Monday, October 23, 2017

Ainda, Bolsonaro em Boston!

Paulo Monauer

            Nunca fui um fã de Bolsonaro, eu nem sabia quem era o cara. A única coisa que sabia era o que a mídia do Brasil falava sobre ele. E não era, e ainda não são coisas boas até hoje. O pessoal solta o verbo; Ex-militar, capitão do exército, machista, durão, viveu na ditadura, ele é a favor da população ter o direito de se defender com armas uma vez que não existe policia no Brasil, quer mandar os bandidos para cadeia, mas se eles reagirem ele aprova mandar balas nos bandidos, ‘antes eles do que eu’ , fala ele, e por ai vai.

            Eu vive na ditadura também, conheço o esquema, de quando os generais mandavam no Brasil. Sei que a coisa não é fácil e não foi fácil, mas também não era tão complicada assim, eu estava lá. Desde criança cantava no coral da minha escola em Porto Alegre, o famoso colégio Roque Gonzales que depois passou e se chamar Medianeira, os dois se fundiram, cada um era de um lado da linda igreja São José, dirigidos por padres e freiras, na frente do melhor hotel da cidade naquela época, o cinco estrelas, Plaza São Rafael, na Av. Alberto Bins bem no centro da cidade. Por eu cantar no coral da escola algumas vezes que tinha missas na catedral da cidade onde tinha a presença do Presidente da República, o coral do colégio era convidado para fazer uma presença. E adivinha? Eu estava lá. Por isso cantei para alguns presidentes do Brasil como o General Emilio Medice, General Ernesto Gaisel entre outros, os caras estavam ali bem do meu lado na igreja. Eu era uma criança, mas me lembro bem destes momentos. E a ditadura militar no Brasil terminou em 1985, e nesta época eu já tinha 26 anos.

            Acho que o Brasil viveu e vive muitas injustiças que não foram quitadas. Na época dos generais e na época de hoje também. Olhar para o Brasil de hoje onde tem mais de 600 políticos em Brasília, onde o que ganha menos ganha R$146 mil reais por mês, e mais de R$2 milhões reais por ano, o difícil hoje é ver um destes famigerados políticos encher a boca e dizer; ‘eu não sou ladrão’, ‘eu nunca roubei nos meus mandatos’ , ‘não faço leis para meu beneficio pessoal, e sim para o povo brasileiro’, ‘se tiver que roubar largo o cargo’, e por ai vai.

            Olha quem destes mais de 600 políticos de Brasília pode encher a boca para falar isso? Muito poucos, pouquíssimos para dizer a verdade, e um deles acredite se quiser é o Bolsonaro. ‘Não preciso roubar, vivo bem com meu salário’, ‘o Brasil precisa de gente que tenha uma formação de caráter de berço’, ‘o Brasil da lei de Gerson precisa acabar’ diz Bolsonaro.

            Olha o Bolsonaro esta há 28 anos com mandatos consecutivos de político, se elegendo com voto popular, e não conseguem dizer hoje que este homem roubou, participou de conchavos para levar vantagem financeira, durante estes 28 anos. Vamos devagar! Não roubar não é uma virtude, e sim uma obrigação do mandato, mas na atual conjuntura, não roubar virou predicado de qualidade.  Olha se existe alguém liso que nem ele no Brasil e é candidato a presidente do Brasil vamos a luta, e vamos respeitar a concorrência, mas meter o pau por meter o pau no homem (Bolsonaro) só por ele é militar, e por que o cara é durão, é no mínimo insano. Vamos conversar, apresenta um concorrente e vamos nesta. Mas não vem com o tal de Lula que este é uma ofensa, o Lula esta livre da cadeia de favor, já foi condenado pela justiça e responde uma chuva de processos, este pode se dizer com todas as letras por que já foi condenado: ‘É um ladrão’. Quem serão os concorrentes com o Bolsanaro para presidente? Um já se apresentou, o Doria prefeito de São Paulo. Hum será que dá giro? O negócio é no ano que vem, mas já começou a pegar fogo.

                                                                          

Dário Galvão, Júlio Morais e Sergio DeAssis os marqueteiros de primeira em Boston!

Os bastidores da visita de Jair Bolsonaro à Boston

Rosana Lopes

"Imaginaria que o evento reuniria uma grande quantidade de pessoas e nos empenhamos, eu, meu sócio Júlio, bem como o tesoureiro Sérgio DeAssis, para que a passagem do candidato à Presidência do Brasil para 2018, o Deputado Federal pelo Rio de Janeiro, Jair Bolsonaro fosse um sucesso", declarou o Juiz de Paz, Notório Público pelo Estado de MA e fundador Public Administration Institute (P.A.I), uma Organização Não Governamental fundada em 2001, pelos empresários brasileiros Júlio Morais e Dário Galvão, uma ONG que, há 7 anos, trabalha por e para a comunidade brasileira aqui nos EUA. O que ele não podia imaginar é que os números retratassem a importância do evento de forma generalizada. A maioria das mídias locais e até do Brasil publicaram a visita do candidato à Boston. A visita de Bolsonaro aos EUA durou 8 dias, com passagem pelos Estados da Flórida, Massachusetts, Nova York e Washington D.C. Mas, a visita à capital de MA, sem dúvida, reuniu um maior número de pessoas. Ao todo foram dois dias, em que o presidenciável pode se reunir com quase 1000 pessoas. Dário conta que, quando postou em suas redes sociais, que a ONG seria a responsável por trazê-lo à Boston o feedback foi imediato, mas, ele não imaginou que receberia também a ajuda voluntária de pessoas de diversos segmentos. E, pode se dizer que, Dário tem uma longa bagagem de experiência na área política e, em receber políticos brasileiros nos EUA. Dário foi o responsável por trazer para cá duas grandes Comissões. Em 2010 a de Direitos Humanos e em 2017 a de Relações Exteriores. Mas, ainda assim se viu surpreso. "Desde que recebi o telefonema do e Eduardo Bolsonaro, um dos filhos de Jair e também (deputado federal de São Paulo pelo PSC),tive apenas um mês para organizar dois eventos. Um jantar para 150 pessoas no Restaurante Oliveira's (Everett) e um mini comício no Clube Lido de Revere cujo público ainda não podia se imaginar", conta Dario. Com a ajuda da Equipe da ONG e de voluntários que foram surgindo de todos os "cantos", ele pode organizar a vinda de Bolsanaro sob todos os pontos de vista: financeiro, administrativo, o de infra-estrutura etc. O resultado? Dois grandes eventos, com direito a uma limusine para buscar Jair, jantar para 150 pessoas assentadas, show com banda ao vivo, voz e violão, toda a imprensa local e um público inesperado, mesmo para os mais otimistas. “Na verdade um mini comício", relatou Dario.

·       Dário – UM POLITICO NATO

“A minha relação com a política começou ainda na infância. Acho que herdei de uma tia paterna o gosto. Aos 10 anos tenho nítida lembrança de distribuir panfletos, para ganhar um dinheirinho, mas também já gostava da movimentação”, relembra Dario. Ele também diz te sido um jovem militante. A consolidação veio com a participação na campanha política do Deputado Estadual Manoel Ferreira, com quem trabalhou por 5 anos. Se no Brasil, o que ele chamava de hobby virou profissão, nos EUA ele continua atuando na área. Mantém uma empresa de consultoria política aqui como profissão e como paixão mantém a ONG. Segundo Dário os Estados Unidos são “o olho do mundo”, daqui absorvo conhecimento nas áreas públicas da saúde, educação etc. e auxilio políticos brasileiros em projetos viáveis para o Brasil.

·       Pretensões políticas?

 Dário diz que não tem. Embora, não descarte nenhuma possibilidade. Hoje, se define como um apaixonado por política. Filantropicamente, a ONG me permite ajudar pessoas, de forma mais direta, e, profissionalmente posso auxiliar políticos a também, trazer e apresentar o melhor das opções políticas para os seus eleitores aqui em Boston.


“Seu sonho nossa missão” esta é a meta do Real Estate, Cristiano Jarbas!

Rosana Lopes

            No Brasil ou nos EUA, o sonho de ter uma casa própria faz parte da cultura da maioria dos brasileiros. Se no país de origem esse sonho parece distante, imagina em outro. Por incrível que pareça, seja em terras tupiniquins ou aqui, mais importante do que ter o dinheiro é, sem dúvida, ter um profissional para acompanhar e assessorar todo o processo. Da escolha à compra, vamos combinar que são inúmeros passos. E quando o profissional que você precisa, além de todo o licenciamento necessário, os anos de experiência no mercado é brasileiro, aí realmente não falta mais nada. É só mesmo tornar o sonho em realidade. O profissional a que me refiro, já bastante conhecido na comunidade brasileira, Cristiano Jarbas – sócio proprietário do americano James White na Cristiano Jarbas Real Estate, há 7 anos se dedica à compra e venda de imóveis, uma paixão que nutre desde o Brasil. Cristiano nasceu no Ceará, aos 4 anos se mudou para Governador Valadares (MG), mas foi na Bahia, em Porto Seguro, que tudo começou. Explico, em Valadares Cristiano trabalhou, durante alguns anos, no Diário do Rio Doce, um jornal conhecido na cidade, como representante comercial gráfico. Ele conta que trabalhar com Marketing sempre foi também uma paixão. Quis o destino, que um dia, em uma viagem de turismo a Porto Seguro, ele visitasse um cliente do jornal. Por lá mesmo ele ficou, o então cliente o convidou para trabalhar no departamento comercial em uma Imobiliária. Cristiano diz aí ter se encontrado. De 1999 a 2000 alí ele viveu e aprendeu tudo que podia sobre o segmento. A vinda para o EUA? Também por acaso. Ele conta que, naquela época, já praticava Mountain Bike. Por coincidência ou destino foi tentar o visto americano vestido com camisa regata sem nenhuma pretensão. Conseguiu o visto, veio passear com a intenção de ficar uns 5 meses e hoje já está a quase 17 anos. Em 2004, empreendedor nato, e com MKT nas veias Cristiano criou a Vision TV, uma espécie de canal fechado que veiculava propagandas locais em televisões afixadas em padarias e locais brasileiros de grande fluxo. Um negócio rentável, que por muito tempo abasteceu o tino comercial e fez o lado do MKT de Cristiano se exercitar.
            No âmbito pessoal construiu família. Trouxe a primogênita do Brasil, casou-se, teve mais dois filhos e se tornou Campeão de Mountain Bike 2016/2017.  Com a crise, em 2007, o comércio caiu e, consequentemente, um dos primeiros itens a ser cortado das empresas foram as propagandas. Foi ai que um amigo, ciente do conhecimento de Cristiano sugeriu que ele atuasse no segmento imobiliário. Determinado, e com, uma boa dose de sorte, Cristiano se uniu a profissionais certos com a mesma filosofia dele. E, na sequência, tratou de se profissionalizar fez então todos os cursos necessários para obter a certificação para atuar como Real Estate. Se ele teve sorte ao se unir ao sócio James White, hoje o quadro se completa com os colegas: Alex Nunes, Yolanda Djom e Carla Bastos. Pessoas, mais do que simples profissionais que, assim como o fundador Cristiano Jarbas levam ao ‘pé da letra’ o slogan da empresa: “Seu sonho, nossa missão”. 


SERVIÇO:

530 Boston Poston Rd.

Marborough, MA 01752

(617) 294-3844

info@cristianojarbas.com




Andréa Taveira - O nome que está na mão das Mulheres de Bom Gosto

Rosana Lopes

            Alguma vez você já se perguntou, enquanto escolhia o esmalte ou fazia as unhas, quem foi a primeira pessoa que teve a idéia de embelezar a ponta dos dedos, em busca de um visual mais incrementado? Hoje, a resposta é fácil, a empresária e Nail's Designer Andréa Taveira responde pelas unhas mais fashions da região de Boston. Mas, esse gosto por colorir as unhas começa lá pela antiguidade a mais de 3200 a.C. Os homens da realeza tingiam as unhas com tons de preto, enquanto os tons de vermelho eram destinados somente as mulheres mais belas e ponderosas de seu tempo, como Cleópatra e Neferetiti. Nos dois casos, o cuidado com as unhas era símbolo de status e nobreza, e sinalizava lugar privilegiado na sociedade. Hoje, assim como naquela época, ter as unhas da moda virou sinônimo de status. Foi-se o tempo, que cobrir de esmalte era o suficiente. Assim, pessoas antenadas e empreendedoras como a mineira, Andréa Taveira, tem ganhado espaço neste segmento.
·       A  história nas mãos, ou melhor, nas unhas!
            Mais tarde, em 1930, pintar as unhas das mãos e pés virou hábito entre as estrelas do cinema Hollywoodiano. Daí, foi um salto para todas as mulheres se apaixonarem pelos esmaltes. Hoje, a decoração das unhas hoje não se limita aos esmaltes: pedras preciosas, strass, piercings, desenhos, adesivos, francesinhas, inglesinhas, esmaltes 3D, craquelados, holográficos e muitos mais. As possibilidades para enfeitar as unhas são quase infinitas. Neste cenário, surge então a Nail's Designer, ou designer de unhas, onde as naturais deixam de ser pequenas, para adquirirem os mais diversos tamanhos e formas, indo muito mais além que os cuidados de uma manicure regular. E aí, a empreendedora Andréa Taveira vislumbrou no mercado uma “brecha” promissora. Andréa, nasceu em Belo Horizonte, com formação em Bacharelado e Pós-graduação em Administração de Empresas, chegou aos EUA há apenas um ano e meio.  Fascinada por exatas, se tornou conhecida e querida por toda comunidade brasileira, por seu profissionalismo e carinho. Atualmente, ela se divide entre a Gerência de uma loja Brasileira e a paixão pela a nova profissão. O bom gosto e o talento com as mãos sempre foi uma marca de Andréa. Já na adolescência, por várias vezes se viu maquiando ou enfeitando amigas, primas e familiares. Na faculdade, obteve influência das amigas com as mesmas paixões pelo mundo da beleza e moda, como as blogueiras renomadas Mônica Rosa e Cidah Campos. Determinada, Andréa arregaçou as mangas e tratou de se profissionalizar. Obstinada, fez diversos Cursos e WorkShops de Nail's Designer, com pessoas de renome aqui nos EUA, entre suas favoritas, a Nail's Designer Michelle Santos e o Curso Profissionalizante do Flávia Leal Beauty Institute, onde obteve  conhecimento e licenciamento necessários para atender suas clientes. De lá para cá, um universo se abriu, pois o mercado de produtos femininos, possui uma quantidade enorme de variedades e tecnologia futurista. Assim, Andréa abusa do seu bom gosto e feeling e diz que a internet tem sido uma fonte de inspiração constante. Andrea conta que um mundo fascinante e histórico, está nas unhas. Segundo ela nas unhas de cada mulher a beleza e a cultura se mesclam em charme e sofisticação. “Procuro na ponta dos dedos de cada cliente imprimir minha assinatura com produtos de qualidade e tudo de mais moderno que uma Nail's Designer pode proporcionar a uma mulher!”, filosofa Andréa Taveira. Difícil é saber onde a indústria da beleza vai chegar para deixar-nos loucas por novos lançamentos de produtos para as unhas, da saúde a estética!

Studio Andréa Taveira
Nail's Designer
Tel: (857) 312-0319
Instagram: @andreataveiranail
E-mail: andreataveira@hotmail.com


Wednesday, October 11, 2017

Bolsonaro, o presidenciável para 2018, conquista a comunidade de Boston!


Foto Paulo Monauer

                O paulista Jair Messias Bolsonaro se fez na carreira política pelo estado do Rio de janeiro.  Hoje é deputado federal. Em 28 anos de vida pública, desde 1989 até hoje 2017, já trocou de partidos 7 vezes de acordo seus interesses ou alianças partidárias. Atualmente pertence ao PP. Seu salário hoje chega à casa do $146.322,55 mil reais por mês como deputado federal, recebe 15 salários em um ano, isso dá um total de $2,194.830 milhões de reais por ano. Tem mil e um privilégios, e faz parte de uma classe de políticos brasileiros que ganha destaque no mundo, uma vez que o Brasil é segundo país em um universo de 110 países do mundo que mais gasta dinheiro para sustentar e pagar os salários dos seus políticos (pesquisa da ONU em 2013), talvez hoje em 2017 tenha alcançado o topo da lista e esteja em primeiro lugar.
                Porém ele, Bolsonaro tem a vida publica limpa aos olhos dos escândalos da lava jato, ou de qualquer corrupção. Ele se diz um homem honesto e feliz como o seu salário e que não precisa roubar do país para enriquecer. Se for eleito promete não viver de conchavos com políticos e partidos, mas admite que vai precisar de alianças como os políticos para levar a frente seus projetos.
·        O que Jair Bolsonaro veio fazer em Boston?
                Primeiramente se auto-afirmar como futuro candidato a presidência da republica do Brasil. Porém o numero de votantes brasileiros aqui é de uma minoria, não elege ninguém. Mas de certa forma vir para os EUA da uma moral para campanha. Ele já esteve em Israel como pré-canditado também e lá tem muito menos votantes que aqui. Ele é um político que não tem vinculo com ninguém, a priori, vem de uma carreira militar. Ele também  é visto por muitos como um encrenqueiro, barriga fria, polêmico e machista, etc, e por ai vai. Porém ele como todo bom político é convincente ao falar, e quando fala do Brasil, de suas idéias para um Brasil melhor, estes mitos ficam de certa forma para traz. Ele é bom com as palavras, não faz rodeios e faz afirmações do tipo de um eleitor quer ouvir. Em suas palestras e entrevistas por nossa região de Massachusetts, elogiou e muito os princípios patrióticos do povo americano.  Elogiou os EUA por um todo. Elogiou como as leis são cumpridas a risca aqui nos EUA, coisa que no Brasil não existe. E falou se o Brasil fosse um país sério e bom nós imigrantes brasileiros não teríamos vindo para os EUA tentar a sorte, se estamos aqui, é por que o Brasil não presta no momento.

‘O pré-candidato ao cargo máximo do Brasil para o 2018 por onde passou em Massachusetts, rasgou simpatia, mostrou um grande censo de humor, vendeu confiança e credibilidade, e o melhor, resgatou a esperança dos brasileiros que querem ver um Brasil melhor. A todo momento em qualquer grau de pergunta, falava com conhecimento de causa. Prometeu honestidade em primeiro lugar, e o resto vai tentar fazer o seu melhor, mas afirma: ‘Não vou roubar, vivo muito bem com o meu salário’!’

                Bolsonaro é uma boa opção entre os políticos atuais do Brasil para ocupar a função mais alta do Brasil, como presidente da republica. Questionado pelos reportes falou que talvez nos seus mistérios se for eleito vai existir alguns militares sim, e agregou a sua resposta, que se tiver mulheres capacitadas também vão ocupar seus mistérios também.
                A idéia que ele passa para quem o acompanha, que ele não sabe se vai dar certo, ou se vai conseguir  resolver todos os problemas do Brasil, em todas as áreas, mas que ele vai tentar fazer o Brasil um pais melhor sim, sem roubo ou falcatrua no seu governo.
                Minha impressão ao ouvi-lo falar é que de alguma forma nasce dentro de mim uma esperança de Brasil diferente no seu governo, para melhor, se ele for eleito, mas ao mesmo tempo ele me lembra o Collor de Mello na sua campanha, chegou do nada como uma novidade, ganhou a simpatia do povo, ganhou a eleição e deu o que deu. Com o Bolsonaro, não se sabe no que vai dar, só se pagando para ver o que vai dar. Mas que o cara é bom é!


A perversão feminina diante da fragilidade masculina

Não sou machista, e nunca serei, mas tenho que escrever sobre isso, não tenho como me calar. Deixe-me começar por uma história recente aqui da nossa comunidade de Boston. Há algumas semanas atrás houve uma festinha na casa de algum brasileiro da região de Boston, na verdade têm muitas festinhas privadas todos os fins de semana aqui na comunidade brasileira local. Um aniversário aqui, um churrasquinho maneiro lá e assim vai. Tudo normal. Porém em uma destas festinhas na casa de alguém, a noite, um rapaz de 20 e poucos anos bem apresentável conheceu uma garota bonita e bem apresentável também, e ali começaram uma conversação, rolou uma cerveja aqui outra ali, mas ninguém ficou bêbado a ponto de perder a cabeça. Rolou um clima entre os dois, houve consentimento e reciprocidade de ambos, a coisa esquentou e teve um sexo consensual. Uma semana depois o pai desta menina brasileira descobriu que a menina tinha se envolvido com um rapaz em uma festinha e teve sexo com ele. O pai foi na policia e denunciou o jovem rapaz. A filha deste homem tinha somente 14 anos. O rapaz ficou atônito perdido ao saber que a policia estava atrás dele, por causa do ocorrido, e ficou pior ainda ao saber a idade da menina que julgava ter muito mais que 21 anos pela sua estrutura física, etc.. A principio o rapaz se escondeu, ficou com medo, o que é normal neste caso, mas depois de uma semana se entregou a policia, ele esta preso, com uma fiança absurda.
Repetindo, a menina de 14 anos é bonita, tem corpo de mulher, e estava na festa se divertindo e bebendo também. Não estava bêbeda, o que aconteceu entre os dois foi consensual e ambos se aceitaram, mas em nenhum momento o rapaz imaginou que a menina tinha somente 14 anos. Hoje em dia tem mulheres de até menos idade que desenvolvem uma estrutura física de mulher adulta que ninguém desconfia ser de menor ao olhar..
O rapaz vai a julgamento e com certeza vai ser deportado, o que pode acontecer de melhor é o que sempre os advogados recomendam nestes casos; é um acordo, acordo este que sempre vem com aquela história; confesse o crime, reduzimos a pena e no final dela você será deportado.
O rapaz cheio de sonhos para o futuro aqui nos EUA e para com a família, que está lá no Brasil, caiu em uma ‘bobeira’, se assim podemos chamar este caso. O seu futuro aqui na América acabou. Psicologicamente está liquidado, e sua vida do nada virou um inferno e este inferno pode ser longo com alguns anos de reclusão.
E você me pergunta; E a menina de 14 anos? Esta de boa. E ainda vai ser orientada a pegar documento se é ilegal, e se for, vai ganhar o ‘Green Card’ facinho, facinho.  Ela é menor de idade e ele jamais poderia ter tido sexo com ela. Ok digo eu. Mas ela esta ai, amanhã depois vai a outra festa, e tudo pode se repetir, e será que o pai vai novamente a policia? Contudo neste caso  especifico vale a pena frisar; ela gostou do rapaz, o sexo foi consensual, permissivo, logo o termo ‘estupro de menor’ é o único titulo que não cabe a este rapaz, porém a mídia local brasileira assim o definiu; “estuprador de menor”.
Um amigo meu me disse o seguinte quando estávamos comentando este caso esta semana; “Se você conhecer uma garota em uma festa ou em qualquer lugar, antes de qualquer coisa pesa para ver um documento dela”. “Se tiver sexo com ela ache uma ou duas testemunhas para depor a seu favor antes do ato, etc., etc”.  “Se possível filme para provar que não nada foi forçado”. Parece bobeira, mas a coisa esta feia. Quem vai se submeter a uma situação destas? Mas por incrível que pareça este é o único meio em ‘parte’ de você se ‘livrar’ de uma situação absurda de parar na cadeia por causa dela, e mesmo assim tudo isso pode não adiantar nada.
Por outro lado já vi inúmeros casos de mulheres brasileiras aqui em Boston, e já não estou mais falando de menores de idade, se autoflagelarem, a ponto de deixar marcas profundas em seus corpos, chegam ao absurdo de se cortarem, e depois vão a policia denunciar seus maridos, amantes ou companheiros como se fossem os autores das agressões. A polícia na hora vai lá e prende o individuo, coloca atrás das grades, a mulher vai para o corpo e delito, entra no esquema de ‘violência doméstica’, e logo ali na frente aplica para o ‘Green Card’ e pronto o caminho para legalização está aberto e ela vai ter um final feliz, e depois de 2 anos de processo, estará legal aqui nos EUA. E o homem? O tal companheiro dela? O ‘trouxa’ que caiu direitinho e foi usado nesta história, acaba na cadeia, condenado e deportado e com a vida desgraçada.
Não estou inventado nada, isto esta virando um processo corriqueiro na comunidade de Boston, e eu sou testemunha de inúmeros casos destes como repórter.
Ainda existe aquela situação de um homem adulto encontrar uma mulher adulta e ambos se conhecerem terem um ‘afer’ consensual e por alguma razão depois de terem uma noite de envolvimento mutuo a mulher se decepciona com o homem  por alguma razão qualquer e decide ir a policia e dizer; ‘ele a estuprou, eu disse não para ele, mas mesmo assim ele me agarrou a força’.   A reação da policia é sempre é mesma, vai lá prende o homem, o juiz coloca a fiança lá em cima o cara vai para cadeia. Neste caso provar a inocência do homem é um parto, às vezes rola, mas na maioria das vezes não, como de costume, ele acaba fazendo um acordo por insistência do seu advogado, e ferrando sua vida para sempre, e como é brasileiro ilegal no final da história acaba deportado.
Eu acredito em casos de violência domestica, e eles já existiram e existem por aqui na nossa comunidade com abundancia, mas estes na verdade são acompanhados de muito terror, em razão do homem ser violento ( e nem vamos falar nos casos de violência domestica da mulher contra o homem). A submissão da mulher nestes casos mais violentos, ou para chegar ao ponto de ela ter ‘coragem’ de fazer uma denuncia, normalmente acontece quando ela já extrapolou a questão do entendimento e ela não suporta mais o companheiro, logo, o fato não vem de uma só acompanhada de uma denuncia, pois muitas vezes a mulher gosta do homem e só quer que ele a trate com mais respeito. Porém casos destes (reais, verdadeiros) estão ficando cada vez mais raros e os casos de ‘pegadinha’ ou revanchismo da mulher perante o homem por esta ou aquela razão com objetivo de ganhar um documento vem em um acumulo crescente nas cortes de imigração em Boston. Olha, quem adora tudo isso são os advogados que a primeira coisa que dizem para as mulheres que supostamente são vítimas; ‘vamos colocar este sem vergonha na cadeia e seu social vai chegar em 3 ou 4 meses depois que eu abrir o processo para você’, tudo regado a muito dinheiro, pois não existem advogados baratos neste caso.
Não sou machista, como disse anteriormente, mas existe uma desigualdade social em muitos destes casos que favorecem as mulheres, pelas circunstâncias das leis americanas. Porém, quando a policia vai desmascara uma mulher sem vergonha que apronta para um homem, honesto e trabalhador? Quando? Quando uma delas vai cair do cavalo? Quando uma delas for presa e pega neste golpe ‘antigo’ e que funciona aos olhos da lei americana e que já legalizou milhares de mulheres golpistas, daí sim talvez muitas delas comecem a repensar bem no seu autoflagelo, pois o feitiço pode virar contra o feiticeiro. Mas isso esta longe de acontecer, contudo fica aqui minha torcida, antes tarde do que nunca.
Enquanto isso como disse no inicio, a perversão feminina esta em alta diante da fragilidade masculina. No momento fica o alerta; homens tomem cuidado, a bruxa esta solta!
Em tempo: Estes tipos de mulheres golpistas não representam nem 1% das mulheres da nossa comunidade brasileira de Boston hoje, logo este texto se refere a um numero muito pequeno de mulheres desonestas, mas que existem, e precisam ser denunciadas quando forem pegas nestes golpes, porém a grande maioria das mulheres brasileiras por aqui, são tremendamente honestas e integras e de grande valor e merecem o meu respeito sem exceção.




Morte sai prá lá!

Não gosto de pensar nisto, mas não me nego o risco eminente de morrer sem um aviso prévio. O ditado não ajuda e passa batido no meu pensamento; ‘Para morrer basta estar vivo’. Este ditado soa para mim como algo muito trivial e imparcial, parece uma coisa mecânica. Às vezes penso na morte como uma coisa de terror. Sinto que o obvio vai acontecer e não me sinto confortável em vida pensando nisto: Vão me colocar em caixão, vão me enterrar, vão me queimar, etc. Pensar que vão fazer isso comigo enquanto ainda estou vivo, me assusta. Na verdade meu coração e mente se acalma quando penso que quando isso acontecer supostamente ou de fato, vou estar morto, e nenhuma destas sensações de terror e medo vão me afligir naquele momento do dito tal sepultamento.         
No sou paranóico, não penso isso sempre, preciso de uma motivação ou tragédia para relembrar minha mente desta situação que um dia com certeza vai ser a minha. Às vezes nas minhas loucuras destes pensamentos macabros fico tentando achar alternativas e acho que gostaria de ser enterrado em lugar onde eu tivesse a liberdade de sair, caso acordasse e ai teria descoberto que não havia morrido. Selar um morto a morte, colocando ele a sete palmos debaixo da terra ou selando sua sepultura ou gaveta com cimento, ou mesmo queimando o corpo, me parece tétrico. 
Na verdade já viajei nestes pensamentos da morte, algumas vezes nestes 58 anos que tenho de vida. Vive bastante já. Tem gente que vai embora bem rapidinho ou mais cedo do que o tempo que já vivi. Meu plano de vida pessoal é chegar aos 100 anos, de boa. Logo me sinto jovem, estou na metade do caminho. Tenho saúde, força, animo trabalho, alegria, sonhos, motivações e ambições. To cheio de motivos para viver e viver muito. Oxalá eu viva até Cristo voltar e em um piscar de olhos eu possa passar pela morte, logo esta história de funeral, tumulo, etc., no meu caso passaria batido por ela.
Poucos meses atrás fui em casamento de família na Flórida, cheguei com algumas dores na cabeça, nada de especial, pouco tempo depois o mundo mudou. Eu não me lembro de nada, mas  minha família diz que eu brigava com os médicos, que eu tinha nada, e que estava bem. Fizeram uma exame na minha cabeça e verificaram que estava com uma hemorragia dentro da cabeça, com origem desconhecida.
De pronto informaram a minha família que eu deveria ser operado o quando antes, e para isso chamaram um helicóptero, minha memória partiu do meu corpo ela não existia mais. Acordei um dia depois, com todos os meus filhos ao redor da cama, minha esposa, meus netos e por ai vai. Reconheci todos eles no primeiro olhar, e ai relataram o que se passou comigo. Minha cabeça tinha inúmeros pontos, mas meus braços e pernas, e aparência física estavam intactos. Vinhas às enfermeiras e me perguntavam que dia era hoje, qual data do meu aniversário, qual o meu nome, etc. Não me lembrava de datas. Tinha dificuldade para falar, e do nada perdi meu português, e só conseguia falara em inglês. Coisas da cabeça. Se eu ficava nervoso pedia a voz, e ele voltava horas depois. Fiquei uma semana e alguns dias na Flórida, não podia pegar um avião.
Porém, tudo passou, não fiquei com nenhuma sequelas, só uma cicatriz na cabeça, penso as vezes que morri e voltei, não sei ao certo, mas acho que ganhei uma segunda chance. Morrer é estranho, ou melhor, apagar é estranho, voltar às vezes é pior ainda, pois você esta cheio de dúvidas e agradecimentos. Hoje estou bem, mas a morte ronda todos nós, só não sabemos a hora certa que ela chega. Às vezes forçamos uma barra para ela vir logo, quando dirigimos depois de beber, não se cuidamos ou nos expomos demais a perigos desnecessários achando que somos os valentões.  No meu caso tudo passou, e estou de novo na ativa, acho que pior do antes, rsrs. 
Mas às vezes me pego pensando; que nada vai comigo de material, talvez o que vou levar é meus pensamentos, minhas idéias de vida, meu último olhar para mundo, não o mundo em geral, mas o meu último olhar para o meu mundo pessoal, que gira em tornos dos meus e de minha família. Meu globo de vida é pequeno, meu mundo pessoal é restrito, mas adoro viver nele, ao lado dos meus queridos, amo eles. Oxalá chegue aos 100 anos, afinal este é meu projeto de vida.


O mundo dos GRUPOS no Facebook

Só não tem um quem não quer. Para ter um Grupo no Facebook basta você querer abrir um, e o melhor de tudo, a coisa é muito fácil, basta puxar seus amigos da sua página pessoal para dentro dele e pronto. Um exemplo prático de como fazer isso; se você tem 5 mil amigos pessoais no Facebook que é o teto de uma página pessoal. Você abre um grupo e em poucos segundos você pode ter um Grupo (seja lá o nome que você vai dar ao grupo) com 5 mil pessoas no seu Grupo. Você já inicia seu Grupo com um numero sustentável. Seus amigos pessoais nem imaginam que são ‘marionetes’ nesta situação (ou imaginam e não estão nem ai), afinal você esta colocando eles no seu tal Grupo sem pedir nenhuma autorização para eles. Logo, tem um monte de gente fazendo isso, e do nada ‘você’ está em ‘Zilhões de Grupos’ espalhados pelo mundo sem pedir, sem saber como, tudo isso por que você tem muitos amigos e muitos deles já abriram Grupos no Facebook, e você serviu e vai servir muito ainda de ‘marionete’ nestes casos. Quando isso acontece sua página pessoal fica atolada de postagens. Para você cair fora do Grupo tem duas opções e é fácil: É só clicar em ‘Joined’ e vai abrir duas opções uma dizendo ‘Unfollow Group’ (esta ninguém incomoda mais você com este Grupo) e a outra ‘Leave Group’ (esta é uma saída temporária, seu amigo a qualquer momento pode incluir você de novo no Grupo).
Porém tem aquela opção que por iniciativa própria, você viu ou conheceu um Grupo no Facebook e quer se agregar a ele, ai e uma opção sua pessoal sem comentários. Consequência de abrir um Grupo: seus amigos a partir do momento que estão dentro do seu Grupo, qualquer postagem no Grupo batem no Facebook deles e claro, no seu que é mentor do Grupo. Bem você pode fazer um ‘Grupo Fechado’, e ai você vai ficar de ‘Bam Bam’ do tal Grupo, pois foi você quem criou. Quem quiser entrar ou postar no SEU Grupo Fechado precisa da sua autorização (isso tem enchido o ego de algumas pessoas ao extremo na comunidade, ter este poder). Você também pode optar em deixar o Grupo Aberto ao Público, assim quem quiser postar qualquer coisa fica a vontade, neste caso não existem restrições.
Todo o Grupo que começa sem um bom número de membros não prospera, e nesta luta de enfiar membros aos Grupos não interessa de onde eles vêm, falo do Brasil, da China, ou ‘do raio que o parta’, você ainda tem a opção, ou melhor, tem a barbada de poder comprar ($$$$ pagar por amigos virtuais) e enfiar numero de membros ali no seu Grupo do Facebook, todo mundo vai pensar que seu Grupo está bombando, e vai estar e você bombando dinheiro nele. Uma coisa importante: Qualquer um pode tudo no Facebook, comprar Likes, comprar membros em Grupos, etc., pagando tudo rola. Exemplo: Eu posso abrir uma página de uma empresa qualquer hoje, e amanhã ter 20 mil Likes nela, e só pagar, e tudo parece perfeito da noite para dia. E em um piscar de olhos sua empresa se torna a mais popular da praça no Facebook.
Os inconvenientes destes Grupos na nossa comunidade brasileira de Boston e arredores, e por que não dizer dentro dos EUA estão ficando visíveis e chatos. Tem muita gente que aproveita estes Grupos para fazer propaganda, e também para ganhar dinheiro postando propagandas, ai é que esta o problema. Tudo estaria dentro de uma zona de conforto, se não houvesse o abuso nas publicações. Nossa redação recebeu alguns e-mails sobre isso, de alguns de nossos leitores. Eles estão com um mal estar e dividiram este mal estar com a nossa redação. ‘Tem muita propaganda nestes Grupos’, dizem eles, ‘O pessoal posta 10 vezes por dia a mesma propaganda nos mesmos grupos’. Na verdade tem mesmo! Hoje temos uma média de 10 ou 12 empresas que esqueceram o seu desconfiômetro e fazem mais de 10 postagens iguais de publicidade por dia nos Grupos onde conseguem se filiar. Tem muita gente que não suporta mais isso, vê estas empresas com maus olhos. Algumas destas postagens são feitas pelas próprias empresas e outras não são feitas por terceiros, que faturam em cima disto, cobram até $400 por mês para isso, por cliente.
Isso tudo faz parte da ‘modernidade’ a tal dita mídia social. Sem dúvida uma espetacular ferramenta de divulgação. Porém alguns amigos dizem que do jeito que está os ditos ‘Grupos’, logo vão saturar o mercado, com tanta publicidade repetida no mesmo dia. As fortes alegações são; Primeiro a privacidade fica escancarada, e, diga-se de passagem, tem muita gente que adora se expor, e por outro lado, tem muita gente que detesta. Você pode optar pela sua privacidade e ter apenas amigos íntimos com acessos em todas as suas postagens, ou só em algumas, e pode deixar de fora do seu Facebook quem você quiser. Pode bloquear as postagens de terceiros na sua página, etc. Na pior das hipóteses pode dar um tempo na sua página, como se desligasse da tomada, e depois de alguns dias, semanas, meses, anos reativar sua página. A coisa foi feita de uma maneira fantástica. O que será que não vem por ai daqui uns anos! Com certeza o mundo esta melhorando com tudo isso, por outro lado, que não curte tudo isso, os mais conservadores, também ganham destaque, por que muitos chamam esta mídia social de lixo, mas por outro lado um 'Zilhão' de pessoas adoram e amam este lixo social. Isso não via terminar nunca, só vai prosperar.
E os Grupos como ficam? Todo mundo fala que os melhores são o que não permitem publicidade com fins financeiros... falo de empresas, até por que para o pequeno anúncio e um ótimo negócio. Os Grupos que rolam publicidade em abundancia estão em baixa e com pouca visualização, dizem as boas línguas das mídias sociais. Bom deste ponto em diante ai eu deixo a bola esta com você leitor.