Thursday, December 19, 2013

Ilegais tomam empregos dos nativos ou será o contrário? Mercado sofre reviravolta em Massachusetts

Ilegais tomam empregos dos nativos ou será o contrário?
Mercado sofre reviravolta em Massachusetts
Um dos fatores que mais assusta o americano no tocante a imigrante ilegal, e perder posições de trabalho para ele. Apesar de todo mundo falar que o imigrante não toma o emprego dos nativos, por que ele faz o trabalho que o cidadão americano se recusa a fazer. Portanto falta mão de obra para suprir esta demanda, ai o imigrante ilegal entra em ação. Tudo nos conforme.

Isso já foi uma realidade, hoje no mínimo deixa algumas suspeitas perigosas, não para os americanos, mas sim para imigrantes ilegais. A redação do Hello funciona dentro da comunidade, conversando com nossos compatriotas, visitando cidades, lojas, comércios, etc., a onde tem brasileiro lá estamos nós.

Encontramos um comercio forte na comunidade, um mercado de trabalho vigoroso, criativo e dinâmico. Nossa comunidade cresce e cresce muito e se fortalece mais a cada dia. Isso é visível e perceptível a qualquer um que se digna a entrar no meio dela e virar nossa comunidade do avesso, e ver com seus próprios olhos, tirar seus próprios conceitos, deixando de lado as fofocas maliciosas, os boatos pessimistas e alguns poucos como dizemos lá no sul, ‘borrachas cansadas’ (isso significa para nós, pessoas que não tem mais força, não se desdobram, não espicham mais como antes)

O que nos chamou a atenção nesta nossa investida na comunidade é que existem muitos americanos invadindo o nosso mercado de trabalho. Não só americanos, mas hispânicos também. Falo do mercado brasileiro de trabalho. Nossos empresários brasileiros estão contratando, hispanos e americanos para seus comércios. 

Por que isso está acontecendo? Por que de acordo com os empresários brasileiros os hispanos trabalham mais, reclamam menos e permanecem no emprego muito mais tempo que os brasileiros, além de raramente chagarem atrasados ou faltarem ao emprego.

Quanto aos americanos que os empresários brasileiros estão contratando é para aumentar o leque de clientes nativos, e ao mesmo tempo proporcionar para nossa comunidade uma integração maior com os nativos do país.

Maliza Egan, 22 anos, natural da Venezuela, morava em Watertown, pertinho de Boston, e como estava desempregada foi procurar um emprego na internet, achou o anuncio de um empresário brasileiro em Framingham. Ela foi para entrevista. Foi contratada, e já esta trabalhando há mais de 5 meses. Hoje se mudou para Framingham, para baixar o custo de deslocamento.

‘Estou muito feliz no meu trabalho, trabalhar com brasileiros é uma experiência nova na minha vida. Gosto deles eles são divertidos, alegres. Este esta sendo o meu primeiro contato com a comunidade brasileira, mas definitivamente daqui para frente já me sinto parte dela’, disse Maliza ao Hello Brasil News.

O mesmo empresário também contratou mais duas americanas nativas para trabalhar no seu estabelecimento, contudo a grande maioria dos seus funcionários são brasileiros mesmo.

Assim como ele têm vários outros empresários brasileiros contratando funcionários de outras nacionalidades para fazer parte dos seus efetivos profissionais.

Definitivamente o mercado de trabalho brasileiro esta atraindo todas as etnias. E pensar que tem muita gente que gosta de falar que nossa comunidade esta morrendo, ledo engano estamos crescendo e cada vez se integrando mais.

Mas aquela história de ilegais tomarem o emprego dos nativos, será que vamos viver uma reviravolta nesta história? O tempo dirá!

HBN – Paulo Monauer
Foto Paulo Monauer
www.hellobrasilnews.com
facebook - Hello Brazil News

Veja as Manchetes

Alguns dos melhores presentes do Hello Brasil News para comunidade em 2103
Veja as Manchetes
Votação Privada - Consulado ressuscita cargo e agita comunidade
Ilma Paixão é eleita a nova membro do CRBE, representando apenas 8 brasileiros dos 300 mil que vivem em Boston, inclusive dois destes 8 que votaram nela tinham só um dia dentro do Estado de MA. Votação arranjada? Total falta legitimidade. Edição 52/113

Confederação Brasileira de Futebol acusa locutor da Rádio 650 de roubo
Matéria assinada pelo jornalista Gustavo Franceschini, detonou a participação de Eduardo Meireles e 650AM na Flórida. Edição 126

CIB – Centro do Imigrante Brasileiro ou Centro de Exploração ao Brasileiro
A bomba caiu no CIB por causa de uma denuncia que foi comprovada pela nossa redação de cobrança abusiva para preenchimento de formulários de imigração que na internet é gratuito. Edição 116

Green Card rápido e facilitado para parentes de legais
Acabou a fila de espera para que tem somente o Green Card e quer aplicar para legalizar seus parentes ou cônjuges. Seus parentes podem receber a documentação em até 3 semanas. Informação sutil e exclusiva do Hello para comunidade. Edição 50

Telex Free na corda bamba será o fim?
O fechamento da Telex Free no Brasil assustou os investidores americanos. Decretada como pirâmide no Brasil teve que encarar a realidade, contudo sobrevive nos USA. Edição 48

Em qual transportadora eu posso confiar?
Volta e meia tem uma quebrando.
O quem tem de errado com estas empresas?
Por que estas coisas se repetem?
Por que elas quebram? Edição 35

BrazBoX Moving - Apaga a Luz
Foi o fim da transportadora que deixou muita gente na mão. Mais uma a falir.  Edição 95

Elas não param de Emagrecer
18 mulheres durante 3 meses concorrem em uma gincana de perda de peso sadia, sem remédios, somente com exercícios e alimentação controlada. A gincana foi um sucesso, esta matéria recebeu mais de 5 mil acessos na internet. Edição 91

Educação - Qual a melhor Opção?
Supletivo no Brasil ou Supletivo nos USA GED
Faculdade On line do Brasil ou Community College nos USA.
O Hello mostra as diferenças e deixa você ficar com a opção de escolha.  Edição 90

Devair Lucas - A casa caiu para você.
Foram 3 edições consecutivas com 3 matérias investigativas com uma farta exposição de inúmeros documentos. Devair enganou e subornou muita gente da comunidade. Ele inclusive recebeu o ajuda da ingênua imprensa local para difundir suas mentiras. O Hello exclusivamente desbancou Devair, com provas. Edição 25

Admilson Souza - Ciumento, possessivo e violento
Trabalhava na mídia local como fotografo. Este veiculo de mídia onde ele trabalhava se recusava a fazer a matéria sobre o seu funcionário quando foi procurado pela ex-namorada do mesmo. Indignada ela procurou a redação do Hello que diante de provas, boletim policial, divulgou o fato. Edição 84  

HBN – O melhor conteúdo da mídia de Massachusetts.
www.hellobrasilnews.com
facebook - Hello Brazil News

Thursday, December 12, 2013

Consulado de Boston no novo prédio. 'E como botar roupa nova com o corpo sujo'.

Consulado de Boston


Ganhou corpo novo, mas regrediu na parte interna, no seu espírito de trabalho, no que foi prometido para comunidade neste novo prédio. É como botar uma roupa nova com o corpo todo sujo. Por fora você estará bonito, mas quem chegar perto e te conhece, sabe que você esta sujo. Este é o papel do Hello Brasil News, apontar o que foi prometido, o que foi conquistado, e o que esta sendo oferecido. Na verdade tem muita diferença, e com certeza existem inúmeras desculpas que não justificam tanto descaso. Este novo consulado foi projetado, trabalhado, planejado, arquitetado, em todos os sentidos: financeiro, operacional, etc., um ano antes de abrir as portas para o público, nada justifica ter um projeto mais pobre, mais chulo do que o foi prometido, que exclui a comunidade.
O Consulado de Boston em 2013, teve tudo para continuar os progressos que tinha alcançado junto à comunidade nos três últimos anos nas mãos do Embaixador Fernando Barreto Mello. No final de 2012 ele foi embora, a ministra Maria Helena sua esposa ficou e assumiu o consulado, a partir daí começou o desmanche. Diplomatas que estavam indo bem, com múltiplas qualidades e queriam fazer um trabalho diferenciado foram atropelados pela ministra, pelo seu estilo de trabalho e de conduzir o dia a dia, acabaram indo embora ou sendo transferidos.
·       Bem vamos aos fatos
No dia 3 de maio de 2012, o Embaixador Fernando Barreto de Mello anunciou em no salão paroquial da igreja Católica, em Framingham, na reunião que ele denominava algo do tipo ‘Conselho dos Cidadãos’ onde neste dia tinha mais de 15 representantes da comunidade presentes e claro o Hello Brasil News. Eufórico e feliz, entusiasmado anunciou: ‘O consulado fechou contrato e a partir de 2013 teremos um novo endereço’. Publicamos em nossa Edição de Numero 39 o que ele reatou para todos os presentes nesta reunião sobre este novo prédio consular:
‘Será um mini embaixada’, começou afirmando o Embaixador Barreto.
‘São quatro andares em um prédio individual, é como se fosse uma ‘mine embaixada’, fica bem no centro de Boston e com fácil acesso a qualquer um. O prédio está todo sendo reformado, tem elevador, e terá entrada individual e personalizada. O primeiro andar vai ser destinado ao atendimento ao público, o segundo andar vai ser para arquivo de documentos e uso interno, o terceiro andar para uso dos funcionários e no quarto andar vamos ter um setor cultural e comercial para uso do consulado e da comunidade e neste andar também vamos incrementar um espaço para o programa de bolsas de estudo da Presidente Dilma no exterior o ‘Brasileiro sem Fronteiras’. Também temos um mezanino no primeiro andar que vamos usar como espaço de reuniões com mesa e cadeiras, etc. O prédio ainda tem um amplo ‘basement’, onde vamos usar como uma área de recreação infantil no consulado’ disse o Embaixador ao Hello Brasil News e todos os presentes.
Quando questionado pelo Hello Brasil News, sobre alguns detalhes que talvez pudessem ser antecipados a comunidade de como iria funcionar os serviços, computadores, telefone, etc., no momento em que o consulado estiver na nova ‘Mine Embaixada’, detalhe ‘com brasão e bandeira do Brasil na porta’, um verdadeiro território brasileiro legítimo e legal dentro do coração de Boston o embaixador respondeu: Quanto aos nossos computadores obsoletos já vencemos este problema, hoje contamos com computadores modernos e temos um contrato de ‘leasing’ com uma companhia especializada em informática, isso nos permite ter sempre um equipamento de ponta, para o atendimento. Quanto ao atendimento do telefone (problema crônico), acredito que no novo prédio este também será um problema do passado. Também no novo prédio cada atendente vai ser especialista em tudo, ou seja, o conterrâneo que for fazer um passaporte, certidão de nascimento, procuração, carteira consular, ou qualquer outro serviço poderá fazer tudo com uma só atendente em um só guichê de atendimento, inclusive se precisar bater foto ele (a) poderá fazê-lo na hora, para anexar ao documento. Isso vai dar uma agilidade bárbara ao atendimento sem falar na dinâmica que será de excelência’, afirmou o Embaixador Fernando Barreto Mello.
·       Vamos nos transportar para hoje.
O que temos no novo prédio consular e o que foi subtraído ou alterado:
Os projetos do Embaixador Fernando Barreto de Mello ou foram arquivados, ou foram alterados neste novo prédio, suas promessas não foram cumpridas, na verdade não foram executadas por que ele foi transferido e sua esposa a Ministra Maria Helena tomou o seu lugar, ai tudo que era projeto dele teve que passar pelo crivo dela, e a comunidade perdeu e perdeu muito. Vamos ao que aos fatos: O que era projeto do Embaixador e o que temos como projeto da Ministra Maria Helena.
1-     Primeiro andar do novo prédio: Atendimento ao Público
OK Mantido pela Ministra.
2-     Segundo andar do novo prédio: Uso interno, arquivo de documentos
OK Mantido pela Ministra.
3-     Terceiro andar do novo prédio: Para uso dos funcionários e corpo diplomático
OK Mantido pela Ministra.
4-     Quarto andar do novo prédio: Seria um setor cultural e comercial para uso do consulado e da comunidade, e seria um espaço para incrementar o programa de bolsas de estudos da Presidente Dilma. - A Comunidade foi enganada pela Ministra que abortou este espaço e sabe-se lá para que fim ela esta usando agora, mas a comunidade não pode usar este espaço legítimo dela para atividades culturais.  Projeto foi refugado pela Ministra.
5-     Basement do Prédio – seria uma área de recreação infantil no consulado. – Hoje no local tem alguns guichês de atendimento. Projeto foi refugado pela Ministra.
·       Maquinário interno e atendimento:
1-     COMPUTADORES INTERNOS – Ninguém pode reclamar dos computadores do consulado, olha que o Embaixador Fernando Barreto Mello falou em Framingham; ‘Hoje fizemos um novo contrato de ‘leasing’ com uma companhia de computadores e afins, isso vai nos permitir ter sempre um equipamento de ponta, para o atendimento’. Entretanto hoje tem muita gente reclamando dos equipamentos do consulado, das impressoras, sem falar no aparelho que foi disponibilizado ao uso público e de uma baixa qualidade extrema. Será que precisa uma CPI no consulado para ver o que está acontecendo, e por que os equipamentos eletrônicos são de baixa qualidade. Onde foram parar os equipamentos de ponta?
2-     O TELEFONE Palavras do Embaixador Fernando Barreto de Mello: ‘Quanto ao atendimento do telefone (problema crônico), acredito que no novo prédio este também será um problema do passado’. Ledo engano, está pior. Ninguém consegue falar com o consulado, o telefone que tem lá no consulado é para uso pessoal dos funcionários e dos diplomatas, ninguém da comunidade tem direito a trocar uma palavra com alguém do consulado, tem ‘só tem o direito de ouvir a maquina falar e depois desligar’. UM DESCASO TOTAL COM A COMUNIDADE.
3-     ATENDIMENTOOlha o que Embaixador falou na época: ‘No novo prédio cada atendente vai ser especialista em tudo, ou seja, o conterrâneo que for fazer um passaporte, certidão de nascimento, procuração, carteira consular, ou qualquer outro serviço poderá fazer tudo com uma só atendente em um só guichê de atendimento, inclusive se precisar bater foto ele (a) poderá fazê-lo na hora, para anexar ao documento. Isso vai dar uma agilidade bárbara ao atendimento sem falar na dinâmica que será de excelência’. As câmeras fotográficas estão lá no consulado, sempre existiram, inclusive no endereço antigo. Elas estão no depósito do consulado, atiradas, jogadas as traças, e nenhum guichê de atendimento tem uma câmera disponibilizada para comunidade, que tem direito a foto gratuita para o passaporte, mas será que o cartel da indicação da esquina para tirar foto paga alguma coisa por fora? Eu não sei. Quem será esta cabeça dura que se diz diplomata, que é sustentado (a) com o dinheiro do meu, do seu imposto, logo, é nosso funcionário publico, e assim sendo, trai o seu patrão e esconde maquinas fotográficas. Será que é para trabalhar menos?  Será que é isso? Quem estava no comando das instalações do novo prédio, quem era o timoneiro do barco na época, é ela a Ministra Maria Helena, logo foi ela quem determinou que não instalasse as câmeras, só pode ser, ela era a autoridade máxima. Ninguém precisa ser sábio para adivinhar isso. 
Na verdade muita coisa melhorou no novo consulado, apesar das nossas denuncias com ‘olhos de lince’, por que sabemos o que era para ser feito, o que esta sendo apresentado.  O atendimento apesar de tudo teve progressos, o sistema de agendamento ‘on line’ tem funcionado, etc.. Mas tem muito que melhorar para ser aquele consulado que nos prometeram. Entretanto para quem tem uma visão externa da coisa como disse no inicio desta matéria, vai ver tudo arrumadinho, na verdade um corpo sujo de roupa nova, e não vai saber identificar e distinguir o que era para ser feito, e o que esta sendo feito. A comunidade não se liga muito nestas coisas e só as identifica quando o cinto aperta, na verdade não ligava, agora está muito mais atenta. Nossa comunidade já não aceita meias verdades, queremos elas por inteiro, e o Hello está aqui para isso.
 ‘A comunidade de Boston merece e lutou para ter este novo espaço (nova sede consular) e está conquista é uma vitória de todos nós.  Eu me sinto honrado e feliz de estar à frente nesta luta por melhorias no consulado de Boston. Estes são momentos históricos para os brasileiros em Boston, que jamais serão esquecidos por todos nós. O governo brasileiro está mais do que falando, esta mostrando através de atos, obras, atitudes a importância que esta comunidade brasileira local tem para o Brasil’ afirmou o Embaixador Fernando Barreto Mello. 

Continuamos na próxima semana!

HBN – Paulo Monauer
Fotos Paulo Monauer
www.hellobrasilnews.com
facebook - Hello Brazil News

Thursday, December 5, 2013

Vai uma pirâmide ai moço?

Vai uma pirâmide ai moço?

O tal de marketing multinível em Massachusetts virou uma febre na comunidade. Umas das primeiras experiências que tivemos entre nós os brasileiros aqui em MA, foi o Fone Clube, que tinha como proprietário Sann Rodrigues, há alguns anos atrás. Naquela época a bolha cresceu rápido demais, empresários brasileiros locais aderiram em massa ao Fone Clube, persuadidos pelo seu voraz presidente Sann Rodrigues e pela expectativa de fazer muito dinheiro fácil. Em pouco tempo a coisa caiu por terra e o tombo foi generalizado e feio para muita gente.
Na verdade não existe uma formula de fazer dinheiro mais rápido do que os marketing multinível ou multilevel, como queiram chamar. A coisa é meteórica, e se propaga como uma epidemia. Quem não quer ganhar dinheiro fácil? Quem diz que não é doente. Eu quero, todo mundo quer, desde que seja honesto.
O TelexFree chegou atropelando as estatísticas e se propagou no Brasil mais do que nos USA, tanto que as reservas da empresa estavam lá, e de lá vinha o dinheiro para pagar os investidores aqui. A TelexFree levou pau no Brasil, o ministério público acabou com a festa dela por lá.  Na cola dela no Brasil veio a BBOM, que se ramificou aqui nos USA mesmo sem ter um endereço legal aqui. A coisa cresceu rápido, em poucos dias já tinha gente dizendo ter faturado o seu primeiro milhão. Sim falei milhão de reais, milhão de dólares. Os números são altos demais, atraentes para os novos adeptos e um câncer crônico para os antigos que não querem mais parar de faturar alto. A BBOM no Brasil como a TelexFree foi travada pelo ministério publico. Hoje já se fala que a BBOM esta em processo de recomeçar suas atividades no Brasil, mas nada está totalmente liberado, apesar das liminares que a empresa conseguiu.
A cada dia aparece uma nova empresa do mesmo segmento, tanto no Brasil como aqui nos USA. O aplicador precisa ficar ligado, isso é pior do que bolsa de valores, pode subir loucamente como pode cair ao zero, do nada. Aqui nos USA a TelexFree vem sobrevivendo bravamente e realizando sonhos de muitos brasileiros e americanos que já ganharam alguns milhões de dólares no negócio. O fato de a TelexFree estar sobrevivendo e não está sofrendo nenhum processo nas costas investigativo aqui nos USA, tem motivado muitas outras empresas, ou supostas empresas a se lançar na comunidade brasileira, que é faminta por dinheiro fácil, se tornando uma presa fácil.
Todo mundo que está no esquema não quer que ninguém toque no assunto, na mídia local. Todos dizem: ‘deixa como está, o dinheiro é nosso e se a gente perder alguma coisa é por que a gente quer perder mesmo’, mas esta afirmação vem com força de dentro para fora dos que investiram nos marketing multinível, por que estão forrando o bolso de dinheiro. Existem milhares de brasileiros em Massachusetts que largaram seus trabalhos para viver dos multiníveis que existem por ai. Tem como condená-los? Não. Eles estão certos, são donos do seu nariz, querem colocar seu dinheiro nestas empresas, que o façam. Ninguém tem direito de retrucá-los. Afinal não estão roubando, não estão fazendo nada ilegal de acordo com as leis do estado. Afinal a grana entra fácil com abundancia, por que não?
O que não é certo neste contesto é a hipocrisia de alguns personagens ‘que se dizem lideres da comunidade e influentes’, eles afirmam, divulgam por ai, que o dinheiro ganho em uma raspadinha não é digno, que o dinheiro que não é ganho com trabalho, não é digno, etc., etc., mas por trás dos panos são os maiores aplicadores dos multilevel que existe em MA, promovem reuniões semanais, etc.
Quantos aos ‘crentes’; conheço uma penca deles que estão vivendo só deste dinheiro dos multilevel, há muito tempo e estão tremendamente felizes, porém tem medo de que o pastor descubra a fonte de renda deles, mal sabem eles que alguns pastores de renome já estão no esquema há muito tempo, e volto a dizer, esquema este que é legal aqui em MA, e até agora esta correspondendo à altura, falo da TelexFree.
Porém nós do Hello Brasil News não podemos fechar os olhos para tudo, o que é certo é está certo, temos que nos curvar e informar, como é caso da TelexFree, empresa que já fizemos inúmeras matérias investigativas sobre ela. Contudo quando aparece alguns vigaristas aproveitadores no meio desta história nos temos que denunciar como é caso da empresa de multilevel WCM777. Esta empresa foi intimada pela procuradoria geral do estado a não realizar qualquer atividade financeira aqui nos estado e mais foi igualmente intimada a devolver todo o dinheiro que arrecadou dos seus investidores. Entretanto alguns picões brasileiros insistem em difundi-la a margem da lei de Massachusetts, para estes, que agem com má fé premeditada, cadeia é pouco. Leia a matéria completa publicada pelo Beto Morais sobre WCM777 e entenda melhor a denuncia:
Secretário de Estado de Massachusetts proíbe
comércio de pirâmide que tem brasileiros como alvo
O Secretário do Estado de Massachusetts, William Galvin, emitiu uma ordem que proíbe uma empresa com sede na Califórnia de vender serviços de mídia em nuvem para os residentes de Massachusetts. Galvin também decidiu que a WCM777 deve devolver o dinheiro para quem comprou o produto virtual. A investigação, que começou há dois meses, concluiu que a WCM777 é uma empresa de marketing multinível e tem um alvo certo em Massachusetts: a comunidade brasileira. O relatório da Secretaria contabilizou reuniões semanais de um representante da WCM777 nos meses de agosto e setembro em um hotel de Massachusetts onde foram vendidos mais de $300 mil em produtos virtuais. Cerca de 160 pessoas, a maioria brasileiros, compraram pacotes chamados de top end, que variam de $399 a $1,999, tornando-se agentes da WCM777. As informações foram retiradas de uma planilha da empresa entregue ao governo no dia 14 de outubro. Embora a empresa tenha anunciado o fechamento dos escritórios nos Estados Unidos no mesmo dia, os brasileiros correm o risco de engrossar a lista de lesados em Massachusetts.
Contrariando a decisão da Secretaria do Estado de MA, os agentes da WCM777 mantiveram o anúncio em um jornal local de reuniões que acontecem todas as quintas-feiras às 19h30 em
um hotel em Woburn.
Pirâmide
O material de divulgação da WCM777 assume o caráter de marketing multinível e garante o retorno de 90% do investimento em um ciclo de 100 dias.  Os agentes, porém, não venderiam nada e nem teriam que divulgar os produtos como acontece em outras redes de marketing multinível. Eles seriam sócios e desfrutariam de programas de tecnologia de computação em nuvem e um programa de pontos de fidelidade. Um esquema claro de pirâmide financeira. Segundo a Divisão de Valores Mobiliários de Massachusetts, os títulos oferecidos na transação não estão registrados no estado, violando a lei de Valores Mobiliários Uniformes. A WCM777 se sustenta na compra e recompra de posições por parte dos seus membros. Cada posição comprada lhe dá direito a ganhos diários sem precisar fazer absolutamente nada, o que sugere uma pirâmide financeira.  “Desde outubro de 2013, a WCM777 creditou aos residentes de Massachusetts mais de $100 mil em bônus e outras formas de compensação", enfatizou o secretário de Estado. “Quase todo o dinheiro proveniente de bônus e remuneração devida pelo WCM777 aos detentores de unidades de Massachusetts ainda está pendente", acrescentou Galvin. O governo informou que os advogados da WCM777 aceitaram no dia 13 de novembro devolver o dinheiro, o que ainda não aconteceu.
Sedes fantasma
Nos Estados Unidos, a WCM77 tem sede em duas cidades da Califórnia e aparece com nomes diferentes. Em Passadena, é registrada como World Capital Markets, Inc., um banco comercial formado nas Ilhas Virgens Britânicas, conhecido paraíso fiscal para lavagem de dinheiro.
Já a sigla WCM777 está baseada na City of Industry e aparece como uma empresa de vendas independente de serviços de nuvem. Ela teria sido criada em Nevada no dia 7 de março e
dissolvida no dia 24 de setembro 2013. Em uma busca na internet, entretanto, os endereços aparecem como sendo de outras empresas. Além disso, no website da WCM777, de propriedade de Xu Ming, a base da empresa está em Hong Kong.


HBN - Paulo Monauer e www.betomorais.com
Fotos Divulgação
www.hellobrasilnews.com
facebook  Hello Brazil News

Qual a maneira mais fácil de transferir o dinheiro da minha aposentadoria do Brasil para os USA?

Espaço do Leitor

Sr. Paulo,
Aprecio muito o Hello Brasil News, acho incontestável a ajuda e referência que ele é para a comunidade. Sou um fanático leitor semanal. Este jornal tem matérias muito boas e diferenciadas. Eu tenho 60 anos e alguns bons anos de América e gostaria que o Sr. nos instruísse como nós aposentados no Brasil e que vivemos aqui em Boston podemos trazer nosso dinheirinho de aposentadoria do Brasil para cá, mensalmente sem grande transtornos e de uma maneira fácil e rápida. O que o Sr. Nos aconselha a fazer?
Raul
Sr. Raul,
Primeiramente obrigado pelo carinho e pelos elogios.
Bem meu conselho pessoal para qualquer aposentado que tem direito de receber a sua aposentadoria no Brasil mensalmente e que quer trazer estes recursos do Brasil para USA, independente de onde ele mora nos USA, pode ser Boston, Califórnia ou Flórida, etc...  acredito eu que a maneira mais prática e mais funcional no meu ponto de vista é abrir uma conta no Banco do Brasil Américas ‘on line’. Este banco tem sua matriz e mais duas agencias na Flórida. Quem mora em Boston pode abrir uma conta pela internet no banco (http://www.bbamericas.com ). Se tiver dificuldades para abrir a conta pela internet é só ligar e pedir ajuda pelo fone (855) 377 2555, este numero de telefone é da Flórida.  Abrindo uma conta neste banco aqui nos USA, você pode direcionar sua aposentadoria no Brasil para qualquer agência do Banco do Brasil NO BRASIL, e assim fazer transferências de dinheiro ‘on line’ do Branco do Brasil no Brasil para o Banco do Brasil Américas aqui nos USA, de dentro da sua casa aqui em Boston, a transação é totalmente sem custo e a transferência é feita na hora através de um clique seu, sai da sua conta no Brasil e entra na sua conta aqui nos USA.
Uma segunda opção também muito fácil é você adquirir um cartão de crédito de viajem no Brasil. Um banco que eu conheço e que você pode fazer isso é o Banco Rendimento (Visa TravelMoney). Você pode adquirir um cartão de crédito de viagem pré-pago. Depois que você já tem o cartão você pode pedir em qualquer tempo para alguém recarregar (colocar mais dinheiro no cartão ou você mesmo pode fazer isso) ou você mesmo pode fazer a transferência do seu banco lá no Brasil para o Banco Rendimento ‘on line’ , tudo isso pela internet aqui dos USA. O limite de dinheiro que você pode ter no cartão é de $20 mil dólares, no máximo. Ele é seguro e funciona, você pode acessar sua conta neste cartão em qualquer parte do mundo, a empresa é boa e dá suporte internacional para qualquer um dos seus clientes.  Este cartão você usa como se fosse uma cartão de crédito normal aqui nos USA, para fazer compras, pagar contas, comprar um café, colocar gasolina e tem uma vantagem você pode fazer saques em dinheiro diários de no máximo $500.00 por dia aqui nos USA tudo sem burocracia ou custo de transferência, seu saldo no cartão sempre esta disponível em dólar. (www.rendimento.com.br) –(55 11) 08007717886 – (55 11) 4003.7666, estes números de telefones são do Brasil.
Paulo Monauer
_____________
Sr. Editor
Um alerta:
Na Edição 126, tem uma matéria sobre Credit Score, Renato S. Alves, muito boa contribuição para a comunidade. Porém tem um pequeno engano quando compara o SS# com o RG# no Brasil.
O SS# é o CPF# do Brasil e não o RG. O CPF é nacional como o SS#, já o RG é estadual e pode se ter diferentes # se tirar carteira de identidade em mais do que um estado, por mudança, perda ou troca de nome no casamento. Grato.
Alceu 

HBN – Paulo Monauer
www.hellobrasilnews.com
facebook - Hello Brazil News

Imigração, saia justa: Obama sofre pressão sem poder se esquivar

Imigração, saia justa:
Obama sofre pressão sem poder se esquivar
Obama viveu na semana passada uma situação inusitada. Em um dos seus discursos pelo país mais especificamente me São Francisco, para uma platéia pequena e seleta, enquanto falava, ou tentava começar seu discurso, foi atropelado por palavras de um membro da platéia de origem asiática, ‘que pedia reforma da imigração e que ele cessasse as deportações de imigrantes’. Por uma 3 vezes. Obama tentou seguir sua linha de pensamento, mas os gritos do asiático, suplicando a favor dos imigrantes, fez com que ele parasse e olhasse para trás e desse ouvido ao clamor solitário do asiático na platéia. Ele era o único ali a puxar o coro a favor dos imigrantes, os outros presentes não o acompanhavam. Obama pediu licença, calma, e que o asiático o deixasse falar, mas ele não parou, até uma interpelação mais forte do presidente, tudo isso diante de inúmeras câmeras de TV e jornalistas. Obama não tinha como evitar a situação constrangedora, mas foi diplomata, grande, e soube administrar a situação com a elegância e com uma educação peculiar ao seu status político. Declarou ao asiático: ‘Da licença eu sou o presidente deste país... ’, e começou a falar e percebeu que seus seguranças iriam retirar o asiático rebelde, neste momento ele afirmou: ‘Ele não precisa ser retirado, ele pode ficar...’, elegância, diplomacia, inteligência, rapidez de pensamentos, respostas eficazes, este é o perfil de Obama que cativou e ainda cativa a América e o mundo. Segundos depois a mídia mundial mostrava a cena, e comentava suas respostas sobre o caso. O asiático ganhou seu momento de fama; bravo, determinado e sem medo, deu o seu recado.
Resultado deste ato: O tema reforma imigratória ganhou um novo fôlego neste final de ano. Mais de 66% dos americanos aprovam a reforma imigratória, mas o partido republicano ainda é o grande empecilho na câmera para aprovar a reforma. Nas mídias os âncoras de muitos programas de TV e noticiários, abordaram a reforma imigratória e se perguntavam por que não? Afinal para um imigrante chegar à cidadania, com este projeto que existe na câmera, vai levar 15 anos e ainda devera seguir uma cartilha de requisitos até lá e, diga-se de passagem, ela é intensa e neste período o imigrante não poderá riscar fora da caixa, se não ‘babau’ para legalização.
Contudo o ‘Obama Care’ é uma trava no olho dos republicanos, que usam deste desafeto ao programa do presidente como uma arma para travar qualquer outro projeto que ele apresente para aprovar.
Se o asiático gritão, ou a resposta ao asiático do homem que é presidente do USA (não por acaso, mas por sua competência) ou por seus opositores políticos republicanos rebeldes ao ver tal cena, vão ecoar com mais sincronia para uma reforma depois deste fato que, novamente trouxe os 11 milhões de imigrantes ao palco do país como protagonistas, vai trazer benefícios a favor dos imigrantes, não sei, mas que mexeu com a coisa, mexeu, o resto o gente confere juntos em 2014, pois 2013 nem que ‘vaca tussa’ vai rolar alguma coisa boa para os imigrantes e qualquer previsão de dia, mês em 2014 que vamos ter uma reforma é uma ilusão. O melhor que todos que necessitam de uma lei para se legalizar podem fazer e não cair nas mãos de nenhum advogado no momento, gastar dinheiro e tempo em vão, no momento eles agem como gente que sabe demais do futuro que nem existe ainda, no caso uma lei de imigração, tem muitos advogados com vocação a vidente (tudo por dinheiro), contudo é claro que todos nós devemos acompanhar tudinho e esperar para ver o que acontece, afinal de contas com o andar da carruagem as melancias vão se ajustado.  Mas isso leva tempo, muito tempo, relaxa se for possível, e a solução é espera.
Estamos ai, boa semana!
 
HBN - Paulo Monauer
Foto Divulgação
facebook - Hello Brazil News

Thursday, November 14, 2013

Total Moving e Branca Cape na mira CMF/EUA

Transportes & Mudanças
Total Moving e Branca Cape na mira CMF/EUA
Em entrevista ao jornalista Beto Moraes, Ronald Podlaskowich, da Comissão Marítima Federal dos EUA revelou que a Total Moving e Branca Cape já foram notificadas: não podem operar no mercado estão irregulares na atividade de mudanças dentro dos EUA. O que realmente esta pegando para elas é a documentação, a licença, o credenciamento para operar. Isso não quer dizer que elas não possam providenciar a documentação correta e continuar operando no mercado. A papelada é um pouco difícil, contudo não impossível, mas para quem está operando no mercado há tanto tempo já deveria ter esta documentação pronta, estar totalmente documentada, isso é que causa estranheza, nos da redação do Hello vamos acompanhar o caso e manter nosso leitor informado sobre o caso.
Veja á matéria publicada por Beto Moraes:
Em entrevista exclusiva ao site betomoraes.com, o diretor da Comissão Marítima Federal dos Estados Unidos (CMF), Ronald Podlaskowich, disse que muitas empresas que oferecem serviço de mudanças para o Brasil operam no mercado de forma irregular. Com apenas cinco companhias operando de forma correta em todo os EUA:
·        FASTWAY – Atende MA e tem Filial no estado.
·        S.O. EXPRESS – Atende MA e tem sua sede no estado.
·        Alexim Moving - NÃO atende MA
·        Confiança - Atende MA, mas NÃO tem filial no Estado
·        Portugália - NÃO atende MA
A CMF quer acabar com a prática ilegal e alerta, inclusive, para os riscos que as pessoas correm quando enviam cargas por empresas descredenciadas. Segundo a Comissão, já há casos em que o acionamento do FBI se faz necessário para impedir que drogas e armas sejam contrabandeadas. “Nós vamos acabar com esta prática e precisamos da ajuda dos brasileiros. A medida será benéfica a todos. Quando todos estiverem seguindo as leis, pagando os impostos necessários, com suas licenças, conseguirem suas cauções e seguros o mercado de envio de mudanças se moraliza”, disse Ronald Podlaskowich. Para ele, o ‘consumidor tem participação fundamental’. “Quando as pessoas ligarem para uma companhia e ela der o preço, pergunte se ela é licenciada e cheque no site do CMF  (www.fmc.gov/) a lista com as empresas credenciadas. Caso
não a encontre ligue para nosso Disque Denúncia (781-553- 2228) e deixe o nome da empresa para que possamos abrir investigação e retirá-la do mercado. Foi a partir de denúncias anônimas que a Comissão abriu
investigações contra empresas irregulares com sedes em Massachusetts. Ronald Podlaskowich disse que duas delas  (Total Moving e Branca Cape (BEM)) já foram informadas de que não podem operar no mercado sem as devidas licenças. Conseguir a licença exige da companhia de mudanças um respaldo financeiro alto (aproximadamente 100 mil dólares entre seguro e caução), além de comprovar três anos de experiência de um de seus membros diretores através de documentos emitidos pelas empresas marítimas ou portuárias. Ronald Podlaskowich disse que a CMF vai jogar duro também com empresas que burlam o sistema operando com licenças de terceiros. Essas companhias se camuflam por trás de empresas licenciadas aparecendo no mercado portuário como ‘agentes’ mas se apresentam aos clientes como operadoras oficiais de mudanças. O mercado de mudança esconde um arsenal de problemas. O maior deles é o envio ilegal de caixas para o Brasil, onde a legislação brasileira proíbe esta prática. O diretor da Comissão garantiu que irá acompanhar pessoalmente qualquer denúncia de empresas ligadas com mudanças para o Brasil.

Disque Denúncia
781.553-2228
1-866-448-9586 – Ligação FREE
E-mail – complaints@fmc.gov

HBN – Beto Moraes e redação do HBN

2 Aniversário do CTG 100 Fronteiras, Boston.


Giro do Monauer
2 Aniversário do CTG 100 Fronteiras, Boston.
 
A festa foi na Loja Maçônica de Melrose, neste último sábado, 9.  Três semanas antes do evento já não havia mais ingressos para venda na sede do CTG, a casa estava lotada com mais de 700 pessoas. O ‘CTG 100 Fronteiras’ difunde na integridade as tradições regionais do RGS, alguns preferem dizer tradições gaúchas, o que não deixa de ser um fato. O trabalho do Patrão do CTG Serjão e seus correlacionados têm feito a diferença aqui em Boston. Nos últimos meses o empenho do ‘100 Fronteiras’ em fazer atividades culturais em sua sede em Everett, tem movimentado a comunidade brasileira como nunca. O CTG que já é famoso por oferecer uma comida caseira regional do RGS sem precedentes, em suas festas, agregado a fartura e ao baixo custo cobrado em seus eventos, tem arrastado centenas de compatriotas em Boston, independente de suas origens regionais no Brasil. Hoje o ‘100 Fronteiras’ tem no seu plantel de associados e colaboradores muitos mineiros, paulistas entre outros que apreciam, entendem e cultuam a cultura gaúcha, muito mais do que muitos gaúchos da gema do RGS, e se não fosse à participação deles dentro do CTG, associado ao apoio das esposas dos mesmos, ele não seria o que é hoje. O ‘100 Fronteiras’, realmente está literalmente abrindo espaços, aglomerando várias regiões do Brasil em uma só, e esta voando alto ao mesmo tempo em que se torna uns dos Centros de Tradições Gaúchas mais importantes dos EUA, junto com o CTG de NJ e o CTG da Califórnia, que é o mais antigo dos EUA. Três braços fortes da cultura gaúcha que se prestigiam entre si em seus eventos e que mantém viva e radiante a união familiar e a integridade cultural, e a alegria gauchesca, bem longe das fronteiras do RGS. CTG 100 Fronteiras, informações e eventos: 978.590.1322.

HBN – Paulo Monauer
Fotos Paulo Monauer

www.hellobrasilnews.com
Facebook - Hello Brazil News

Thursday, November 7, 2013

O inesperado protagonista invasor

O inesperado protagonista invasor

Ser mal educado, inconveniente, estar fora de lugar às vezes faz com quem busca esta posição ganhe algum destaque na mídia. Um exemplo prático disto no Brasil era quando um louco torcedor de futebol conseguia pular o antigo ‘fosso’ dos estádios, (uma espécie de vala que continha água e separava a setor da ‘geral’ em alguns estádios em outros o fosso ficava entre a ‘correia’ e o campo) invadia o campo e corria para abraçar o seu ídolo, ou só para fazer piruetas dentro do lindo gramado. Todo mundo da mídia queria mostrar o tal sujeito, dizer qual era o seu nome e em alguns casos até entrevista-lo. Ele entrava no campo meteoricamente a todo vapor, correndo e logo atrás em uma corrida de pega-pega, os ‘brigadianos’ (policia militar), no mínimo uma meia dúzia deles que botavam o coração pela boca no encalço do cara (para quem via a coisa era divertida). O jogo parava e a galera toda no estádio curtia o momento do inoportuno torcedor, dar um ‘paninho’ (jogo de corpo para fugir do brigadiano), dois, três e depois ser pego, como se fosse um boi que é amarado por laçadeiras. A trupe policial seguravam o louco torcedor como um bandido de alta periculosidade, davam um jogo de braço no cara e arrastavam o individuo até o camburão (viatura da policia). Fim de festa, e o jogo reiniciava. Mas o sujeito tinha o seu momento de fama, a imprensa mostrava o ‘cara’ em rede nacional de TV, e os ‘jornalistas fotógrafos’ batiam ‘mil e uma’ foto do torcedor que furou a segurança do estádio. No outro dia ele estava na mídia roubando a cena do espetáculo futebolístico.
Hoje se algum torcedor invadir o estádio de futebol no Brasil, a primeira coisa que a TV faz e não mostrar o invasor. Não promove o intruso. Só quem faz isso hoje são as mídias pequenas, sem pegada profissional que gosta de promover quem não deve ser promovido. Nossa imprensa amadureceu e descobriu que o intruso só fazia isso para se promover e acabava atrapalhando o espetáculo. Estes malandros perderam a vez.
Na semana passada enquanto o Papa Francisco fazia um dos seus discursos, no país em que ele é autoridade máxima, o Vaticano, um garoto de 6 anos, furou a sua segurança pessoal e subiu onde ele estava fazendo um pronunciamento. Este garoto fez ‘gato e sapato’ do Papa, sentou na cadeira do Papa, empurrou os seguranças que tentaram tira-lo dali, se agarrou nas pernas do Papa, etc., etc. Enquanto isso o Papa continuou o seu discurso, que claro foi para as ‘cucuias’, o garoto roubou cena. Cá para nós, que garoto mal educado! Que mãe que este moleque tem, deixá-lo invadir um espaço pessoal, solitário de um chefe de estado, no seu país, e roubar a cena do mesmo.
O que a imprensa publicou sobre o menino? Achou lindo o garotinho sentado na cadeira do Papa e blá, blá, blá, deu destaque ao menino. O Papa na imprensa virou figurante, e o menino atrevido, mal educado, ganhou a cena na mídia mundial. Claro o anormal, o inusitado, sempre quebra o gelo, do monótono e repetitivo. Logo o garoto saiu na frente nos pasquins jornalísticos.
Não tenha duvidas que todo o clero e os seguranças do Papa, queriam aquela criança longe dali, talvez até dar nela umas ‘boas palmadas’ (como se diz lá sul) e ensinar ela a ser educada e como se comportar em público, mas para não se queimarem com a imprensa presente e com os fieis da igreja, foram condescendentes com a ‘arte infantil do moleque’.
Já pesou se a moda pega, e outras mães comecem a incentivar seus filhos e em algum evento publico do Papa a empurrem seus filhos para ‘fama’: ‘Vai, vai, e se você entrar lá se segura nas pernas do Papa senta na cadeira dele, se te pegarem; chora, esperneia, faz drama, etc., etc.,’.
Pior dos que os filhos mal educados, são os pais dos mesmos!

Boa semana!

Paulo Monauer