Wednesday, April 18, 2018

Lieutenant Fletcher Chefe do Posto da ‘State Police’ em Medford, esclarece dúvidas da comunidade brasileira.


O encontro foi organizado pela Brazilian Globe, Thathyanno Desa e pela OBTS, Sue Obrein na sede da OBTS na cidade de Revere. 
   O encontro cordial se deu nesta segunda-feira, 16 de abril às 18hs na sede da OBTS e foi organizado pelo Thathyanno Desa e Sue Obrein, que teve como objetivo de aproximar a comunidade da polícia estadual da nossa comunidade, e para esclarecer fatos e ocorrências locais onde envolvem a nossa comunidade. Varias representações da mídia e organizações da comunidade estiveram presentes no evento aberto ao publico, ou seja, qualquer um podia participar.

   A Lieutenant Flecher logo ao inicio da reunião se apresentou aos presentes e fez questão de frisar que a ‘State Police’ nunca teve e nem tem a intenção de causar medo ou pânico na população brasileira, que o objetivo deles e preservar as leis do estado, e dar segurança a todas as pessoas que vivem em Massachusetts independente de ‘status imigratório’. Ela falou que tem consciência que tem muitos brasileiros ilegais em Massachusetts (sem documentos de permanência) é isso é um fato publico e notório. Frisou também que o objetivo da ‘State Police’ não é prender o trabalhador brasileiro por estar dirigindo sem carteira de motorista, que esta é uma infração pequena, que quando um policial pega ou para um motorista sem carteira de motorista de Massachusetts, faz o procedimento normal que a lei manda ela fazer, que é dar uma multa ao motorista, e prender o carro, só isso, nunca detendo o motorista ou chamando a imigração para ele.
A Lietenant Flecher, falou que seus pais eram Irlandeses e que ela é uma filha de imigrante também. E deseja que a comunidade confie na polícia estadual e não tenha medo dela, pois a policia existe para prender criminosos não para prender trabalhadores sem documentos.
Comunidade perguntou a Lieutenant Flecher:
A State Police quando pega uma imigrante ilegal sem carteira de motorista chama a imigração para ele?
Não, ele só recebe uma multa, tem o carro aprendido e é liberado. Nossos policiais não são instruídos a chamar a imigração para imigrantes ilegais só por causa desta infração que é considerada leve demais.
Quando a State Police para um imigrante ela consegue ver no computador na hora se ele tem uma carta de deportação?
Sim, no momento que o policial para o carro e pede os documentos do motorista e coloca os dados dele no computador, ele sabe se aquela pessoa tem uma carta de deportação.
Em que circunstancia um policial da State Police para um carro?
Ele pode parar um carro verificando a placa do veículo no seu computador, e percebendo uma irregularidade. Ou se o carro bate como uma discrição de um carro suspeito procurado pela policia. Se o motorista esta dirigindo de uma maneira agressiva, ou com uma velocidade alta, ou não esta seguindo os sinais de transito, ou se seu carro estiver com problemas, como luzes ou coisa assim não estiverem funcionando, etc. Quando um policial para um carro normalmente ele não visualiza o motorista primeiro, desconfia dele e ai para o carro, ele na maioria das vezes nem sabe quem é o motorista. Logo não existe uma caça ao indocumentado.  
O State Police de conhecimento que o motorista tem uma carta de deportação chama a imigração para prendê-lo?
Não, nunca chamamos o ICE para prender alguém que tem uma carta de deportação ou que não possui uma carteira de motorista. Não é nossa função.
Em que circunstância um policial da State Police prende um indocumentado?
Nos só vamos prender um individuo se ele estiver sendo procurado por um Crime Estadual ou Federal Grave, como roubo, estupro, se ele é fugitivo, ou outro crime hediondo. Estar dirigindo sem carteira ou ter uma carta de deportação, não é um crime grave que nós vamos tomar uma medida drástica de prender um imigrante ilegal.
Quando que um imigrante pode ser pego pela imigração?
Quando ele for preso pela própria imigração, quando ele comparece a uma corte por qualquer situação de violação de uma lei estadual, a corte sabendo da situação ilegal dele no país pode chamar a imigração para prendê-lo.
Então quando alguém vai a corte por ser pego dirigindo sem carteira de motorista pode preso pelo ICE?
Sim ele pode, mas não é e nunca vai ser a State Police que vai fazer isso, neste caso vai ser a corte que vai chamar a imigração para prender o indocumentado. Logo quando você vai a corte por ter cometido uma infração de dirigir sem carteira, corre o risco da corte chamar a imigração para prender você.
Tivemos o caso de um locutor de rádio na semana passada ser preso pela polícia da cidade de Stoughton, policia local e foi levado pela imigração, como a senhora explica isso?
Isso não é normal, para acontecer isso tem que ter um fator de penalidade grave do caso da pessoa que foi presa. Isso acontece caso o ICE esteja monitorando uma pessoa com um crime grave. Ele o ICE pode pedir a ajuda da policia local da cidade para prender este individuo. Como eles estão monitorando seu endereço e horário de deslocamento deste individuo, eles podem sim pedir a ajuda da policia local da cidade. Ai sim a policia prende este individuo e chama na hora o ICE. Provavelmente isso ocorreu com este rapaz radialista, que foi preso em Stoughton. Ele deve ter tido uma infração grave onde a policia da cidade foi acionada para ajudar o ICE a prendê-lo. Mas pode ter certeza que ele não foi preso pela  policia local e pelo ICE só por ele estar dirigindo sem carteira. Em Massachusetts ninguém da polícia local chama o ICE, por alguém estar dirigindo sem carteira ou por ter uma carta de deportação em aberto.
Quando a State Police prende uma pessoa para onde que ela leva?
Para a delegacia de policia mais perto, neste caso a delegacia da cidade onde a pessoa foi presa.
A Carteira Internacional tem valor em MA?
Esta carteira todo mundo pode falsificar e obter uma na internet. Não tem valor. Só se estiver junto com o passaporte e tempo de permanecia valido dentro dos EUA. Fora isso não.
Carteira de Motorista do Brasil tem valor aqui em MA?
Sim, a carteira de Motorista do Brasil, tem valor em MA, por um ano depois da chegada da pessoa em MA, este é um acordo internacional que tem validade aqui no estado de Massachusetts, o brasileiro não precisa da Carteira Internacional.
O caso do tal Batista preso na Rota 1 em março, que diz que foi preso e levado direto para imigração, o que senhora tem a dizer sobre isso?
Este rapaz foi pego dirigindo sem carteira de motorista na Rota 1, nesta zona da Rota 1 eu sou a chefe do policiamento. O que tenho a declarar que ele foi parado pelo policial, e o policial verificou seus documentos e ele estava dirigindo sem carteira de motorista válida em MA. Recebeu uma multa, teve o carro guinchado e foi liberado na hora, não foi preso, e nem levado para algum prédio da imigração no centro de Boston. Todo o procedimento foi normal sem agravantes. Ele com certeza inventou esta história, o que ele está relatando nunca existiu.

OBS: Alguns membros da comunidade comentaram com a Lieutenant Flecher que conhecem muitos brasileiros que foram pegos pela State Police dirigindo sem carteira, e que os policiais fizeram ‘vistas grossas’ e deixaram eles irem embora, sem dar uma multa ou prender o carro. Uma camaradagem dos policiais com a comunidade. A Lieutenant Flecher disse que não pode comentar sobre isso.

Curiosidades a respeito da State Police de MA:
·       O estado de Massachusetts tem 2.200 policiais na State Police.
·       O QG da State Police fica na cidade de Framingham.
·       A delegacia da State Police na Rota 28 com a Rota 16, possui 28 soldados e cinco viaturas para trabalhar nesta jurisprudência, sob o comando da Lieutenant Flecher.
·         Existem policiais e viaturas volantes em todos os lugares e cidades de MA, que podem se deslocar para qualquer lugar. São as chamadas operações especiais para desvendar crimes, e prender indivíduos procurados pelo estado Massachusetts.   

Batista CG Ecrasante ganha notoriedade na comunidade, como mentiroso e falsário!


O rapaz foi capaz de produzir da sua cabeça e divulgar nas mídias sociais e imprensa uma história pessoal mirabolante com a Polícia Estadual de MA e a Imigração.

                Nem o próprio Batista conseguiu imaginar a tamanha repercussão negativa que sua trilha inventada de ‘conto macabro’ com Imigração e Policia Estadual pudesse dar. Um rapaz de 38 anos já deveria ter mais juízo na cara, mas para ele talvez o juízo ainda pode demorar muito a chegar, olha se chegar.  Batista subestimou primeiro a Policia Estadual de MA e o ICE, depois as mídias sociais e logo a seguir a boa fé dos jornais Brazilian Times e Brazilian Voice, que publicaram o seu relato. Fechou o ciclo, fez vídeos, deu entrevistas, tentou passar pânico para alguns e ganhar muita notoriedade, com a chamada ‘fui preso pela imigração’.
                Batista CG Ecrasante, que nasceu na cidade de Mantena, MG, mas aqui nos EUA se diz Italiano, e o Brasil ficou em segundo plano. Contudo quer viver no meio da comunidade brasileira aqui em Boston, acho que seria melhor se ele procurasse viver entre os italianos aqui em MA, afinal esta é a sua origem agora. No seu perfil nas mídias sociais, se diz apresentador de TV, cabeleireiro, etc. Na verdade é um infantil. Fica o alerta para comunidade, cuidado com este tipo de gente. Ele não é um rapaz perigoso, do ponto de vista agressivo, mas seus devaneios podem causar pânico em quem acreditar em suas histórias mirabolantes. Ele tem uma mente criativa, mas nem sempre é para o bem.
                De tudo que ele tentou passar para comunidade a única coisa verdadeira que existe, é que ele foi parado pela Policia Estadual, não tinha carteira de motorista, ganhou uma multa e vai ter comparecer a uma corte, foi liberado pelo Policia Estadual na hora e teve seu carro guinchado. O resto é uma trilha de novela que ele inventou para chamar a atenção sobre ele. Pobre rapaz.

Matéria publicada pelo jornal Brazilian Times e reproduzida pelo jornal Brazilian Voice
Polícia chama o ICE para hair stylist brasileiro em Saugus (MA)
Batista só não foi preso porque apresentou uma passagem para o dia 1º de abril.
Batista grava vídeo para contar sua experiência e alertar a comunidade.
                Na terça-feira, dia 20, o hair stylist Batista GC Ecrasante passou por uma experiência que jamais pensou que viveria. Ele estava na Rota 01, a caminho do Walmart de Saugus (Massachusetts) para fazer algumas compras quando foi abordado por uma viatura policial. “O policial acionou a sirene e as luzes da viatura e ordenou que eu encostasse o veículo”, fala. Até ai tudo bem, pois parecia uma abordagem rotineira, mas quando Batista entregou ao oficial o passaporte italiano e o registro do carro, foi que a pressão começou. O policial percebeu que ele não tinha autorização para estar no país e imediatamente acionou o Immigration and Customs Enforcement (ICE). Quando os agentes federais de imigração chegaram ao local perguntaram quem era Cleverson, nome em que o carro estava registrado. Batista disse que era seu companheiro e neste momento o oficial perguntou onde ele estava. “Eu disse que meu marido estava trabalhando e os agentes insistiram para que eu os levasse até ele para prendê-lo, junto comigo”, disse. Em uma live publicada em sua página no Facebook, Batista fala que só não foi preso porque apresentou uma passagem já comprada para o dia 1º de abril. “Eles checaram se ela era verdadeira e disseram que eu devo sair no país na data marcada”, fala ressaltando que eles estarão no aeroporto para checar se eu sairei mesmo. Segundo Batista, foram quase duas horas de conversa com os agentes e a experiência serviu para que ele fizesse um alerta para a comunidade. No mesmo vídeo em que relata os momentos de tensão, ele conta a história de um casal que também passou pelo mesmo problema, mas no estado de New Hampshire. Ele fala que o casal foi parado pela polícia no dia 17 e o oficial acionou o ICE. Quando os agentes de imigração chegaram, fizeram todo o procedimento e marido, mulher e filho receberam a ordem de deixar o país em 20 dias. “Eles estão sob monitoramento eletrônico”, fala. Batista faz um alerta para os brasileiros ficarem atento, pois a polícia está chamando o ICE para qualquer caso. “Como eles não podem perguntar o nosso status, chamando os agentes de imigração”, afirma. O vídeo de Batista GC Ecrasante pode ser assistido através do link: https://www.facebook.com/search/top/?q=batista%20gc%20ecrasante (OBS: ele deletou o vídeo)

Carla Chaves uma baiana sem precedentes!

            Quem é Carla Chaves?
                Ela é uma baiana que teve suas conquistas e decepções no Brasil, então optou por tentar uma nova vida aqui nos EUA. Depois de ter o visto negado optou em entrar nos EUA pelo México, o caminho mais tortuoso e difícil para um imigrante. Entrou, furou a fronteira como uma guerreira, e venceu todos os seus fantasmas aqui nos EUA, e partiu para suas realizações. Caiu, inúmeras vezes, teve dificuldades, decepções, mas sempre levantou cada vez que caiu, e hoje acumula algumas conquistas de que se orgulha muito. Empresária do ramo de limpeza, vive na cidade Worcester em MA. Carla tem sua própria companhia de limpeza e adquiriu alguns bens por aqui e outros no Brasil. Há alguns anos atrás se legalizou aqui nos EUA, e decidiu por enquanto viver por aqui, mas agora com opção de ir e voltar ao Brasil sem preocupações. Apesar das facilidades e do mundo moderno que tem aos seus pés aqui nos EUA, Carla ama a sua cidade natal na Bahia, Teixeira de Freitas, ama estar em volta de sua família, seus amigos, ama e a simplicidade do seu povo, que deixou para trás.
            A reviravolta
                Carla já teve o prazer de visitar sua família algumas vezes, na verdade vive dando uma fugidinha sempre que pode para se esconder em Teixeira de Freitas. Numas destas tantas visitas conheceu o projeto do seu irmão Fábio Brito Chaves, um empreendedor e inovador, ele é multifuncional, rotariano, advogado dos quadros da OAB/BAHIA, presidente do Grupo Fast (lojas de material de construção, bebidas, torno e solda, prestação de serviços para seguradoras), assessor jurídico de associação de idosos, assessor jurídico do Sindicato do Comércio da cidade, diretor da pasta SPC da Câmara de Dirigentes Lojistas.
Carla se apaixonou fazendo então parte desta tão sonhada ‘Fast Bio Recicle’,uma empresa voltada para a reciclagem de lixo na sua cidade. O projeto se encontra em fase de execução sendo que recentemente Carla esteve por um mês em Teixeira de Freitas onde a empresa já está em funcionamento. Na gestão operacional conta com Luciano Menezes que além de ser um dos idealizadores, desempenha um papel importantíssimo no dia a dia da empresa.
            Fast Bio Reclicle – Teixeira de Freitas, BA
                O projeto está em pleno vapor, e em sua fase inicial já domina o mercado no segmento. No Brasil a reciclagem de lixo é obrigatória para todas as cidades, sendo regida pela ‎Lei 12.305 · ‎Lei nº 11.445,  ‎Decreto Nº 7.404, de 23 e ‎Decreto nº 9.177. Todos os municípios tem que reciclar os resíduos que produzem as fabricantes, o comércio e o cidadão possuem papel fundamental para a manutenção do sistema. Os lixões, que deveriam ser aterros sanitários, onde os catadores de lixo proliferam e tem uma subvida, tende a diminuir com as empresas de reciclagem de lixo. No Brasil a reciclagem de lixo se divide em lixo seco e molhado, o lixo seco que é reciclado é composto por papel de todo tipo, plástico de todo tipo, metal de todo tipo e vidro, o molhado é descartado. Lixo molhado e tudo aquilo que é úmido, ou seja, resto de comidas, material de banheiro (higiene pessoal).
 Este foi o meio pelo qual no Brasil houve um entendimento de facilitar as coletas de lixo semonerar os custos com  a separação de lixo. Tirar os catadores de lixo dos lixões, pagar pelo serviço deles, dar uniformes, alimentação, um salário, e um eventualmente um atendimento médico, é um dentre tantos fatores que encanta a Carla causando-lhe grande emoção ao falar sobre o tema. Se sentindo responsável e feliz por ajudar tanta gente. Sua cidade fica ‘lá onde a vaca perdeu as botas’ Teixeira de Freitas, é uma cidade com 170 mil habitantes que assim, como tantas outras no Brasil, possui grande diversidade entre seus moradores, sendo uns muitos ricos, outros muito pobres porém, pujante no desenvolvimento, vem se mostrando como uma das cidades que mais cresce na Bahia. Com isso, vem também os problemas e, é justamente ai que o morador pode fazer a diferença, com empreendedorismo e garra porque empreender no Brasil é para heróis. A comunidade pobre que vive da reciclagem,precisa de ajuda, e está recebendo incentivo para colocar seus filhos na escola, ter um salário e algum tipo de alimentação regular todos os dias. ‘Essas pequenas conquistas para eles é alcançar a sustentabilidade e isso não preço, este trabalho com cunho social me motiva e me realiza’, disse Carla.
                ‘O projeto está no inicio, mas já esta funcionando, meu irmão e eu compartilhamos os mesmos pensamentos, e queremos as mesmas conquistas e fazer um trabalho com um cunho social tão grande, que completa minha alma’, novamente afirma Carla. A empresa não existe meramente para comprar ou vender material reciclável, sua principal atividade é trabalhar no sentido de educar, ensinar, recolher, separar, destinar e incentivar as pessoas a separarem em suas casas, empresas, escolas e instituições. Hoje temos uma média de 30 catadores cadastrados e trabalhando na empresa ‘Fast Bio Recicle’ e ainda contamos com 8 funcionários dentro do nosso depósito. Os cadastrados com a empresa já gozam de uma renda suficiente para manterem a si e suas famílias. Estamos sempre as sextas-feiras com atividade de cunho social, levamos o alimento durante o programa do Lucas Bocão (radialista) Rádio Caraipe 100.50FM e trocamos por material reciclável, incentivando e educando os moradores.
                A Rádio Caraipe 100.50FM que pode ser sintonizada dos EUA, através do radialista Fernando Moulin, já se atentou para a grande mudança nos hábitos urbanos e rurais e, esse movimento vem crescendo a cada dia. Os sites locais também tem dado uma atenção especial à reciclagem, o www.vidadiaria.com.br através da jornalista Mirian Ferreira, além de divulgar as várias campanhas, vem demonstrando para a sociedade a necessidade da preservação.  Pode até não parecer muito, mas para nós, qualquer ato que proteja a natureza, gere renda para o cidadão, é motivo para comemorar. Estamos crescendo e vamos fazer a diferença.
                O poder público, através da Secretaria de Meio Ambiente vem fornecendo apoio extremamente necessário porque está diretamente ligado à resolução do problema. O secretário José Archângelo Depizzol e sua equipe entende das demandas, e vislumbra que é algo importante e com isso Teixeira de Freitas só tem a ganhar. Preocupados em não transferi somente para o poder público essa responsabilidade de cuidar da cidade, a Fast Bio Recicle através da parceria firmada com a secretaria de agricultura vem recolhendo as sobras de alimentos na feira livre aos sábados. O secretário da pasta, Dorivaldo de Almeida Neves preocupado em ver a cidade mais limpa e organizada, sabe da importância de trabalharmos juntos para consegui.
                É bom você poder devolver algo para sua comunidade, ajudar pessoa simples e humildes que por algum motivo ainda não conseguiram vencer na vida, é muito prazeroso, é o retorno da auto estima para  almejarem  algo mais para suas vidas. Somos sabedores que o progresso enfrenta resistências e tudo está envolto na educação, por isso a Fast Bio Recicle ministra palestras, ensinando como separar, como doar, onde levar o material reciclável. Sem procurar culpados, mas procurando a solução, em parceria com órgãos públicos e privados, vamos mudar o aspecto da cidade sobre todos os prismas. A classe empresarial tem aderido ao projeto com grande entusiasmo, entregando o material que produzem em suas casas nos eco pontos, (unidades de recolhimento de reciclagem) espalhados pela cidade, empresas de diferentes setores, desde as automobilísticas até pequenas mercearias estão direcionando seus materiais.
                As instituições da rede privada de ensino estão adeptas ao projeto, desenvolvendo junto aos seus colaboradores as ferramentas necessárias para a pratica. Reconhecendo a necessidade da educação e da proteção ao meio ambiente. As escolas estimulam os alunos a levarem para a unidade de ensino todo o material que produzem em casa, fazendo dessas crianças,cidadãos responsáveis no futuro e a Fast Bio Recicle promove o recolhimento e a destinação correta deste material. Estas instituições firmam um memorando de entendimento e cooperação onde dentre as clausulas está a de anticorrupção. O químico Claudio Queiroz que faz parte dos colaboradores, já vem desenvolvendo estudos para produção de biodiesel a partir do óleo de soja usado na fritura e produção de etanol a partir da celulose advinda de papel e papelão. Para o empresário Fábio Brito que em breve visitará as empresas do segmento nos Estados Unidos, “o mais importante é estar perto do gestor público, perto da sociedade e poder juntos, construir uma cidade melhor para seus descendentes.” O caminho é este, é árduo, é desafiador e, é por isso que somos nós os propulsores de um projeto tão ambicioso.

Sunday, April 8, 2018

Frilei Brás radialista da 650AM foi preso pela imigração


Foto Divulgação ABR
    
Apresentador dos programas Interação e Mix Brasil
            O fato se deu nesta manhã de domingo, 8 de abril, no momento que ele se deslocava da sua casa para ir à padaria na cidade de Stoughton, localizada ao lado de Boston em MA.  O assunto esta sob fortes dúvidas e detalhes da prisão, não temos ainda minúcias da sua prisão, mas é um fato que ele foi pego pela imigração e está preso. Ele é único radialista nato de origem da 650AM de Framingham. Ela era funcionário da rádio há bastante tempo, diferente dos outros apresentadores que alugam espaço na rádio, ele era uns dos poucos profissionais contratados direto pela direção da rádio. Por ter uma voz aguda e linda de locutor, Frilei era contratado seguidamente para abertura de vários eventos e shows em todo o EUA. Ele é casado, tem 3 filhos e sua esposa esta grávida esperando o quarto filho do casal. Fica difícil de entender por que a imigração foi prender o Frilei. Nossa redação ainda não conseguiu levantar muitos dados como: se ele entrou pelo México ou com visto nos EUA, ou se deixou de ir a alguma corte ou coisa assim. Aparentemente não, até por que o Frilei para todos que o conhecem de fato é uma pessoa do bem, vive para o trabalho e sua família, e nunca se meteu em nenhuma confusão se envolvendo com policia ou coisa assim. Se algum membro da comunidade conhece um caminho para ajudar o Frilei a sair da prisão, por favor, nos ajude, estamos em aberto. E fica o aviso, muito cuidado com os aproveitadores de plantão, que logo começaram a PEDIR DINHEIRO em nome do Frilei em sites ou rede sociais. Tem muito aproveitador e gente desqualificada que adora ver o sofrimento dos outros para pedir dinheiro para comunidade. Muitas vezes este dinheiro nem chega ao seu destino. Fique longe destes aproveitadores com nome e sobrenome bem conhecidos na comunidade. Voltamos a frisar se você sabe de alguém com influência que possa a ajudar a tirar o Frilei das mãos da imigração, por favor, nos ajude, deixei seu recado e vamos atrás de você para acionar a sua ajuda.

·         Rádio 650AM está com a macaca!

            Ilma Paixão gerente geral da rádio, junto com seu braço direito Johazadak Pereira e o seu assessor jurídico Niles Lang, foram demitidos e expulsos da rádio, e estão proibidos de chegar perto da emissora, isso se deu na semana passada. As razões da demissão foram administrativas e suspeita de mau gerenciamento financeiro da emissora, dados estão sendo levantados, mas não existe nada de concreto até o momento.

            Talles Paulino assumiu a gerencia da rádio desde então, e neste último fim de semana pediu demissão do cargo. A zorra que se encontra a rádio no quesito financeiro, (os salários dos funcionários estão atrasados há mais de duas semanas) e os venenos administrativos com muita briga e disputa em entre os locutores de aluguel da rádio brigando por espaços e horário na grade de programação sem falar no jogo de influência que cada um quer ter neste momento delicado da rádio, junto com a inabilidade do Alex (dono da rádio) de ter uma voz de comando, foram decisivos para saída do Telles.

            A rádio esta sob as mãos e influência da enfermeira que cuida do Alex, quem consegue ficar perto dela neste momento, recebe um alento com a influência que ela tem sobre o Alex dono da rádio. Alex inabilitado na verdade esta nas mãos de terceiros, de boa ou má fé não sabemos, só o tempo dirá, mas um novo gerente até então ainda não foi anunciado.

            Agora, esta bomba a notícia de que a imigração que prendeu o Frilei, o locutor mais querido da rádio.

Wednesday, March 28, 2018

Quem foram os banidos da Rádio 650AM de Framingham na semana passada?


 Ilma Paixão, era a Administradora Geral da Rádio 650AM.
·        Johazadak Pereira, além de ser uma assessor/conselheiro/homem de confiança de Ilma Paixão, participava da administração da rádio e tinha algumas participações especiais em alguns programas e era o responsável de atualizar o site da rádio com algumas notícias.
·       Niles Lang, advogado e funcionava também como um assessor de luxo de Ilma Paixão, dava suporte jurídico para Ilma.
                Ilma Paixão, além de ser demitida rádio na semana passada, no dia 22 de março, teve uma derrota jurídica de peso. Foi deferido contra ela pelo juiz da corte de Framingham o ‘Harassment Prevention Ordem’.  Ilma foi intimada para comparecer na corte neste dia, mas não compareceu e nem se fez representar por um advogado, logo a audiência ocorreu à revelia de Ilma. Resumindo Ilma está proibida de se aproximar das dependências da Rádio 650 e do seu proprietário Alexander Langer por um período de seis meses, ou seja, até 4 de setembro de 2018. Caso viole o ‘Harassment Prevention Ordem’ a polícia pode ser acionada e Ilma corre o risco de ser presa.

RELEMBRANDO
A demissão
O anúncio foi dado de maneira inesperada nesta segunda-feira, 19, por volta das 11h da manhã.  Alex Langer, dono da rádio, chegou ao prédio acompanhado de uma advogada, que levou a polícia junto para certificar-se que não iria encontrar resistência por parte de Ilma e Jehozadak.  Ao adentrar o prédio, pegou Ilma Paixão de surpresa. Ela estava na sala de reuniões com pessoas ligadas à rádio. Tudo foi muito rápido. De pronto Alex anunciou a demissão de Ilma e do seu fiel escudeiro, o jornalista Jehozadak Pereira. Imediatamente Alex pediu que eles se retirassem do prédio. Ilma e Jehozadak nem tiveram tempo de falar nada, diante do aparato policial e da comitiva de despejo de Alex Langer. Eles foram literalmente despejados do prédio sem muito lero, lero.
A origem da demissão
Há alguns anos, Ilma Paixão assumiu a gerência da Rádio 650AM. Sua posse foi uma festa. Com promessas mirabolantes, assumiu a cadeira de gerente geral da rádio. Ilma começou bem, e foi até motivo de uma matéria de capa do Hello, onde na ocasião prometia ‘mundo e fundos’ na sua administração. Aos poucos Ilma cresceu na comunidade através de seu cargo na rádio. Antes de seu trabalho na rádio, ela atuou em vários campos e lugares como ativista comunitária em MA. Em uma de suas passagens como profissional aconteceu algo não muito agradável. Ela foi presa pela polícia de Framingham quando era gestora da Bramas, uma ONG Comunitária de Framingham. Sob a acusação de desvio de dinheiro na sua administração. O fato lhe rendeu fotos e matérias em inúmeros jornais locais, inclusive no Metro West News, comentando sua prisão. Esse assunto foi arquivado e Ilma se safou. Voltando à 650AM, o motivo de sua demissão na rádio, onde era Gerente Geral, foi por suspeita de má gestão financeira da rádio, e muita incompatibilidade com inúmeros funcionários e radialistas. Ela, inclusive, demitiu algumas pessoas que trabalhavam há anos na rádio, criando um mal estar geral. Porém o fator financeiro pesou mais para a sua demissão. Entre as reclamações, a que não prestava contas ao Alex a respeito do faturamento da rádio, foi vital para a sua queda. Nada de concreto foi revelado ainda. Eles estão apurando dados e é muito cedo para dizer se houve ou não um desvio financeiro, ou se ela estava levando alguma vantagem financeira em troca de algumas regalias para este ou aquele, dentro da rádio. Tudo vai ser revelado ao seu tempo, mas o fato é que Alex deu um basta na sua administração que não estava compatível com o que foi acordado. Jehozadak Perreira, por ser um fiel escudeiro de Ilma e compactuar com ela nas decisões administrativas de peso da rádio, agregado ao fato de que tinha alguns problemas de relacionamento com colegas da rádio, não tinha mais como ser mantido na emissora. Foi despedido junto com sua chefe.

Passando a limpo os advogados que atual na nossa comunidade
·         Esclarecimento sobre o Advogado Niles Lang
                Niles Lang – Advogado - Ele obteve a licença para atuar como advogado há 27 anos no BAR do Estado de New York, em 1990. Ele não tem uma licença para atuar no estado de Massachusetts. Porém usa do ‘jeitinho brasileiro’ ou melhor, o jeitinho americano para burlar legalmente a dificuldade de advogar no Estado de Massachusetts, ou seja, usa a licença de um advogado credenciado em Massachusetts. Ele poderia estudar as leis de Massachusetts e se submeter ao BAR de MA e tirar uma licença em MA para atuar em MA, mas optou por não arriscar e se submeter ao BAR de MA. Optou pelo caminho mais fácil, se encostar na licença de um amigos aqui no estado de MA.  Resumindo usa a licença de terceiros para trabalhar por aqui. Se ele cometer algum deslize de mal prática na profissão aqui em Massachusetts o advogado que aceitou ceder ou emprestou a licença do BAR para ele atuar em MA sofre as consequências.  
·         Alerta para comunidade
                Assim como o Advogado Niles Lang, sem uma licença oficial do BAR do estado de MA para trabalhar na sua profissão, tem muito outros que se encostam em algum amigo local, as vezes, pagam para usar a licença de terceiros aqui MA. Sinceramente comunidade brasileira, se todos nós tivermos um pouquinho de bom senso, saberemos que não existe vantagem nenhuma em usar estes advogados que não tem uma licença oficial de Massachusetts para atuar aqui no estado. Vamos procurar um advogado local, com raízes aqui no estado.
·         Por que os advogados que não tem licenças para atuar em MA vem para cá?
                Aqui tem um grande núcleo de imigrantes, e é onde o dinheiro está para quem atua na área de imigração. Ou seja, estes advogados vem para cá para faturar alto em cima da comunidade, já tivemos alguns casos de advogados que usaram licenças de terceiros para atuar em MA, que foram condenados judicialmente por não darem suporte aos seus clientes. Onde você encontra qualquer informação de qualquer advogado dos USA?  No site https://www.avvo.com/ e lá você pode colocar um comentário sem nenhum risco de represálias sobre a qualidade do serviço do advogado. Se for bom elogie, se for ruim divulgue. 
Classificação de alguns advogados de imigração com licenças aqui no Estado de MA de acordo com o site  https://www.avvo.com/:
Advogado                          Classificação
Michele da Silva              Avvo Rating: 8.7
Antonio Viana                  Avvo Rating: 7.9
Bryan Carr                       Avvo Rating: 7.1
Jill Santiago                     Avvo Rating: 7.0
Javier Pico                       Avvo Rating: 6.8
Stephan E. Bandar           Avvo Rating: 6.7
Michele Moreira             Avvo Rating: 6.7
William Joyce                 Avvo Rating: 6.5
Hannah Krispin              Avvo Rating: 6.3
Danilo Brack                  Avvo Rating: 6.3
Ludovino Gardini           Avvo Rating: ---
Melissa McNamee         Avvo Rating: ---
Melanie Soloman           Avvo Rating: ---
Alguns preços de serviços - Avvo Legal Serviços
30 minutos consulta com advogado: $69.00
Aplicação revisão para cidadania: $149.00
Aplicação para cidadania: $595.00
Aplicação revisão H-1B visa: $199.00
Aplicação para uma família para Green Card: $2,995.00

Wednesday, March 21, 2018

Queda Brusca de Ilma Paixão e Jehozadak Pereira da Rádio 650AM de Framingham



A demissão

O anúncio foi dado de maneira inesperada nesta segunda-feira, 19, por volta das 11h da manhã.  Alex Langer, dono da rádio, chegou ao prédio acompanhado de uma advogada, que levou a polícia junto para certificar-se que não iria encontrar resistência por parte de Ilma e Jehozadak.  Ao adentrar o prédio, pegou Ilma Paixão de surpresa. Ela estava na sala de reuniões com pessoas ligadas à rádio. Tudo foi muito rápido. De pronto Alex anunciou a demissão de Ilma e do seu fiel escudeiro, o jornalista Jehozadak Pereira. Imediatamente Alex pediu que eles se retirassem do prédio. Ilma e Jehozadak nem tiveram tempo de falar nada, diante do aparato policial e da comitiva de despejo de Alex Langer. Eles foram literalmente despejados do prédio sem muito lero, lero.

A origem da demissão

Há alguns anos, Ilma Paixão assumiu a gerência da Rádio 650AM. Sua posse foi uma festa. Com promessas mirabolantes, assumiu a cadeira de gerente geral da rádio. Ilma começou bem, e foi até motivo de uma matéria de capa do Hello, onde na ocasião prometia ‘mundo e fundos’ na sua administração. Aos poucos Ilma cresceu na comunidade através de seu cargo na rádio. Antes de seu trabalho na rádio, ela atuou em vários campos e lugares como ativista comunitária em MA. Em uma de suas passagens como profissional aconteceu algo não muito agradável. Ela foi presa pela polícia de Framingham quando era gestora da Bramas, uma ONG Comunitária de Framingham. Sob a acusação de desvio de dinheiro na sua administração. O fato lhe rendeu fotos e matérias em inúmeros jornais locais, inclusive no Metro West News, comentando sua prisão. Esse assunto foi arquivado e Ilma se safou. Voltando à 650AM, o motivo de sua demissão na rádio, onde era Gerente Geral, foi por suspeita de má gestão financeira da rádio, e muita incompatibilidade com inúmeros funcionários e radialistas. Ela, inclusive, demitiu algumas pessoas que trabalhavam há anos na rádio, criando um mal estar geral. Porém o fator financeiro pesou mais para a sua demissão. Entre as reclamações, a que não prestava contas ao Alex a respeito do faturamento da rádio, foi vital para a sua queda. Nada de concreto foi revelado ainda. Eles estão apurando dados e é muito cedo para dizer se houve ou não um desvio financeiro, ou se ela estava levando alguma vantagem financeira em troca de algumas regalias para este ou aquele, dentro da rádio. Tudo vai ser revelado ao seu tempo, mas o fato é que Alex deu um basta na sua administração que não estava compatível com o que foi acordado. Jehozadak Perreira, por ser um fiel escudeiro de Ilma e compactuar com ela nas decisões administrativas de peso da rádio, agregado ao fato de que tinha alguns problemas de relacionamento com colegas da rádio, não tinha mais como ser mantido na emissora. Foi despedido junto com sua chefe.

Como fica a rádio a partir de agora

A rádio tem uma grade de programação própria, e diga-se de passagem com qualidade. A 650AM aluga espaços em sua programação para radialistas de aluguel, que produzem seus programas. Alguns programas são feitos por profissionais contratados pela rádio em alguns horários. Tudo segue normal, nada muda, e a rádio anda muito bem sozinha em suas transmissões. O time de funcionários continua os mesmos, com exceção de Ilma e Jehozadak que foram sumariamente demitidos.

Quem assume a gerência geral da rádio?

Talles Paulino passa a ser o novo Gerente Geral da Rádio 650AM. Ele é homem de confiança Alex Langer. Talles é mineiro e tem menos de um ano de América e desceu em Boston. Já trabalhou no Brasil como Promotor de Eventos, conhece as técnicas de publicidade e tem experiência no ramo publicitário. Talles também trabalhou na área administrativa da Rádio 650AM, no setor financeiro e como promotor de eventos. Ele foi contratado pela Ilma Paixão para essa função. Trabalhou seis meses na Rádio 650AM e foi demitido pela mesma Ilma. Saiu da Rádio 650AM e foi trabalhar  na Rádio 1260AM de Boston, onde trabalhou cerca de dois meses. Com a decisão do Alex de demitir a Ilma ele foi recontratado para voltar à Rádio 650AM como Gerente Geral. Ele aceitou prontamente o desafio de administrar a Rádio, como novo Gerente Geral.

A posse

Nesta terça-feira, 20 foi feita uma reunião na Rádio 650AM com funcionários, radialistas e amigos da emissora para a apresentação oficial do novo Gerente Geral, e para acalmar os ânimos de todos os funcionários e locutores que alugam espaços na rádio. Foi dito a eles que nada vai mudar no dia a dia da rádio. A nova direção vai manter tudo o que estava sendo feito com alguns ajustes pontuais e bola pra frente.



OBS: A redação do Hello tentou fazer contato com a Ilma Paixão mas não obtivemos retorno até o final desta edição.

       

DESLIGAMENTO da Rede Abr A Brasileira de Rádio
Na manhã desta segunda-feira, 19 de março, fui comunicado do meu desligamento do Langer Broadcasting Group LLC, Rede Abr A Brasileira de Rádio, onde trabalhei como contratado desde março de 2012, foram anos proveitosos para mim. Recentemente solicitei o meu desligamento por duas vezes por vontade própria e não fui atendido. Quero de público agradecer ao Alexander Langer, à Ilma Paixão, ao staff, locutores, funcionários, anunciantes e ouvintes a atenção que me foi dispensada. Continuarei desenvolvendo o meu trabalho de informação comunitária através do blog MundoYes.com, e dos outros canais de informação que disponho.
Desejo ao Langer Broadcasting Group LLC, toda a sorte de bênçãos de Deus.
Jehozadak Pereira
Jornalista

Wednesday, March 7, 2018

Minha infância e adolescência, cheias de memórias e lembranças incríveis.


Crônica

    

                As coisas andaram. O mundo deu uma evoluída fantástica. Olho para esta garotada que está aí e percebo que já virei os 50, mas me remeto aos meus sete anos. Falo dos sete anos por que a partir daí tenho lembranças mais claras do meu passado. A TV lá em casa era preto e branco, mas a primeira TV na minha casa só chegou quando eu tinha nove anos. Antes disso o vizinho tinha comprado uma e eu ia lá assistir com os filhos dele. Naquela época a TV exibia alguns programas que eu adorava: Rin Tin Tin, Os Três Patetas, A Grande Família e por ai vai. Na minha infância não se ficava o tempo inteiro na frente da TV. Tudo tinha um horário determinado até por que o meu lazer preferido quando criança era ‘jogar taco’. Isso sem falar nas bolinhas de gude, futebol, andar de patinete, carrinho de lomba com rolimãs, subir o morro que tinha perto de casa, andar de bicicleta, dentre outras diversões inesquecíveis.

                A nostalgia me leva ao meu passado, que foi simplesmente espetacular. Amo minhas lembranças de criança. Não posso esquecer os meus anos de internato na escola. Isso mesmo. Eu ficava a semana inteira na escola, literalmente internado, e só voltava para casa nos finais de semana. Depois de quatro anos no internato integral da escola, minha mãe me transferiu para outra escola. Passei para o semi-internato, ou seja, eu passava o dia inteiro na escola e só voltava para casa à noite. Essa coisa de ‘internato na escola’, para alguns pode parecer um tipo de prisão, uma coisa apavorante. Quando comento isso, as pessoas não compreendem o valor que tinha e tem hoje em dia um colégio interno. No colégio interno se aprende de tudo, inclusive o convívio sadio entre meninas e meninos. Os colégios internos que frequentei eram mistos; meninos e meninas.

Isso aconteceu no ano de 1967. A concorrência era ferrenha. Conseguir uma vaga em um colégio interno era mais difícil que conseguir passar no vestibular nos dias de hoje. Era uma média de 200 candidatos por vaga. Era também muito caro e parece que continua até hoje. É fácil imaginar por que: cama, mesa, banho, estudos, roupa lavada, atividades, e ficar uma semana inteira na escola saindo só nos finais de semana, definitivamente não era para qualquer um. Custava uma ‘grana preta’ e volto a repetir, custa até hoje, escola de turno integral é algo especial para os pais que querem dar uma educação diferenciada para os seus filhos. Nos dois primeiros dias na escola interna eu chorei, queria voltar para casa. Eu tinha apenas sete anos. Mas tudo se tornou familiar muito rápido. Dividir o dormitório com mais de 100 crianças não era fácil. Porém a privacidade de cada um não era violada. O banheiro era para 30 pessoas. Então ele possuía: 30 chuveiros, 30 pias e 30 vasos, etc.

Era obrigatório ser solidário nesse ambiente coletivo. Fazia parte da educação coisas como: turmas alternadas de crianças para limpar e usar os banheiros e para tomar banho. Ao acordar de manhã todos tinham que arrumar suas camas e ficar ao lado delas para uma supervisão da freira. Tínhamos que ajudar dois garotos dos total de 100 que faziam xixi ou cocô na cama, todos se revezavam nesta função. Escovar os dentes tinha horário. Na verdade tudo tinha horário. Só não tínhamos horário para utilizar os banheiros. Lembro-me com carinho que o colégio tinha uma grande horta. Uma vez por semana nós éramos encarregados de cuidar dela. Ali nós plantávamos mudas e capinávamos os matinhos que cismavam em crescer ao redor das hortaliças. A horta era linda. Colhíamos laranjas do pé, bergamota, pêra, goiaba, dentre outras frutas.

                Volta e meia tínhamos competições com outras escolas, desfiles na rua principal da cidade de Viamão, RS, apresentações, jogos, dentre outras disputas. O prédio do colégio era administrado pelas freiras. É um prédio enorme de três andares e lembra um grande convento. Devia mesmo ser um convento devido ao grande número de freiras vivendo e trabalhando lá. O prédio possuía duas alas: a ala masculina e a feminina. Durante o período de aulas, as refeições e as atividades eram coletivas. Meninas e meninos ficavam juntos, sob o forte controle das freiras. Minhas notas eram muito boas. Não tinha como ser diferente. Era tudo muito organizado. Não tinha outro jeito. Tinha que estudar.

                Todas as roupas de uso pessoal, tais como: cama e banho, etc., eram identificadas com o número 110. Quando precisava de alguma roupa, qualquer que fosse eu me dirigia ao balcão da rouparia dizia o meu número e pegava o que eu precisava. Repetindo, éramos 100 meninos e mais 100 meninas do outro lado. A escola existe até hoje. Não mais em regime de internato. O nome dela é Stella Maris. Ela fica na cidade de Viamão, no Rio Grande do Sul.

                Como já disse anteriormente colégio interno era coisa cara, coisa de gente rica. Minha mãe não tinha como pagar. Eu entrei no colégio Stella Maris com uma bolsa de estudos, mas minha mãe me avisou que se eu ‘rodasse’ algum ano perderia a bolsa, então eu tinha que fazer a minha parte de ter um bom desempenho. Minha mãe gastou uma fortuna para comprar o meu enxoval e coisas para o meu uso pessoal na escola, além de bordar peça por peça com o número 110. O bordado era vermelho. Lembro-me como se fosse hoje.

Eu vivia com minha tia-mãe adotiva. Ela era solteira e era irmã da minha mãe verdadeira. Logo tudo em casa. Ela me criou desde o primeiro ano de vida e me adotou de fato quando eu fiz seis anos. Fizemos um combinado de eu não perder nenhum ano para que o sacrifício dela em me ajudar com aquela educação diferenciada, conseguindo a tão sonhada bolsa, não ser em vão. Eu não queria decepcioná-la.  Eu não tinha o direito de tirar notas ruins, e fiz a minha parte nunca perdi nenhum ano.

                Minhas notas sempre foram ótimas. Ainda guardo os meus boletins do Stella Maris em minha casa aqui em Malden, MA. Minha mãe Dalila era fantástica, guardou tudo que podia e achava relevante da minha infância. Ela me deu minhas memórias destes tempos depois que passei dos 20 anos. Fiquei internado no Colégio Stella Maris do primeiro ao quarto ano primário. Saí então do sistema de internato e passei para o sistema de semi-internato. Nessa época eu passava o dia inteiro na escola e à noite voltava para casa, mas não era mais o colégio Stella Maris, era a Escola São José em Porto Alegre bem no centro da cidade ( sai do interior e fui para capital do estado), que depois de um tempo mudou o nome para Escola Medianeira. Ela também era administrada por freiras e padres. E lá estava eu com a minha bolsa de estudos. Essa escola ficava na Av. Alberto Bins em Porto Alegre, ao lado do Hotel mais luxuoso da cidade à época: o Plaza São Rafael. Um hotel 5 estrelas que está no mesmo endereço e continua funcionando. Àquela época o hotel parecia coisa do outro mundo.

                Minha mãe trabalhava duro. Solteira. Só eu e ela em casa. Ela era vendedora nas famosas Casas Pernambucanas. Tinha um bom salário. Nossa casa era grande e própria. Vivíamos bem. Sou muito grato a ela pela boa educação que me deu. A Dalila, minha mãe adotiva, já não está mais entre nós, mas eu tive tempo de cuti-la muito.  Eu já morava nos Estados Unidos quando ela veio a falecer,  mas eu já possuía o Green Card e tive oportunidade de visitá-la várias vezes no Brasil. Ela morreu com mais de 80 anos. Bem vividos. Tenho muito orgulho dela. Ainda sinto sua falta. Ela sempre foi e ainda é um grande exemplo de vida para mim. Seus ensinamentos andam comigo até hoje. Meus filhos vivem e praticam parte destes ensinamentos que acreditam tenham vindo de mim, mas muita coisa veio dela. Bons tempos!




Wednesday, February 14, 2018

Padre Scaravelli causa constrangimento, mal estar e revolta em aniversário15 anos


                 Um ano de preparação, um sonho, um dia único, singular preparado minuciosamente detalhe por detalhe, do menor ao maior, para que tudo se realizasse com perfeição, sem erros, sem atropelos. O sonho da Yslla Vieira ao completar 15 anos e de seus pais, Tábata Santos/Vieira e seu esposo Mauro estava a um passo de se completar. O dia programado para execução e prática do que seria uma lembrança eterna foi 27 de janeiro, 2018, sábado, no Salão Paroquial da Igreja Católica de Framingham. 
                A festa custou uma fortuna, os números são alarmantes, foi preciso muito preparo financeiro, organização, e dedicação para o grande momento. ‘Sonhos que viram realidade se e perpetuam na vida de quem os realiza. Quem não realiza seus sonhos, ou não se prepara para um dia vive-los, desconhece a plenitude de uma conquista’, diz Tábata mãe da Yslla.
                Com este intento a Família Vieira ofereceu a festa de 15 anos para sua filha Yslla Vieira. Foram mais de 300 convidados, com um ‘ buffet’  farto de qualidade, animação, decoração, entretenimento, luzes, roupas, pista de dança, telões, limusine e tudo que se pode imaginar do melhor, com perfeição, tudo de primeira,  tudo isso e muito mais fizeram parte da festa que brilhou no Salão Paroquial do Igreja Católica de Framingham, até a hora em que a arrogância, prepotência, despreparo, e por que não dizer um certo de desprezo motivado por alguma razão desconhecida da família de Yslla veio a tona por uma atitude estranha de um dos convidados da festa que coincidentemente também é o atual chefe da manutenção da igreja o ‘Sr. Paulo de Assis’.   O Salão Paroquial foi alugado até as 2hs da manhã, logo, o serviço todo da festa foi contratado para trabalhar e animar a festa até as duas horas da manhã, tudo isso acertado meses antes do evento. Tudo estava correto e acordado entre o Padre Scaravelli e família de Yslla. Porém no sábado 27 de janeiro, tudo estava correndo as mil maravilhas conforme o programado, preparado e combinado. Entretanto quanto a festa estava no auge às 23hs45min, entrou em cena a prepotência e arrogância estranhamente de um dos ‘convidados da festa’ um Sr. chamado ‘Paulo de Assis’ que é o atual funcionário da manutenção da paróquia, e diante de uma transformação súbita, do nada se dizia responsável pela festa.  De uma maneira inacreditável o convidado ‘Paulo de Assis’ volto a frisar, um anônimo para muitos até então entrou em cena, e virou senhor da festa da Yslla, e deu o comando para acabar a festa. E já foi logo avisando que todo mundo tinha que sair do salão rapidinho. Ninguém entendeu este ‘Sr. Paulo’ que ganhou volume do nada e se mostrava intransponível e com plena autoridade paroquial. Os pais da Yslla foram argumentar com o tal ‘Paulo de Assis’. Porém o ‘troglodita’ funcionário se mostrou que irredutível, simplesmente desligou a energia do som, acendeu as luzes do salão e deu o comando; ‘ Pessoal: ‘Fim de festa’.
                Diante do fato: -“Alto lá”, gritaram os pais da Yslla. “Pagamos para usar o espaço até as duas horas da manhã, fizemos um acerto com o Padre Volmar Scaravelli, meses antes, pagamos todos os serviços da festa; como música, alimentação, entretenimento, etc, etc, até as duas da manhã. É inadmissível alguém nos correr assim e todos os nossos convidados”, argumentou a Tábata mãe da Yslla. Porém o ‘inopino’ funcionário da paróquia/convidado da festa se dizia cumprir ordens do Padre Scaravelli, e mais uma vez se mostrando totalmente irredutível, deu um ponto final na festa, ou seja, no auge da festa. Os pais de Yslla entraram em pânico, houve discussão, bate boca, choro, constrangimento, cerceamento de direito acordado previamente, prejuízos com os custos da festa que neste caso, terminou duas horas antes do combinado. Yslla e sua família receberam o conforto de todos os convidados, mas a imagem que ficou com a família de Yslla e seus convidados, é que a igreja, o padre, o prepotente funcionário da paróquia ‘Paulo de Assis’, usaram de total arrogância sem precedentes.
                Passado o evento os pais de Yslla agendaram uma reunião com o Padre Volmar Scaravelli, com o Padre Solimões e o tal do funcionário Sr. Paulo de Assis. Queriam falar sobre o acontecido, uma vez que o Padre Scaravelli não apareceu na igreja no dia da festa (Scaravelli estava viajando para o Brasil). ‘Queria ficar em paz com a igreja, talvez ouvir um pedido de desculpa do Padre Scaravelli, ou do próprio Sr. Paulo, algo como; ‘houve um mal entendido’. (mas Scaravelli recebeu os pais da Yslla sozinho). E logo na primeira fala do Padre Scaravelli foi visível e claro a total arrogância dele referente ao fato. Uma prepotência sem limites, e em nenhum momento tentou atenuar o ocorrido’ disse Tábata mãe da Yslla ao Hello. ‘Humildade, agregar fieis, clientes da paróquia, desculpas ou abrandar, são palavras e atitudes que não existem no vocabulário do Padre Volmar Scaravelli, que se acha um Deus da comunidade brasileira em Framingham. O pior, um Deus intransponível e com muita força política dentro da Igreja Católica. Qualidades e adjetivos que não combinam com alguém que diz e fez juramento de ser um sacerdote de Deus durante o tempo de seu ministério como Padre’ arrematou Tábata. Estamos totalmente decepcionados!
Padre Volmar Scaravelli!
O Padre Volmar esta sob o comando da Paróquia de Framingham há muito anos, porém quando houve o ‘Fora Padre Ademir Guerini’ em Somerville (que foi denunciado pelos fieis de abusos com os membros), ele o Padre Scaravelli foi transferido da Paróquia de Framingham para Somerville, para alegria de muitos fieis em Framingham, mas não demorou muito tempo até Scaravelli mexer seus pauzinhos políticos na cúpula da Igreja e para voltar a Framingham. Ele é muito conhecido na comunidade brasileira como ‘Padre Problema’, afinal ele acumula inúmeras reclamações de muitas famílias onde congrega em Framingham, mas cúpula da igreja ignora tais fatos. O Padre é conhecido por beber muito, é ele até já perdeu a carteira de motorista contumazmente aqui nos EUA por dirigir embriagado, uma conduta inaceitável para um líder espiritual e sacerdote de mais 600 membros brasileiros que congregam na Igreja Católica de Framingham. As denuncias que chegaram a nossa redação são de membros da comunidade católica de Framingham que reforçaram as esperanças depois de ver o conteúdo do Hello com detalhes do Padre Ademir (Somerville) ser transferido, também alimentaram esperanças de em algum momento ver o Padre Volmar Scaravelli longe da paróquia de Framingham. Mas, como afirmamos antes a força política dele dentro do ‘Clero Católico de Boston’ é alta. A cúpula da Igreja não o transfere e tenta de alguma forma contemporizar os problemas do Padre Scaravelli, que se auto-denomina ‘intocável na igreja’ e amigo íntimo do Papa Francisco. Existem outras denuncias contra o Padre Scaravelli. relacionadas a dinheiro, compra de regalias na casa paroquial (banheira de hidro-massagem), grosserias com a irmandade e envolvimento duvidoso com a Brazilian-American Center que tem sede na própria dentro do prédio paroquial da igreja. O Padre Scaravelli é conhecido na comunidade em Framingham como "Money Priest" e por ai vai... 
Tentamos fazer contato com o Padre Scaravelli mas não fomos atendidos ou recebemos retorno por parte da casa Paroquial.

Wednesday, January 17, 2018

Brasileiro ganha carro zero em sorteio de programa de Rádio em Boston



           Promoção do Natal Premiado do programa da Rádio Mania chega na sua 4 Edição e entregou neste último fim de semana nada mais nada menos que 1 carro zerinho da Ford, 39 TVs 32’, 1 Gift Card de $1,500.00 e 2 Lambretinhas de 50cc.

            Esta história de Natal Premiado começou em 2014, com os locutores e produtores desta promoção Alfredo e Rose Plazzi, e lá se passaram 4 anos. Sem sombra de dúvidas eles com seus patrocinadores são os maiores premiadores da comunidade brasileira fora do Brasil. O valor total dos prêmios passa da casa de $30 mil dólares no total.

Alfredo e Rose Plazzi estão a frente do ‘Programa Rádio Mania’ há mais de 14 anos. O programa é em português e vai ao ar todas as manhãs de segunda a sexta e hoje fazem parte do dia a dia da comunidade, com muita informação, interação, enquête, humor e simpatia. Todo o brasileiro da comunidade de Boston sabe que são os locutores ‘Pastor Alfredo e sua esposa Rose’ e curtem interagir com eles todas as manhãs. A ‘Rádio Mania’ vai ao ar todos os dias de segunda a sexta-feira das 9 às 10hs da manhã na 1360AM.

‘Me sinto feliz e orgulhoso de poder oferecer uma premiação digna como esta para nossa comunidade de Boston, em uma época tão especial como Natal’, disse o Pastor Alfredo ao entregar os prêmios.

                Toda esta premiação vem dos patrocinadores, que são empresários brasileiros e americanos da Grande Boston. A premiação consiste de que todo o brasileiro que consumir produto destes patrocinadores recebem um cupom, que depois de preenchido é colocado em urna lacrada que fica em cada loja. A promoção começa meses antes do Natal e no dia determinado as urnas são recolhidas e abertas publicamente no dia e hora do sorteio. Todos os cupons são colocados a disposição e se efetua o sorteio na presença da imprensa e qualquer um que queira presenciar o pleito. Ali se sabe os nomes dos ganhadores.

                O premio maior este ano foi ‘Um Ford Focus Zerinho’ oferecido pela Ford de Medford que tem o Ênio Drumont, na sua equipe de vendas como brasileiro. Ênio trabalha na nesta concessionária da Ford há mais 25 anos e é quem junto com os organizadores do evento entregaram a chave do carro ao ganhador que foi o sortudo Amarildo Ferreira, 54 anos, também morador da cidade de Medford. Amarildo vive aqui em Massachusetts há mais de 20 anos, é natural de Conselheiro Pena, Minas Gerais, é casado e tem dois filhos.

‘Estou muito feliz de ser o ganhador deste carro, foi o maior presente de Natal que ganhei em minha vida. Já tenho o meu carro e vou repassar este ‘Zerinho’ para o meu filho que não tem carro, como o meu presente de Natal’, disse Amarildo ao Hello Brasil Boston News.