Olha, daí a humanidade inventou as drogas para aumentar e diminuir a felicidade de um sujeito, ou para equilibrar a tristeza do cara. Mas eles desconhecem as dosagens certas para neutralizar uma falta de felicidade ou excesso de tristeza.  Eles (médicos) avaliam o quadro clinico de um sujeito depressivo na conversa, no olho a olho.  A cabeça do médico é que dá o diagnóstico, o quadro clínico do depressivo e a dosagem do remédio. Amigo, é ai que mora o perigo. Você confia de olhos fechado neste tal medico a ponto de acreditar fielmente que ele tem um parecer preciso sobre você ou seu estado depressivo? Hummm
Outro fato que mexe com a minha cabeça; Um depressivo não é um louco, mas para os médicos ele é tratado como tal. Explico; Já visitei pessoas depressivas enquanto internadas para tratamento no hospital, sabe onde elas estavam internadas? No manicômio! Na verdade junto com um bando de loucos, todas trancadas como se fosse dentro de um presídio de segurança máxima. Como alguém depressivo pode conseguir alcançar o controle da sua depressão em um ambiente destes. É uma situação deprimente demais para levantar o astral de qualquer um. O pior da internação; os remedidos que dão para os depressivos são remédios que deixam o depressivo vegetativo, piradão ao extremo.  A pessoa é depressiva ou doida? Os médicos precisam se definir, e abrir mais alas em hospitais distintas para um e para outro, por que hoje para eles os loucos e os depressivos são tudo farinha do mesmo saco e vai para internação no mesmo ambiente, na mesma ala.
Os depressivos normais, não estão no foco dos médicos, me refiro àqueles depressivos que vão e voltam de uma depressão numa boa, mas o foco dos médicos, entidades e ativistas do ramo são os depressivos suicidas, que pensam em terminar com a sua própria vida para resolver suas dificuldades e para parar de ser um peso para outras pessoas, entre elas seus familiares. Na verdade os ativistas e médicos e afins querem estancar o suicídio, que é o maior índice de mortalidade nos EUA hoje. 
O  melhor antídoto que os médicos ensinam para evitar que um potencial suicida chegue às vias de fato é; se você perceber uma atitude estranha, chame uma ambulância pelo 911, reporte que você diagnosticou que tem um potencial suicidada na sua casa. Eles vão vir e levar ele para o hospital e cuidar dele. Isso em um caso extremo.
Contudo ainda acho tudo isso muito bizarro. Primeiro levar alguém para um médico caso ela não queira ir, não vai ajudar em nada na depressão. Um depressivo primeiro tem que querer ser ajudado, e é ai mora o perigo. Tem muita gente sendo forçada a ir a um médico, a tomar remédios que deixam elas totalmente vegetativas. Olha tem pais mais problemáticos e doentios que os próprios filhos, por que forçam o filho a isso. O pior é internar um filho que ‘supostamente tem uma depressão’ em um manicômio qualquer e forçar ele a tomar remédios fortes que acabam que a mente de qualquer pessoa.
E para finalizar tem a tal da bipolaridade, que todo mundo diz ter, esta tal bipolaridade se agregou a depressão no mundo moderno. No intuito de salvar vidas, médicos e ativistas mentais se juntam para dar palestras e valorizar a doença do século como eles chamam a tal de depressão. Será que eles estão certos?
E antes que você diga que estou viajando tenho na minha família alguns parentes e filhos depressivos e bipolares, logo conheço o tema.    
A melhor coisa a fazer com um depressivo volto a frisar, e não achar que ele é um louco, você pode ter certeza que ele não é, trate ele como um depressivo. E para complementar nunca deixar um dos seus se for depressivo ser internado em um manicômio, por que o que vai acontecer é que ele é que ele pode vir a ficar louco, e ai não tem mais volta.
Para acalmar os ânimos no meu tempo de garoto se dizia, toma o teu ‘Gardenal’ antes de sair de casa e tudo se resolve.


Boa semana!

O toque de ‘Midas’ na vida de milhares de brasileiros aqui nos EUA tem nome ‘Cleaning Services’

Empresarial
Tem muitos brasileiros que curtem uma franquia de limpeza e assim compram e montam seus roteiros e contratos. Estes empregam muita gente na comunidade, e ganham muito dinheiro, para estes pequenos empresários, e nem todos são tão pequenos assim, pois tem alguns que faturam mais $1 milhão por ano bruto. É muito dinheiro, porem quando você procura ver as despesas, as dores de cabeça, a troca da noite pelo dia para trabalhar, as reclamações e luta para cobrir funcionários que faltam, etc., etc., às vezes agregado a tudo isso uma margem de lucro muito pequena, etc., etc., tem gente que corre do ramo. Mas vamos aos fatos. Nossa comunidade gosta da coisa, e a maioria dos empresários brasileiros que trabalham no ramo de limpeza empresarial, aprenderam com alguém, e muitas vezes este alguém é outro brasileiro. Nossa comunidade prolifera e só cresce e fatura muito. Apesar das despesas e dores de cabeça a grana que rola e sobra é alta, a turma deste nicho de mercado vive bem, gasta bem, curte bem, e rala muito. Não é a toa que sempre tem espaço para mais um novo empreendedor no ramo, e o mercado só cresce.
Residencial
Não é muito diferente da limpeza empresarial, a sequência é mesma, porem a limpeza é feita normalmente durante o dia o empresarial normalmente à noite. Uns aprendem com os outros, começam como funcionárias e depois chegam a ser donos (as) de um roteiro de casas diárias, com uma, duas, três, cinco etc., e com equipes que se dispersam durante o dia uma para cada lado, com tarefas múltiplas, algumas limpam; 4, 5, 6, até 7 casas por dia. Em media cada casa ‘por baixo’ dá faturar em torno de $100.00 dólares, umas mais baratas e outras mais caras, depende do tamanho da casa. Este setor emprega muita gente, e grande maioria ganha em dinheiro (Cash), o que difere do serviço empresarial de limpeza, que na grande maioria paga com contracheque. O dinheiro que rola por semana neste mercado que nunca sofre baixa ou crise, só aumenta, é forte. Na verdade tendo qualidade na prestação do serviço a tendência é só aumentar o faturamento, pois uma cliente indica outra. Têm brasileiras e brasileiros (tem muitos homens limpando casas residenciais) nas nuvens que com este trabalho, faturam em media mais de $500 mil por ano. A coisa é super segura e de cheques de $80, $90, $100 dólares de cada casa no final do dia o bolso engorda e é só depositar na conta, o serviço é avista e pago na hora, não existe fiado.
Facilidades
O tal do papel toalha, a falta de um ralo no banheiro, e a tática de visualização da limpeza, pega bem, o cliente chega em casa e vê as coisas limpinhas e arrumadas, se sente aliviado, e ao mesmo tempo desmotivado a limpar sozinho, pois tem sempre alguém que vai vir e dar um jeito na casa dele, logo, ele não perde tempo com isso e curte mais seu horário livre. Se a limpeza incluir, limpar geladeira, vidros, janelas, armários, portas e paredes, arrumar camas, lavar e passar roupa, etc. o preço muda, pois o serviço de limpeza é mais superficial e não incluem estes detalhes, ou seja, a turma fatura mais se tiver que limpar mais. O Serviço de limpeza, apesar de superficial em alguns casos, é pesado e dá trabalho, mas vale à pena. Olha, só para dar uma idéia da coisa, quem tem 4 ou 5 casas por dia, 5 dias por semana (segunda a sexta), fatura no mínimo $1.500 dólares por semana. E tem gente que trabalha sozinha fazendo com uma quantidade de casas pequenas como esta. Ou seja, ganha no mínimo $6 mil dólares por mês, exagerando um pouco nas despesas com produtos e gasolina que seria o custo do serviço, sobra mais de $5 mil por mês. A coisa é boa e dá trabalho sim, não é moleza não, mas fatura bem sim.
O mercado
Tem muita gente que tem uma franquia empresarial, e acaba por uma razão ou outra vendendo, no mercado de casas, tem muita gente que depois de faturar muito no ramo, acaba vendendo o seu roteiro de casas semanais também, e assim o mercado se ajusta, move a economia, uns entram outros saem, e muitos voltam depois de ter saído. O giro é grande e sempre se pode achar um bom negócio para quem quer pegar o barco circulando e faturando.
A novidade no faturamento

O mercado residencial de limpeza antigamente era difícil de entrar, pois este é um serviço de credibilidade, afinal você vai entrar na casa do cliente, mexer nas coisas deles, ou melhor, limpar a casa dele, vai de alguma forma entrar na privacidade do cliente. E este mercado era mais restrito, pois 99% dos clientes eram americanos. Hoje o mercado começa e se movimentar diferente, tem uma nova gama de etnias de clientes que querem que limpe suas casas também, e entre eles muitos brasileiros. Ou seja, tem milhares de brasileiros que pagam assim como os americanos para limparem suas casas. Tem uma diferença entre os brasileiros, são mais exigentes querem um serviço mais bem feito, não tão superficial, com maior qualidade, talvez por uma questão de cultura, coisa que muitos americanos não cobram. E isso tem proporcionado uma troca de prestadores de serviços no campo dos brasileiros que se não gostam do serviço acabam dispensando a turma da limpeza para contratar outra. Tem muitos brasileiros que querem contratar alguém para limpar sua casa e às vezes ficam restritos a uma indicação ou outra, o que muitas vezes não funciona. Publicidade cai bem para quem limpa casa e não é uma coisa ruim não. Com certeza dá resultado e olha o valor gasto pode ser batido no imposto de rende, logo você não perde nunca. Hoje o mercado permite você ter roteiro diário de casas, somente entre casas de brasileiros, só não viu isso quem não quer, ou quem prefere ficar sonhando somente com os americanos e não aumentar seu leque de clientes.

Exclusivo do Hello para você! Vem comigo por algumas horas

Lavei o carro, dei uma boa limpada por dentro e fui para as ruas, brincar com os aplicativos que permitem você dar uma de taxista em Boston.  Comecei a coisa com um garotinho de no máximo 12 anos, que ao chegar para pega-lo, logo disse; ‘Posso mover o banco para trás um pouco e sentar na frente’, olhei para o garoto e mandei ver; ‘Não acho melhor você sentar atrás’. O garoto nem reclamou e foi para o banco de trás e logo ao entrar no carro disse ‘Nice Car’, agradeci. Logo ali na frente uma peguei uma menina de no máximo 15 anos, dei uma furada no caminho que levaria para sua casa e prontamente ela me corrigiu e lá estava eu no caminho certo. Logo depois peguei um homem trabalhador, suas roupas era de trabalho, mas ele queria falar, conversar. Seu bafo erra horrível, a primeira coisa que fiz abrir mais o vidro do carro. Nesta altura já estava longe do movimento rotineiro de pegar clientes, Boston, ou seja, do grande centro, estava enfiado em um bairro qualquer a 30 minutos do foco de muitos clientes. Mesmo assim dei sorte peguei outro cliente, fui parar em Peabody. Ual $25.00 em uma só corrida! De repente lá estava eu na Rota 1 no terminal de ônibus. Uma mulher sozinha, com boa aprencia, no meio de um breu danado sentada em um banco, com uma pequena mala, morrendo de medo. Logo me disse; ‘Hei obrigado por me pegar, estava com muito medo ali sozinha, sou da Califórnia era suposto alguém vir me pegar aqui e não veio’, conversa vai conversa vem ela ficou em Danver no Double Tree Hotel. E lá estava eu mais longe ainda de onde eu poderia pegar bastante clientes, pensava comigo mesmo. Porém fui solicitado novamente para ir a Peabody, em uma tal Rua pequena do tipo ‘Ln’. Era uma noite fechada, quando chequei perto da tal rua me deparei com um bosque estranho que tinha umas pequenas ruas que permitiam um carro passar, se tivesse dois carros andando um teria que parar, me enfiei no mato ao mesmo tempo em que dizia para mim mesmo, se estou aqui vou até o fim, afinal o GPS esta funcionando. Confesso a rua era macabra, e o coração batia forte, acho que era medo mesmo. Chequei na tal ‘Ln’ uma rua apertada à vegetação quase batia nas portas do carro, mas tinha asfalto na rua, vi uma pequena caixa de correio e uma casa com uma luz lá meio do mato, pensei ter chegado, mas não era meu destino, fui em frente naquela ruazinha, coloquei o farol alto, e logo ali na frente um homem parado na beira da rua com um casaco do exercito tipo aqueles de camuflagem, o cara era meio magro alto, eu não sabia o que fazer, e disse para mim mesmo não vou parar, passei pelo sujeito e nem dei bola, logo ali na frente a menos de 50 metros era o fim da rua, e tinha uma trila de terra batida que entrava mato adentro. Pensei rápido preciso fazer a volta, e fiz com uma maestria e rapidez invejável de quem estava tremendamente apavorado. Quando posicionei o carro para voltar naquela rua estreita, o homem estava ali do outro lado da rua me esperando com o telefone no ouvido, tenso fui devagar e parei o carro para o homem entrar no meio do mato, no meio do nada, escuro e sem uma alma por perto, sem luz, sem nada. Ele entrou e levei o sujeito no centro de Peabody, no meio do caminho ele pediu desculpa pela escuridão do local e disse que vivia ali. Quando sai do tal bosque e vi a civilização me senti mais confortável. Logo depois, peguei mais um passageiro até Saugus, e depois Somerville e voltei à zona de conforto perto do centro de Boston. Logo depois peguei  duas meninas em uma das muitas faculdades que tem Boston, e logo que entraram no carro uma falou comigo; ‘Estou muito feliz minha amiga aqui esta de aniversário hoje’.  Cumprimentei a aniversariante e segui prestando atenção no trafico, mas percebi que elas pulavam moderadamente no carro e se abraçavam estavam radiantes e felizes, fizeram um vídeo uma dando os parabéns para outra. Tudo isso não faz parte do meu contexto diário, uma coisa incomum para o meu dia a dia. Contudo tive mais e mais experiências neste dia e não demorou muito lá estava eu com um novo passageiro. Minha experiência no ramo de taxista nas horas vagas foi pra lá de divertida, cheia de emoções, e tive muitas outras que não tenho espaço para e nem tempo para contar aqui. Sabe de uma coisa quando fui embora percebi que tinha faturado $280 dólares. Nada mal para 5hs e meia de trabalho, gastei uns $10 dólares de gasolina. Acho que vou brincar mais de taxista nas horas vagas.    

Boa semana!

Hillary a democrata que vive de promessas e pouco faz. Donald o republicano rico que desconhece o seu entorno e o mundo

Hillary, democrata, experiente na política mundial e local, tem carreira política, esposa de ex-presidente, etc... ela tem todos os pré-requisitos para chegar ao topo do poder americano, e no meu ponto de vista vai ganhar as eleições. Porém nos debates na TV como o que aconteceu neste último domingo mediado pela CNN, desnuda os candidatos. Ela é fraca. Digo por que! Ela não me convence, não me dá segurança, e no meu ponto de vista significa a mesmice do Obama.  Sou legal nos EUA, mas tenho sangue e coração de imigrante ilegal, penso como tal, e procuro ver os benefícios que ela promete trazer para a categorial que eu defendo e prezo a dos indocumentado. Ela não vai mudar nada para minha classe de desafortunados, acho que ela faz muitas promessas, como Obama fez, e assim como Obama acho que ela vai ser uma presidente tipo a Dilma, ‘não fede nem cheira’ no que diz respeito a imigrantes. Oxalá eu esteja redondamente errado, e se estiver darei meu braço a torcer. Mas sinceramente só ter a bandeira de democrata, só o fato de ser esposa do Bill, não rola. Ela pisou na bola com algumas coisas e isso esta sendo muito usado pelo Trump, e ele tem razão, ela realmente pisou mesmo na bola, no caso dos e-mails, etc. A postura dela no debate no ultimo domingo assim como primeiro de ficar sorrindo a toa, mostra um certo desconforto e nervosismo no debate. Lembro-me do Obama ao assumir a casa branca, não conseguia emplacar um secretário se quer, muitos que ele indicou não passou pelo crivo do congresso. Lembro-me da luta que foi para ele aumentar seu orçamento para poder ter dinheiro para fazer o país andar, a luta que foi para o Obama Care ser aprovado, o descaso com os imigrantes no seu primeiro mandato. Ele não fez nada a favor da classe que adotei como sendo minha, os ilegais, tinha outras prioridades que vinham primeiro. No segundo mandato, quase que o país para novamente por falta de verbas orçamentárias, sem falar na perda de comando nas duas casas dos políticos em WDC, e a na sua tentativa de recuperar uma promessa de campanha ao apagar das luzes do seu mandato atreves dos tais canetaços para dar um alento para os imigrantes caiu por terra. Pouco ou quase nada funcionou no que se refere a imigrantes ilegais no seu governo, e nem vamos falar que ele é o presidente que mais deportou imigrantes ilegais da historia deste país, e mesmo assim, ele como um bom político leva muitos imigrantes no bico, que acreditam que ele fez um bom governo para a nossa classe de ilegais. Como será com a Hillary? Ela joga no mesmo time, usa a mesma camiseta, segue o mesmo padrão do Obama, logo o que você espera dela? Algo melhor do que o Obama fez para ilegais? Seja realista e o que vir a mais é lucro. E melhor pensar assim que ela se for eleita pouco ou nada vai fazer, afinal talvez ela não tenha a maioria dos políticos em WDC, mas ela tiver acredito que vai ser como foi com Obama, imigrantes vão para fim da fila se der para fazer algo ok, se não der, pelo menos ela vai dizer como o Obama: ‘eu tentei’. Não se engane, ou se deixe enganar.
Donald, rico, vaidoso, soberbo, autoritário mostrou o lado rico do poder americano para o mundo. Ele paga pouco ou quase nada de imposto, logo contribui pouco para o país se desenvolver, mais leva vantagens do que propicia algo para os EUA. Esta face que ele mostra para os americanos em geral e no mundo, é odiada pela maioria dos republicanos que não o apóiam. O cara não tem plano de governo, não tem tática de ação, e acredita que o EUA e um grande banco do mundo e que ele como presidente vai mudar a direção dos EUA. Ele é um egocêntrico que acredita que o mundo gira em torno dele, com certeza ele não assiste TV, não vem um noticiário, não lê um jornal, por que estas coisas estão muito abaixo dele e pouco podem ajudá-lo no seu dia a dia. O seu mudo começa a partir dele, e todo mundo tem que segui-lo, e um ‘charope’ e arrogante ao extremo. Mas pode ganhar as eleições sim, ele é a zebra que ninguém acredita, oxalá não aconteça, mas repito pode acontecer.
Quem vota nos EUA os números não mentem
A maioria dos americanos não esta nem ai para eleição do seu presidente. Isso é uma realidade constante. Na última eleição para presidente os EUA 2012 onde Obama ganhou do Rommey os EUA tinha uma média de 325 milhões de habitantes hoje o numero é maior. Destes somente 120 milhões votaram no país todo, ou seja, mais de 205 milhões de americanos não votaram e nem querem saber de política. O Obama se tornou presidente com 65.9 milhões de votos e o Rommey perdeu para ele com 60.9 milhões de votos, depois ainda teve o tal de colégio eleitoral que foi e é um fator decisivo para eleger um presidente. Contudo quero somente me apegar no numero total de americanos que vão às urnas para escolher seu presidente, no máximo $120 milhões de americanos e repito em um universo de quase 350 milhões de americanos, pessoal isso é uma realidade de primeiro mundo.  Somente 34% da população americana votaram em 2014, 66% da população não se preocupou com isso. E aqui em Boston algumas ONGs brasileiras jogam uma responsabilidade absurda nos imigrantes para votarem. Uma utopia para quem desconhece os números, e vive de percentuais, ou achando que pode mudar o mundo com seu voto. Votar é importante, é um ato político que precisa ser conquistado pelo candidato, e ai sim, se você sentir firmeza que o pessoal dá valor ao seu voto, vai e vote. Os americanos em geral já descobriram que o político aqui tem que andar na linha ou vai para cadeia, e se colocar o país em um buraco ele perde a vaga rapidinho, antes do fim do mandato. Não vai ser diferente nesta eleição da Hillary e Donald, porém aposto em um percentual de 20% da população que via as urnas votar e digo por que; Esta disputa da Hillary com Donald esta de tão baixo nível, cultural, social e político, que eu acredito que o percentual realmente caia para 20%, ou seja, os mesmos 120 milhões no total de votos, e eu não estou viajando não, e só olhar a realidade americana de total de votos nas ultimas eleições. Volto a reafirmar Hillary ganha fácil do louco, mas inteligente Trump, mas repito não espere muito dela como imigrante ilegal não, e não vai atrás destas ONGs brasileiras que ganham dinheiro de partido político para fazer campanha velada para este ou aquele candidato, tenha sua própria opinião isso é muito importante. “Não seja uma Maria vai com as outras!”

Boa semana! 

A falsa ilusão financeira da legalização

Tem muita gente que sonha em se legalizar nos EUA, na verdade este é um sonho eterno, pois por mais que abram leis, ou fechem leis de legalização, sempre vai ter gente chegando e sempre vai ter gente sonhando quando vai chegar a sua vez de se legalizar.
Na verdade nossa comunidade local de Boston, já conta com um numero de cidadãos americanos imensurável. Dizem os que acreditam entenderem de números, mas jamais mostram suas fontes de pesquisas de tais dados, que somos mais ou menos uns 350 mil brasileiros aqui em Massachusetts. Pois bem na falta de um dado convincente adotamos este numero como parâmetro de quantidade de nossa comunidade, até por inexiste nenhuma opção mais fidedigna.
Na verdade houve alguém aqui na comunidade, este alguém se chama  Álvaro Lima que se diz estudioso da comunidade brasileira de Boston, e até lançou um livro estatístico com números da nossa comunidade, ele diz ter juntado uns números, e diz ter cruzamentos de dados, etc. Porém fui testemunha de como o seu livro foi impresso e em que circunstâncias, só para refrescar a memória de quem não tem conhecimento do caso, o dono dos manuscritos de dados da comunidade (Álvaro), tinha um apanhado de dados de fontes desconhecidas, e queria fazer um livro com isso, não tinha recursos para fazer a impressão e nem como compilar estas informações em um esquema didático de leitura, precisava de ajuda. Os manuscritos já estavam em seu ‘colo’ há algum tempo, na verdade meio adormecido. Caiu do céu um ‘Press Award’ da Flórida na sua vida que precisa de uma pegada boa para evento anual daquele ano. Na verdade o pessoal ‘Focus’ já conhecia o Álvaro e ficaram sabendo dos manuscritos dele e deram uma ajuda meteórica para o  ‘escritor Álvaro’. A liderança do ‘Press Award’ providenciou alguém a toque de caixa que editou, e organizou os dados, e também acharam um patrocinador para imprimir o livro (Dish Network), e em menos de 30 dias, o material estava pronto, e naquele ano no ‘Press Award’ o lançamento do livro e o seu autor (Álvaro Lima) foram uns dos ancoras do evento.  O homem daqui de Boston ficou famoso na América inteira por ter escrito o livro que contava o numero dos imigrantes brasileiros e até hoje  ele tira vantagens deste fato. O resto à comunidade já sabe. Logo não existem dados reais, verdadeiros sobre números de quanto nos somos na nossa comunidade.
Vamos voltar ao tema, na verdade dentro do sonho da legalização entre os brasileiros tem algumas coisas que funcionam como parâmetros de motivação como:
Aprender o inglês! – Ok, isso é uma realidade, mas às vezes tem pouco efeito no cotidiano profissional, pouco muda no fator financeiro, falo de valor nominal em espécie, dólar no bolso. Mas confesso que é ótimo para comunicação. Não vamos nos enganar, por que quem não quiser se aprofundar no inglês como segunda língua, não precisa, vive com o básico uma vida inteira aqui em Boston se dando muito bem. O estado de Massachusetts oferece tradutor para tudo que você precisa quase todas as empresas americanas que você usar vai oferecer um tradutor em português. Você já se perguntou por quê? Por que todo mundo ganha dinheiro com a nossa comunidade e como todos as outras etinias de imigrantes, e o imigrante legal e ilegal mexem com a economia do estado como um todo, ou seja, consomem, gasta dinheiro e isso é fundamental para o crescimento do estado e das empresas, logo ninguém quer perder esta fatia do mercado.
 Sendo legal e saindo da ilegalidade, falando um bom ou razoável inglês vou ganhar mais, vou trabalhar em empregos mais bem remunerados? – OK, faz sentido. Agora vamos para pratica. Tem muitos e falo de milhares de brasileiros legais, digo com o ‘Green Card’ ou com a cidadania americana, destes 95% não conseguem tornar suas ambições de acomodamento dentro do mercado de trabalho e da sociedade americana. Depois do imigrante estar legalizado ele não passa a ganhar mais por hora trabalhada, não consegue um tão bom emprego assim a ponto de fazer muita diferença do que ganhava como ilegal. Ele até pode falar um bom inglês, ter documento, hummm, mas a colocação profissional e fraca, o dinheiro é igual ou menor ainda, e muitas vezes o ‘novo documentado’ só consegue um emprego no meio americano por que fala uma segunda língua, o português, e a empresa que atingir os brasileiros precisa da contratação deste profissional, ai tudo faz tem sentido, fora isso ele iria sobrar no mercado americano. Existem umas raras exceções, mas nada mais do que isso.  
Um brasileiro que chegou criança aqui nos EUA, tem um ‘curso de vida’  um pouquinho diferente, anda melhor, fala melhor, resolve seus problemas melhor, mas só isso, pois ele é descriminado igual como sendo um imigrante, seja as circunstancia que for, mas nada disto (discriminação) e abertamente, ela é sempre velada.
Uma formação universitária aqui, é um empurrão sim, mas às vezes no bolso não representa muita coisa. Você continua sendo um imigrante, quer queira quer não.
Procurando uma solução como; casar com um americano ou americana, muitas vezes significa dar um adeus a sua cultura, as suas raízes brasileiras, com raras exceções, isso acaba acontecendo com todos que optam por este lado do destino, apesar que muitos negam este fato, para se auto protegerem, mas para quem conhece a fundo a nossa comunidade, isso é um fato.
A verdade é a que muita gente despreza ou desprezava é uma só: Qual a melhor forma de um brasileiro se destacar financeiramente nos EUA, ou melhor, em Boston?  Trabalhando no meio da comunidade sendo um empreendedor ou funcionário de uma empresa americana que presta serviço para comunidade brasileira. As chances de deslanchar financeiramente neste caso são mais realísticas. Fugir desta realidade ou da comunidade para se dar bem nos meios dos americanos é um sonho de alguns, que eu não aconselho sonhar se você não tiver uma base para isso, mas confesso que com raras exceções pode dar certo. Optar pelo meio americano para se dar bem financeiramente, é um caminho tortuoso, solitário, às vezes esnobe demais para alguns (por que se acham melhores que outros brasileiros pela posição que ocupam), contudo não fogem da realidade da discriminação cultural americana que indiretamente discrimina o imigrante seja em que circunstancia for. Cuidado! Muita gente como já disse, nesta busca perde sua identidade e seus laços de origem, ou seja, de alguma forma renega seu passado, por que sonha em viver a vida americana, não mais a sua vida com emblemas culturais brasileiros, você se misturar com os eles não mais com os seus.
Você pode discordar de mim, é seu direito, mas uma coisa você sabe é visível, brasileiro que melhor vive aqui em Boston, é o empreendedor que tem seu próprio negócio, que ganha dinheiro no meio dos brasileiros, seja onde for, na construção, na limpeza, na venda de carros, nos restaurantes, nos salões de beleza, nas lojinhas tipo supermercado, nos açougues, nas padarias ou na informalidade. E para ter sucesso nestes campos, desculpe a verdade, mas a legalização é uma mera formalidade, que dá sim tranquilidade para circular em solo americano, mas para ganhar dinheiro mesmo à cidadania ou um ‘Green Card’, tem pouca influencia.
Novamente digo, você pode duvidar é seu direito, mas olhe para os lados e verá do que eu estou falando. Olha, vamos encarar a realidade de frente, se legalize se puder o mais rápido possível, estude inglês, fale bem a língua, isso é bom para você como ser humano como indivíduo, mas não sonhe que quando estiver legal ou falar um inglês razoável vai rebentar as correntes financeiras e vai faturar o que nunca faturou antes. Este é um engodo de muitos e você pode descobrir isso sozinho ou trilhar um caminho mais consciente aqui na América com algumas dicas como esta.


Boa semana! 

De Boston para Paris & Roma

Recentemente tive o privilegio de sair à noite de Boston e chegar pela manha em Paris, não fui muito diferente na volta, acordei em Paris e cheguei a Boston no final da tarde. Tive uma experiência destas também quando estive no Brasil, acordei em Porto Alegre bem cedinho 5hs da manhã e lá pelas 11hs da noite estava na minha cama, na minha casa, em Boston pronto para dormir.
Esta foi minha primeira viajem para Europa (Paris e Roma) foram os destinos escolhidos pela família, o tempo não foi muito (uma semana), mas o bastante para alicerçar uma primeira viajem ao velho continente. O custo da viajem foi uma bagatela, logo, descobri que viajar para Europa, só não vai quem realmente não quer. Antigamente se dizia que era uma coisa para ricos. Que bom que o mundo mudou e a vida pode ser mais agradável para qualquer um, principalmente para um brasileiro que vive nos EUA.
Não sou contra o Brasil, sou a favor, vou ao Brasil e volto com alguma freqüência, mas acho que cheguei em uma fase da vida que este percurso, EUA x Brasil, Brasil x EUA para viajar já deu o que tinha que dar. O custo de se viajar para Europa é insignificante perto do que se gasta para ir ao Brasil. Hotel durante as viagens para qualquer lugar do mundo, já foi um problema, procurar um bom hotel por um bom preço é complicado, mas não impossível. Porém hoje todo mundo procura uma casa, um apartamento mobiliado em um bom bairro no centro perto do um metro, e ai tudo fica fácil e barato com muito conforto e estilo. Foi isso que fizemos, alugamos um duplex lindo com muito conforto no décimo oitavo andar com uma vista linda de Paris. Paris, sem duvidas é uma cidade glamorosa, estilosa, seus pontos turísticos são uns dos mais requisitados do mundo, e estes foram os nossos primeiros destinos.
Fora isso o que falar de Paris? Andando nas ruas principais de Paris a noite ou durante o dia, pude observar que tem muito carro pequeno nas ruas. Têm muitas ‘lambretas’ nas ruas, confesso que umas lambretas possantes, mas não vi quase nada de motos circulando. O Smart carrinho pequeno esta bombando em Paris. Não vi muitas SUV ou Camionetes que temos aqui nos EUA circulando, elas praticamente inexistem. Uber em Paris, não é muito diferente de Boston, Mercedes e bons carros estão nas mãos dos motoristas e é um dos serviços mais requisitados no que se refere a transporte de passageiros, na cidade luz.
                Os prédios de Paris são glamorosos e milenares, e ostentam beleza e mais beleza que enchem os olhos. A segurança em Paris tanto no aeroporto como na cidade é muito fraca comparada com a segurança aqui nos EUA, aqui é mil vezes mais efetiva. Paris é uma cidade para se visitar, se fazer turismo, mas os EUA têm a beleza do novo, do moderno, da oportunidade, sou mil vezes mais a América do que Paris ou Roma.
Roma, como não se encantar com Roma, que tem como seu carro chefe o coliseu e outras maravilhas milenares, com suas ruas estreitas, com muita nostalgia, mas a nostalgia de Roma não encanta como a de Paris, tem beleza, mas é diferente. O vaticano tem sua beleza religiosa, mas só isso. Mas definitivamente Roma tem uma beleza singular, tem algo no ar. Têm muitas ‘lambretas’, na verdade milhares delas e como tem mulheres que andam de lambreta na em Roma, nada de motos, zilhões de Smart , e o jeito que o pessoal estaciona os carros nas ruas e totalmente único, se espremem, e a bela Roma tem no meio da cidade o seu particular ‘rio tiete’, digo o seu rio poluído com muitos detritos. Roma não é uma cidade muito limpa, e tem inúmeros indianos, nas ruas e como guias turísticos, são agressivos e poucos educados, também tem muitos indianos nos restaurantes e comércios, eles invadiram Roma, esta parte não gostei muito. Quanto à segurança, tem muitos homens do exercito com forte armamento nas ruas oferecendo proteção, na pior das hipóteses pelo menos inibe o cara perigoso.
Por outro lado Paris tem inúmeros guias turísticos e camelos de origem africana. Eles não são aseados e de boa aparência, porém são menos agressivos que os indianos de Roma.   
Na Itália rola bem um inglês na comunicação, porém em Paris eles são mais ‘barristas’ gostam de falar o Frances, e sempre dizem que falam um pouquinho de inglês, mas a comunicação funciona.
Não descobri qual a segunda língua da França e nem a da Itália, mas o inglês salva, apesar de que tem muita gente que não fala nada em inglês próximo aos pontos turísticos.
Metro de Paris dá de 10 a zero no de Boston e NY, as estações são monumentais, lindas, o metro da Itália é melhor do que o de Boston, mas perde feio para o de Paris. Só para esclarecer não troco Paris nem Roma por Boston, meu lugar de viver e morar e aqui.
Há antes que eu me esqueça só um detalhe, sabe quanto que paguei para ir de Paris para Roma, ida e volta de avião? $120.00 dólares. E só para deixar você aguçado: de Boston para Paris ida e volta paguei: $530.00. Nem vou falar quanto paguei no duplex mobiliado espetacular no décimo oitavo andar de Paris, você não iria acreditar. Dorme com esta!


Boa semana! 

A perversão feminina diante da fragilidade masculina

Não sou machista, e nunca serei, mas tenho que escrever sobre isso, não tenho como me calar. Deixe-me começar por uma história recente aqui da nossa comunidade de Boston. Há algumas semanas atrás houve uma festinha na casa de algum brasileiro da região de Boston, na verdade têm muitas festinhas privadas todos os fins de semana aqui na comunidade brasileira local. Um aniversário aqui, um churrasquinho maneiro lá e assim vai. Tudo normal. Porém em uma destas festinhas na casa de alguém, a noite, um rapaz de 20 e poucos anos bem apresentável conheceu uma garota bonita e bem apresentável também, e ali começaram uma conversação, rolou uma cerveja aqui outra ali, mas ninguém ficou bêbado a ponto de perder a cabeça. Rolou um clima entre os dois, houve consentimento e reciprocidade de ambos, a coisa esquentou e teve um sexo consensual. Uma semana depois o pai desta menina brasileira descobriu que a menina tinha se envolvido com um rapaz em uma festinha e teve sexo com ele. O pai foi na policia e denunciou o jovem rapaz. A filha deste homem tinha somente 14 anos. O rapaz ficou atônito perdido ao saber que a policia estava atrás dele, por causa do ocorrido, e ficou pior ainda ao saber a idade da menina que julgava ter muito mais que 21 anos pela sua estrutura física, etc.. A principio o rapaz se escondeu, ficou com medo, o que é normal neste caso, mas depois de uma semana se entregou a policia, ele esta preso, com uma fiança absurda.
Repetindo, a menina de 14 anos é bonita, tem corpo de mulher, e estava na festa se divertindo e bebendo também. Não estava bêbeda, o que aconteceu entre os dois foi consensual e ambos se aceitaram, mas em nenhum momento o rapaz imaginou que a menina tinha somente 14 anos. Hoje em dia tem mulheres de até menos idade que desenvolvem uma estrutura física de mulher adulta que ninguém desconfia ser de menor ao olhar..
O rapaz vai a julgamento e com certeza vai ser deportado, o que pode acontecer de melhor é o que sempre os advogados recomendam nestes casos; é um acordo, acordo este que sempre vem com aquela história; confesse o crime, reduzimos a pena e no final dela você será deportado.
O rapaz cheio de sonhos para o futuro aqui nos EUA e para com a família, que está lá no Brasil, caiu em uma ‘bobeira’, se assim podemos chamar este caso. O seu futuro aqui na América acabou. Psicologicamente está liquidado, e sua vida do nada virou um inferno e este inferno pode ser longo com alguns anos de reclusão.
E você me pergunta; E a menina de 14 anos? Esta de boa. E ainda vai ser orientada a pegar documento se é ilegal, e se for, vai ganhar o ‘Green Card’ facinho, facinho.  Ela é menor de idade e ele jamais poderia ter tido sexo com ela. Ok digo eu. Mas ela esta ai, amanhã depois vai a outra festa, e tudo pode se repetir, e será que o pai vai novamente a policia? Contudo neste caso  especifico vale a pena frisar; ela gostou do rapaz, o sexo foi consensual, permissivo, logo o termo ‘estupro de menor’ é o único titulo que não cabe a este rapaz, porém a mídia local brasileira assim o definiu; “estuprador de menor”.
Um amigo meu me disse o seguinte quando estávamos comentando este caso esta semana; “Se você conhecer uma garota em uma festa ou em qualquer lugar, antes de qualquer coisa pesa para ver um documento dela”. “Se tiver sexo com ela ache uma ou duas testemunhas para depor a seu favor antes do ato, etc., etc”.  “Se possível filme para provar que não nada foi forçado”. Parece bobeira, mas a coisa esta feia. Quem vai se submeter a uma situação destas? Mas por incrível que pareça este é o único meio em ‘parte’ de você se ‘livrar’ de uma situação absurda de parar na cadeia por causa dela, e mesmo assim tudo isso pode não adiantar nada.
Por outro lado já vi inúmeros casos de mulheres brasileiras aqui em Boston, e já não estou mais falando de menores de idade, se autoflagelarem, a ponto de deixar marcas profundas em seus corpos, chegam ao absurdo de se cortarem, e depois vão a policia denunciar seus maridos, amantes ou companheiros como se fossem os autores das agressões. A polícia na hora vai lá e prende o individuo, coloca atrás das grades, a mulher vai para o corpo e delito, entra no esquema de ‘violência doméstica’, e logo ali na frente aplica para o ‘Green Card’ e pronto o caminho para legalização está aberto e ela vai ter um final feliz, e depois de 2 anos de processo, estará legal aqui nos EUA. E o homem? O tal companheiro dela? O ‘trouxa’ que caiu direitinho e foi usado nesta história, acaba na cadeia, condenado e deportado e com a vida desgraçada.
Não estou inventado nada, isto esta virando um processo corriqueiro na comunidade de Boston, e eu sou testemunha de inúmeros casos destes como repórter.
Ainda existe aquela situação de um homem adulto encontrar uma mulher adulta e ambos se conhecerem terem um ‘afer’ consensual e por alguma razão depois de terem uma noite de envolvimento mutuo a mulher se decepciona com o homem  por alguma razão qualquer e decide ir a policia e dizer; ‘ele a estuprou, eu disse não para ele, mas mesmo assim ele me agarrou a força’.   A reação da policia é sempre é mesma, vai lá prende o homem, o juiz coloca a fiança lá em cima o cara vai para cadeia. Neste caso provar a inocência do homem é um parto, às vezes rola, mas na maioria das vezes não, como de costume, ele acaba fazendo um acordo por insistência do seu advogado, e ferrando sua vida para sempre, e como é brasileiro ilegal no final da história acaba deportado.
Eu acredito em casos de violência domestica, e eles já existiram e existem por aqui na nossa comunidade com abundancia, mas estes na verdade são acompanhados de muito terror, em razão do homem ser violento ( e nem vamos falar nos casos de violência domestica da mulher contra o homem). A submissão da mulher nestes casos mais violentos, ou para chegar ao ponto de ela ter ‘coragem’ de fazer uma denuncia, normalmente acontece quando ela já extrapolou a questão do entendimento e ela não suporta mais o companheiro, logo, o fato não vem de uma só acompanhada de uma denuncia, pois muitas vezes a mulher gosta do homem e só quer que ele a trate com mais respeito. Porém casos destes (reais, verdadeiros) estão ficando cada vez mais raros e os casos de ‘pegadinha’ ou revanchismo da mulher perante o homem por esta ou aquela razão com objetivo de ganhar um documento vem em um acumulo crescente nas cortes de imigração em Boston. Olha, quem adora tudo isso são os advogados que a primeira coisa que dizem para as mulheres que supostamente são vítimas; ‘vamos colocar este sem vergonha na cadeia e seu social vai chegar em 3 ou 4 meses depois que eu abrir o processo para você’, tudo regado a muito dinheiro, pois não existem advogados baratos neste caso.
Não sou machista, como disse anteriormente, mas existe uma desigualdade social em muitos destes casos que favorecem as mulheres, pelas circunstâncias das leis americanas. Porém, quando a policia vai desmascara uma mulher sem vergonha que apronta para um homem, honesto e trabalhador? Quando? Quando uma delas vai cair do cavalo? Quando uma delas for presa e pega neste golpe ‘antigo’ e que funciona aos olhos da lei americana e que já legalizou milhares de mulheres golpistas, daí sim talvez muitas delas comecem a repensar bem no seu autoflagelo, pois o feitiço pode virar contra o feiticeiro. Mas isso esta longe de acontecer, contudo fica aqui minha torcida, antes tarde do que nunca.
Enquanto isso como disse no inicio, a perversão feminina esta em alta diante da fragilidade masculina. No momento fica o alerta; homens tomem cuidado, a bruxa esta solta!
Em tempo: Estes tipos de mulheres golpistas não representam nem 1% das mulheres da nossa comunidade brasileira de Boston hoje, logo este texto se refere a um numero muito pequeno de mulheres desonestas, mas que existem, e precisam ser denunciadas quando forem pegas nestes golpes, porém a grande maioria das mulheres brasileiras por aqui, são tremendamente honestas e integras e de grande valor e merecem o meu respeito sem exceção.


Boa semana!

O que falar da semana!

·      Olimpíadas do Rio
Na verdade se espera ver os melhores atletas do mundo brilhar. Daí vem àquela dúvida com ou sem doping? Na verdade todos nos acreditamos que esta olimpíada do Rio é uma das mais limpas do que diz respeito a drogas. Por que nós sabemos que todos (quando digo todos, falo em qualquer ser normal) ‘ bombadinhos’ com esta ou aquela droga, do nada vai ganhar um corpo escultural e fazer coisas que na nossa sã consciência jamais o faríamos. Mas, as surpresas (confirmações de doping) vêm sempre depois que tudo se encerra e a consagração já foi dada. Contudo tenho que reconhecer que esta, e novamente repito, é uma das olimpíadas mais limpas que já existiu, até por que se antecedeu a ela fortes punições a países que usavam artifícios milagrosos para ‘fazer’ desenvolver super atletas do nada. Quem mais sofreu punições com isso foi à Rússia. Os EUA estão brilhando na ponta da competição, isso não vai mudar. Não tenho como não dizer que tenho muito orgulho de ver os EUA na ponta, vivo aqui, escolhi este país para viver e por que não dizer, terminar meus dias por aqui, não tem como eu não vibrar, olhar, admirar tanto talento individual como sendo os melhores do mundo. Contudo tem muito atleta, caindo do cavalo, tropeçando, perdendo o equilíbrio, escorregando, etc. É triste ver cenas como estas em uma competição mundial como às olimpíadas, mas por outro lado, é maravilhoso saber que todo mundo erra, todo mundo tropeça, e mesmo assim levanta e continua competindo, mesmo que sua pontuação seja a última. Estamos sujeitos ao erro. O maior brilho em uma competição como esta é vibrar com o melhor, mas por outro lado, e gostoso aprender com o conjunto de imagens que ela nos proporciona do vencedor e do perdedor. Até por que na próxima competição estas posições de ganhador e perdedor podem se alterar, o ganhador de hoje pode ser o perdedor de amanhã.  Não querendo ser repetitivo e já sendo, ninguém pode tirar a glória do vencedor, contudo às vezes a glória maior pode ser vista no que persiste e não desiste, aquele que chega ao final, mesmo depois de dado o vexame de cair, escorregar, perder o equilíbrio, etc. 
·      Brasil nas Olimpíadas
O que a TV mostra aqui (aqui digo Boston) a respeito dos jogos são imagens de alta qualidade, em arenas esportivas muito bem postadas e bonitas, logo aos olhos do mundo está tudo perfeito, o Brasil fez o tema de casa para receber os melhores atletas mundiais. Os problemas pontuais ou que ficam nos bastidores de cada competição não chegam aqui, mas com certeza sei que existem, mas ao que tudo indica estão em um segundo plano, e lá devem ficar no momento. Quanto às medalhas, estamos ai no meio da tabela, mas muito longe do primeiro lugar. Entretanto estamos no caminho e a melhor frase que encontro para o Brasil no momento é: ‘O importante é que estamos competindo, o resto é balela, ganhar ou não ganhar no momento é consequência, e a opção de vencer ou perder só existe para quem esta na competição, e nos estamos, o resto vem com o tempo’.
·      Shows Brasileiros em Boston

A popularidade do povão brasileiro fora do Brasil para artistas brasileiros esta em alta. Todos querem dar um fuginha no exterior, fazer um show aqui e outro ali, para ganhar algum dinheirinho em dólar, mesmo que seja para ganhar uma grana infinitamente menor ao que ganhariam no Brasil por um Show. Dinheiro não é o maior problema, quando o cantor ou banda famosa, quer dar uma ‘desopilada e fugir para o exterior’. EUA, Inglaterra, França e Portugal são os destinos preferidos das ditas ‘estrelas brasileiras’ que finalmente descobriram que seu maior público no exterior são os brasileiros que vivem no exterior, não os gringos. Artistas brasileiros que enchem uma casa de show no exterior com um público não brasileiro são muito poucos. Os brasileiros mandam na platéia há anos no exterior. E não adianta dizer que eles vêm aqui para matar as saudades dos brasileiros que vivem fora do Brasil. Balela! O povo vai aos shows por aqui, por que os shows são feitos em casas que cabem mil ou até duas mil pessoas, com raras exceções. Com isso os shows têm um maior calor afetivo, tudo fica mais fácil, no Brasil para se chegar perto de uma destas estrelas é muito mais complexo, aqui parece que eles são mais gente como a gente, e o melhor precisam da gente (brasileiros) se não quem vai bancar o dinheirinho para eles virem para o exterior? Está aproximação publico e artistas aqui em Boston, um estando mais próximo do outro tem sido uma parte boa e ruim. Com certeza tem muita gente que vive por aqui e que se vivesse no Brasil jamais teria uma chance de chegar perto do seu artista, por outro lado, o que tem de artista chato, antipático, vou te contar estes só perdem fã e publico por aqui. Vivendo mais pertinho não dá muita para esconder e a mascara de muitas estrelas brasileiras cai por terra.

Uma semana atípica para comunidade de Boston

HBBN – Paulo Monauer
Violência não é forte de nossa comunidade, nunca foi e nunca será, porém esta semana tivemos algumas situações, digamos assim, que não teve mídia que não se deleitasse na  pauta policial. Na verdade foram duas situações de golpes financeiros e ai não se inclui violência física, mas por outro lado tivemos uma outra situação que extrapola toda e qualquer perspectiva de violência na comunidade que se podia imaginar. O pai mata a filha de 19 anos com 9 tiros a queima roupa e o pior por um motivo banal.
·       Daniel Rosemberg Mendes Didier
Casado, morador de Lowell de longa data descobriu o eBay para fazer negócios de vendas de carros. É aquela coisa, não precisa de capital de giro, de estoque e se trabalha com o dinheiro do cliente. Daniel viu nesta uma oportunidade de faturar muito e é um bom negócio realmente. Porém Daniel extrapolou quis dar uma de malandro, e malandro por si só acaba tropeçando nas próprias pernas. De acordo com a policia de Lowell ele faturou mais de $250 mil dólares vendendo carros que nunca entregou. Nunca devolveu um centavo e virou mestre em enrolar clientes. A casa caiu para ele, porém ele ainda não foi condenado, por isso não pode ser considerado culpado, mas tem mais de 10 processos na corte de Lowell para responder, e a coisa tá feia para o rapaz, que pode até pegar uma cadeia forte, e deixar a esposa e o filho em um desespero total. Previsível o seu fim, mas ele não acreditou, agora e esperar para ver. Pelo que esta nos altos dos processos a coisa esta muita feia para ele.
·       Jusciley Rodrigues ou Juca ou mesmo ‘Jus Rod’
O ‘bacana’ morador de Newark está sendo denunciado nesta edição com exclusividade pelos leitores de Hello Brazil Boston News da região de NJ. As denuncias chegaram a nossa redação a rodo. Juca é um homem da noite, gosta de se divertir e curtir um glamour, e quem não gosta? ‘Jus Rod’ é um homem influente na comunidade de Newark e na mídia local. Tem duas lojas de remessas de dinheiro, na cidade. Resumindo faz 3 semanas que o homem sumiu, recolheu dinheiro de muita gente para fazer remessa para o Brasil e escafedeu se na cidade, gastou ou esta gastando o dinheiro, com um detalhe ninguém sabe a onde. Tem mais de 50 clientes até o momento no prejuízo total, tem muitos que nem desconfiam da perda, ainda, o numero pode aumentar. Dez clientes registraram ocorrência na delegacia policial contra ele por apropriação financeira indébita. Destes mais de 3 já abriram processos contra ele na corte para reaver sua grana. Enquanto isso o ‘Jukinha’ como é chamado pelos mais próximos circula por Newark como se nada tivesse acontecido. Como pode alguém imaginar que uma atitude destas não vai ter consequência serias. O cara só pode ter pirado o cabeção. A policia e uma trupe de brasileiros querem a cabeça do Jusciley. Onde esta o cinquentão?
·       Walter da Silva
Protagonizou o pior crime que já registrei em todo tempo de mídia. Um pai que mata a filha a queima roupa de 19 anos só por que ela namorava homens bem mais velhos que ela com 9 tiros, é fogo, difícil de aceitar. Ele ainda se deu o direito de colocar um capuz, tentou se esconder, fugiu, mas foi preso. Nada adiantou. Walter confessou o crime, não tem mais volta e a filha tinha um filho de menos de 2 anos de idade, o garoto esta órfão, e o assassino da mãe do garoto é o próprio avó, por uma razão fútil. Que coisa louca.
·       Boas novas para terminar: Wynn Cassino
Colocar 2 milhões de dólares de investimento em um cassino perto de você é algo que você nem consegue mensurar as consequências. É muito dinheiro para se colocar em uma área restrita que abrange uma boa parte da cidade de Everett, um ‘filete’ de Boston o outro ‘filete’ de Somerville. Todas as três cidades ganharam até agora antes de tudo começar, antes de liberar todas as licenças para construção, uma fortuna. Everett é só obras para todo canto, Somerville não para em obras, e Boston você nem percebe por que já vinha em obras a muito tempo. O cassino é quase que um ‘estado do vaticano’ na grande Boston, que vai gerar milhões e milhões de impostos para o estado e para as cidades de Everett, Somerville e Boston. O cassino vai movimentar milhões e milhões na economia local, serão mais de 17 empregos diretos e indiretos. Os Imóveis aos redor de Boston vão triplicar de preços, e por ai vai. Nossa comunidade esta neste pacote e vai se beneficiar muito em tudo com a chegada do cassino. Os brasileiros são donos de muitas casas nestas 3 cidades. Será que é hora de vender imóveis por estas áreas ou será que é hora de comprar imóveis por aqui? Todos estão felizes com o inicio das obras do cassino e quem não deveria estar? Só os mais pessimistas, mas estes a gente deixa de lado.

Boa semana!

Momento Católico

O Hello Brasil Boston News deflagrou através de uma denúncia na semana passada a situação de desconforto de membros brasileiros católicos na nossa comunidade na cidade de Somerville.  Têm muitas pessoas dentro da comunidade que pensam que publicar uma denúncia deste porte na imprensa pode afetar a instabilidade da comunidade ao expor a instituição católica. Muitos preferem abafar o caso ou passar um pano por cima ou até esconder toda esta sujeira debaixo do tapete da comunidade. É claro que isso não é bom. É vergonhosa a fragilidade de quem quer defender ou remediar alguém que comprovadamente tem problema na comunidade, seja quem for, principalmente como esta sendo o caso do Padre Ademir Guerine. Ele tem uma denúncia de assédio sexual oficial e isso é um fato, nossa redação sabe o nome e sobrenome da autora da denúncia, do seu marido, das testemunhas que já prestaram depoimentos neste caso. Como que alguém pode tentar amenizar isso? Nem vamos tocar no detalhe dos inúmeros outros problemas do Padre Ademir, só este, por si só, dispensa defesas de mídias ou quem quer que seja na comunidade. Fica a pergunta: Por que não apoiar a denuncia do Hello, dos fieis católicos e dar apoio para quem trouxe o caso a público? Tem muita gente que tem vergonha de dar o credito para quem é de direito na comunidade local. Será por quê? A melhor e a verdadeira mídia no mundo sempre foi e sempre será a investigativa, mas este conteúdo não é para qualquer mídia, mas o Hello Brasil vive e respira a comunidade e é considerado pelos brasileiros residentes locais o principal jornal de Boston, por matérias como esta e muitas outras e isso também é uma fato.  
Como fica a fé católica neste caso
A fé católica não esta em jogo, a soberania da igreja católica continua imaculada. A exposição de situações irregulares na conduta dos padres/sacerdotes de paróquias não tem mais como ficar obscuras. Isso é uma realidade irreversível.   Os padres precisam saber que a época do domínio, do imperialismo, do silêncio por medo, acabou. Padre é Padre. Sendo um sacerdote precisa ter um comportamento que condiz com o seu ministério. Padres mais maduros com idade entre 45 a 60 anos tem tido mais e mais problemas com os fieis, não sei se é por que são da velha guarda, tem vícios e manias e se acham intocáveis, senhores de suas paróquias, e fazem o que querem e como querem, quando querem. O confronto esta sendo inevitável com os fiéis católicos com a evolução do mundo, os fieis estão em outro patamar e os padres pararam no tempo. Os fieis têm sua fé inabalável na doutrina católica, mas não estão mais dispostos a passar a mão na cabeça de padres alcoólatras, visivelmente pervertidos, autoritários e sem nenhuma condição mental e psicológica administrativa.  Logo, logo a administração da igreja católica vai entender que precisa não de um Sacerdote para cada paróquia, mas dois, isso poderia amenizar os problemas, ou isso poderia dar um equilíbrio no comando e administração espiritual e administrava da uma paróquia. Contudo uma reciclagem na velha guarda sacerdotal não seria nada mal, uma vez que eles só fazem decair a imagem da igreja em algumas paróquias.
Transferência de Padres
Este rodízio de padres brasileiros nas muitas cidades onde tem uma paróquia brasileira em Massachusetts é uma vergonha. Tiram um padre problemático de uma cidade e colocam em outra ao lado. Ou seja, a maioria dos Padres tem problemas na comunidade, Vamos para um exemplo prático e objetivo incontestável para qualquer um; Padre Pedro, muito conhecido na comunidade, começou em Lowell, era um padre ‘bebum’ todos sabiam disto, com inúmeros problemas em Lowell, ferquentador de casas noturnas dentro da comunidade brasileira, um ’baladeiro’ nato. Fez inúmeras vezes o trajeto de Lowell para Boston só para curtir a noite, ou melhor, desaparecer.  Para resolver o problema da paróquia de Lowell a Arquidiocese resolveu transferir o Padre Pedro para Cambridge. Transferência nada inteligente tirou um problema de um lugar e trouxe para outro ao lado. Moral da história, o Padre Pedro continuou com suas façanhas extras sacerdotais, e em pouco tempo teve uma denuncia formal de assedio em Cambridge, entre outros inúmeros problemas. A solução da Arquidiocese foi mandar o Padre para o Brasil as pressas, pois iria parar na cadeia por aqui.  Agora temos o advento do Padre Scaravelli, já trabalhou em Everett, Flórida, Argentina e ainda se diz amigo do Papa Francisco. Por onde andou teve problemas, em Everett, na Flórida e na Argentina e agora também em Framingham onde dizem os fieis que foi uma desgraça total. Ai a Arquidiocese de Boston para tentar resolver o problema da paróquia de Somerville transfere o Padre Scaravelli de Framingham para Somerville. Trocou oito por oitenta. Que pobreza de sacerdotes brasileiros que tem por aqui esta Arquidiocese de Boston. Será que não dá para mandar estes padres  problemáticos de volta para casa e aposentar os sacerdotes? Quase todos os sacerdotes da velha guarda sem generalizar (tem gente boa no meio), bebem e bebem muito, tem problema de arrogância, o problema de abstinência sexual virou foco entre eles, são bombas prontas para detonar, parece que não querem mais viver desta forma sendo Sacerdotes (com abstinência sexual), mas por outro lado não querem abandonar a batina. Padre no meu tempo de infância jamais rezava uma missa de tênis ou com roupas informais. A celebração de uma missa era algo especial era um ritual precioso, onde até a vestimenta do padre era requisito de respeito espiritual de sua situação de pastor e sacerdote das ovelhas. Hoje isso tudo caiu por terra, usar tênis, roupinhas mais esportivas estar mais na moda, expõe a vaidade total dos sacerdotes e o afastamento do lado espiritual, eles querem se igualar mais com a sociedade e como sacerdotes isso jamais pode acontecer. Padre não é igual a qualquer outro membro da comunidade ou da paróquia, ele é um sacerdote até que a igreja mude isso, mas por enquanto não mudou, logo ele precisa se manter dentro do celibato sacerdotal sem fugidinhas aqui ou ali. Não existe opção. Hoje muitas das confissões estão ‘sob judice’ no momento, o Padre não guarda mais segredo e em outras palavras mais duras ele virou um fofoqueiro da sua paróquia que expõe seus fiéis. Porém ainda tem inúmeros padres muito bons, totalmente fieis ao seu oficio e com grande qualificação sacerdotal. Mas na verdade nos últimos tempos na área sacerdotal católica de Boston tem ‘pintado’ mais joio do que trigo entre os sacerdotes. Porém de contra partida, neste novo momento a igreja católica tem em seus membros verdadeiros vigilantes da fé, não suportam mais Padres ou Sacerdotes que se vendem por bonzinhos, dedicados, porém se portam com sede sexual, se mostram loucos por dinheiro, etc., e o pior se sentem donos da igreja da sua paróquia. Repetindo, o mundo esta mudando e nossa comunidade católica local não está mais disposta a viver como submissa de um Padre/Sacerdote e de suas vaidades, e se ele for de baixo valor moral ou espiritual isso com certeza vai vir a público e sua transferência vai ser solicitada pela paróquia local.  Fica o alerta!


‘Fora Padre Ademir Guerini’!

Imploram e gritam inúmeros féis de Somerville.
‘Ele é um grosso, desagregador, grita com os fiéis, pisa na comunidade, deixa vazar confissões feitas a ele no confessionário, tem vários relatos de assédios extra-oficiais e um registrado oficialmente na Arquidiocese de Boston. Centralizador não presta conta do dinheiro arrecadado na igreja, e desafia que diz que vai tentar removê-lo de igreja de Somerville’, com estas afirmações e muitas outras um grupo de membros que já foram vítimas de seus maus tratos e abusos procuraram a redação do Hello Brazil Boston News nesta semana para denunciar o Sacerdote oficial de Somerville. Padre Ademir Guerini da Igreja Santo Antonio na cidade de Somerville pertence À Parish of The Roma Catholic Archdiosese of Boston, MA que tem como seu líder máximo em MA o Cardeal Sean O’Malley.
Quem é o Padre Ademir Guerini?
O Padre Ademir Guerini tem na sua ancestralidade a origem italiana ele nasceu na cidade de Charqueadas no Rio Grande do Sul. Ele foi ordenado sacerdote no dia 3 de janeiro de 1987. Ele possui a bata sacerdotal há 29 anos. Hoje ele esta a frente da Igreja Santo Antonio de Somerville desde 2010.  É do conhecimento de seus fiéis que Padre Ademir teve formação sacerdotal administrativa e financeira, para trabalhar na igreja nesta área, mas em algum momento foi guindado para a área espiritual, pastoral da igreja.
Igreja Santo Antonio em Somerville
Ela congrega há mais de 100 anos no mesmo local. Foi fundada em 1915 e em 2015 completou 100 anos. Destes tem 25 anos que a comunidade brasileira se reúne nesta paróquia de Somerville. Os brasileiros começaram a frequentar a igreja em 1985 onde teve início os serviços e trabalhos em português, na verdade em 2016 vai completar 26 anos de atividades e interação da comunidade brasileira no local.  
Catolicismo na Grande Boston
A igreja Santo Antonio de Somerville assim como a Igreja Católica de Worbun, Cambridge, Everett, Stoughton, Allston, Lowell, Peabody, Framingham e Worcester entre várias outras tem inúmeros serviços em português, com Padres brasileiros como sacerdotes administradores delas. A comunidade brasileira é muito fiel ás suas crenças e lá no Brasil têm um dos seus maiores redutos de membros católicos do mundo.  Aqui em Massachusetts entre todas as igrejas que os brasileiros frequentam (falo de protestantes também) a igreja católica é a que agrega o maior número de fiéis na nossa comunidade.
Serviço na igreja Católica
O envolvimento das famílias na igreja em inúmeros conselhos, atividades, controle parcial da arrecadação, ou melhor, dizendo da devolução do dízimo, com a catequese, é muito grande, vai além do que podemos imaginar. Os brasileiros são altamente ativos na igreja católica além do seu fervor e devoção com fé na igreja. Mais do que isso a comunidade brasileira adora participar, tem orgulho de servir, doar seu tempo, ajudar outras pessoas e tudo de graça sem receber um centavo.
Quem coordena tudo isso?
O sacerdote local, ou melhor, o Padre local dá a palavra final em tudo onde ele congrega. Tem alguns Padres mais democratas e agregadores, que ouve e dá ouvidos aos seus fiéis e divide suas responsabilidades com a congregação. Tem Padres mais centralizadores, mais possessivos, autoritários, mandatários e fazem questão de deixar bem claro isso, às vezes pagando um preço muito caro, com a perda de inúmeros fieis sem nenhum remorso. A política da igreja católica é agregar, dividir tarefas, e as funções de um padre é pastorear tudo, até por que ele não se eterniza em um só lugar e pode vir a ser transferido, este é chamado sacerdotal.
Volta ao Foco Padre Ademir
O problema alegado por muitos féis católicos que agregam ou agregavam em Somerville é a arrogância do Padre Ademir Guerini, e com o passar dos anos outras coisas foram se agregando que desqualificam o Padre para ser o sacerdote mentor em Somerville e por isso alguns membros da congregação vem lutando a há anos por sua transferência, mas a Central de Boston, já ouviu muitas reclamações, mas até hoje de prático não fez nada. A verdade é: o Padre continua em Somerville, jogando féis pelo ralo para fora da ‘SUA’ igreja em Somerville.
Frases do Padre Ademir para seus fieis:
·         ‘Comunidade vai, comunidade vem, ela precisa se renovar’ não me importo se alguns membros vão embora isso não é um problema meu’.
·         A respeito de uma reclamação de uma irmã da igreja que pegou seu marido dando em cima de outra mulher em uma atividade da igreja: ‘Deixa ele olhar. Ele não vai fazer nada, ele só vai clarear a visão dele’.
·         ‘Não leve tão a serio tudo que esta escrito na bíblia’.
·         Quem é você irmã para me sugerir pedir desculpas para alguém, eu sou o Padre!
·         Ninguém da Arquidiocese vai mexer comigo, vocês podem reclamar a vontade sabe por quê? Eu mando o dinheiro que eles querem sempre. Quer calar a boca da Arquidiocese Boston é só enviar o dinheiro deles todo mês.  
·         Eu falei com o pessoal da Arquidiocese e disse o Padre Ademir: Eles reclamam de mim, mas estão lá toda a semana sentados nos bancos da igreja’.  (Por esta frase inúmeras famílias deixaram de ir à igreja Santo Antonio, para provar que não vão mais sentar nos bancos da igreja enquanto ele ainda estiver por lá.
O que pesa contra o Padre Ademir Guerini na visão de inúmeros fiéis que imploram sua transferência já há alguns anos para Arquidiocese em Boston e não estão sendo ouvidos:
·         A arrogância do Padre
·         O seu espírito maquiavélico
·         O registro de alguns casos de assédios conhecido entres os membros, porém somente um foi registrado oficialmente na Arquidiocese de Boston, os outros as pessoas ainda estão se preservando e não fizeram a denúncia.
·         A falta de prestação de conta do balancete da igreja: Quanto arrecadou quanto gastou, quanto comprou, quanto ajudou a comunidade e quanto enviou para Arquidiocese de Boston.
·         Ela não agrega a comunidade, ele grita com os fiéis sem nenhuma cerimônia, ofende as pessoas, esta desviando membros que frequentavam há anos a congregação de Somerville.
·         Vazamento de confissões feitas em segredo
A comunidade católica de Somerville tem mais de 500 membros, muitos não se envolvem demasiadamente com a igreja, outros sim, muitos não conhecem bem os bastidores de tudo, outros sim, muitos dão sua vida pela sua fé, outros não, com certeza muitos gostam do Padre Ademir outros não. Entretanto o que esta difícil de aceitar para inúmeras famílias e que foram praticamente colocas para fora da igreja, e esta inoperância na liderança da igreja católica em Boston de não ouvir os seus membros. Além de tudo isso, neste hiato de fé e confusão muitas famílias da igreja católica de Somerville estão procurando se agregar em outras cidades que tem uma paróquia católica de língua portuguesa, porém tem muitos outros católicos de Somerville que estão migrando para igrejas protestantes de tão decepcionadas que estão com o catolicismo do Padre Ademir.
Um fato e uma conclusão
Um Padre é um sacerdote, logo tem um lugar diferenciado na sociedade onde ele congrega. Porém nos últimos anos a igreja Católica de Boston vendeu muito do seu patrimônio local para indenizar abusos sexuais de seus Sacerdotes. A reportagem do The Boston Globe que deflagrou tal situação virou até filme. Recentemente tivemos o episódio do Padre Pedro que congregou em Lowell e Cambridge na igreja católica junto com a comunidade brasileira e foi denunciado publicamente por assédio e acabou fugindo para o Brasil para não ser preso. O Padre Ademir Guerini tem uma denúncia de assédio registrada oficialmente na Diocese de Boston em aberto ao que tudo indica a Diocese virou as costas o para o caso, ou por que não viu consistência no caso ou por que quer ficar longe destes problemas no momento. Mas de qualquer forma precisa se posicionar o momento atual da igreja católica de Boston e muito melindroso e tênue, não é hora de ficar protelando respostas, os fiéis precisam de Diocese forte atuante com credibilidade. O Padre Ademir também tem algumas denúncias não oficiais contra ele como: tapinha na bunda de irmãs, e várias brincadeiras com mulheres que não condizem com seu estado sacerdotal, o Hello pegou o testemunho destas irmãs, mas elas não fizeram a denuncia oficial. Além disso, o Padre Ademir assim como muitos outros Sacerdotes bebe um vinho, cerveja, e outras bebidas fortes, assim como frequenta em algumas ocasiões os bares noturnos para desaparecer. Este comportamento, mais franco, mais direto, sem muitas reservas de alguns Padres e muito constrangedor em lugares públicos na comunidade de uma maneira em geral. O próprio Padre Ademir com atitudes deste porte coloca em cheque sua situação sacerdotal, de pastor agregador de ovelhas, líder espiritual e social da sua congregação. Fica a pergunta um Padre fora da sua sã consciência (alcoolizado) depois de beber algumas cervejas, vinhos, e outras bebidas fortes tem condição de continuar zelando e velando no seu oficio?  Claro que não, e quem disser que sim está se enganado ou querendo enganar terceiros. A aparência do mal, por si só já faz mal, mesmo a pessoa sendo inocente. Imagina uma família da congregação vendo um deslize do padre alcoolizado? Isso pode destruir a fé e convicção de muitas pessoas.  Vale à pena repensar onde um padre deve estar desaparecendo; em um bar ou no seu reduto evangélico agregando fieis e famílias? A igreja católica e as suas modernidades. Tire suas próprias conclusões e siga sua fé! Enquanto inúmeros ex-membros da comunidade católica de Somerville gritam sem serem ouvidos: ‘Fora Padre Ademir Guerini’!!!    
OBS da Redação: Tentamos contato com Padre Ademir Guerini através do seu telefone celular, onde não foi possível deixar mensagem, pois ele não atendeu. Tentamos a Igreja Santo Antonio de Somerville  fomos atendidos pela Sra. Lorena e deixamos um recado para o Padre ligar para nossa redação. E nos dois casos podemos comprovar as ligações, mas também não obtivemos resposta.