Thursday, January 15, 2015

Atentado ao Charlie Hebdo - Mídia ‘Abutre’ Brasil/EUA - Mídia local Boston


O caso Charlie Hebdo 
Um pequeno periódico semanal de somente 16 páginas impressas sofreu um atendo onde 12 pessoas morreram indignou o mundo e mexeu com a França. Por outro lado dizem as boas línguas que a mídia impressa está morrendo e vai sumir em detrimento da internet. Os fatos desta semana provam ao contrário. A mídia impressa que estava morrendo ‘para uns poucos pessimistas’, ressuscitou esta semana e ressuscitou de uma forma mais sensível possível, com uma tragédia, justo com um jornal semanal de apenas 16 páginas. O Hello Brasil News tem na sua campanha de publicidade local uma frase já há alguns anos que diz tudo; ‘Para ser um grande jornal, não precisa ser um jornal grande cheio de blá, blá, blá. Tem que ser um jornal que saiba ir direto ao ponto!’ O Charlie Hebdo com certeza sabe disto.
Nosso último editorial
Na última semana, ou melhor, na semana passada publicamos um editorial assinado pelo jornalista Alberto Dias, do Brasil. O tema foi ‘O Abutre’ e a mídia carniceira, que corre atrás de noticias policias e mortes entre os brasileiros e suas redações respiram com a desgraça e tem esta pauta como carro chefe de suas publicações. Na verdade ele faz uma crítica sem precedentes a este tipo de mídia que gosta de carniça como seu prato principal. Ele não é contra este tipo de informação, mas condena a obsessão por ela. Ele também falou de uma mídia educadora, prestativa, informativa e investigativa, que acrescenta algo diário a sociedade, que desponta interesse justo digno e tem um cunho social é aponta esta mídia como sendo uma mídia mais justa com a sociedade. Esta verdadeira mídia trás proveitos aos seus leitores e não os alimenta só de sangue, desgraça e desonra de nossos conterrâneos. Trazendo os fatos para nossa realidade, o problema nem é ter um jornal que se alimenta só com uma capa policial constantemente, até por este não produz nada para seu leitor. Este trás um atraso social, psicológico e informativo, na verdade oculta pautas de verdadeiro interesse da comunidade, agregado a isso este tipo de mídia gosta de encobrir amigos, ocultar e manipular fatos, faz conchavos, etc. Seu foco é só em noticias baixas, por que não consegue produzir pautas de interesse da comunidade. Estas mídias carniceiras com esta linha editorial estão espalhadas pelo mundo e como não poderia deixar de ser ela também esta enraizada na nossa mídia local de Boston. Ela na sua essência só vive de desgraça e mais desgraça de um ou múltiplos conterrâneos presos, humilhados e quando não é isso, aproveitam para difamar gente inocente, esta é a sua prioridade, e lá uma vez do que outra fazem uma matéria com cunho social local sem pé nem cabeça. Linha editorial cada um tem a sua. Uns tem uma linha editorial covarde, outros são mais ousados, outros mesclam informativa/investigativa e outros vivem somente tentando bater na concorrência por que sonham que com isso vai tornar o seu jornal melhor, mais prestigiado. Este é o trabalho do tipo de mídia que se acha diminuída e para se superar tenta abafar o concorrente nem que para isso ela tenha que colocar a sua ética que na verdade nunca teve, debaixo do sovaco, e para isso vale tudo, até dar instruções aos seus entregadores para esconder o jornal da concorrência, virar sua capa de cabeça para baixo, chega ao ponto de utilizar sem nenhum escrúpulo os espaços em displays que não lhe pertence, sem falar que enche lojas locais com jornais velhos fazendo do local um lixão. Este é o jogo da mídia do ‘Abutre’ e que também tem endereço fixo em Boston.
·        Nightcrawler, o filme
‘ “O Abutre” é um excelente filme sobre a falta de escrúpulos de cinegrafistas freelancers (repórteres) que trabalham de madrugada na área de Los Angeles. É também uma crítica aos sociopatas que se drogam através de fiapos da informação na internet. Não é o primeiro filme que faz a crítica do jornalismo. E por que razão “O Abutre” serve de paradigma para comprovar a inapetência da imprensa nativa para o autoescrutínio? Porquê? Simplesmente porque o filme está disponível na íntegra (embora em tela pequena) no YouTube, inteiramente grátis. Temas para debate não faltam: a começar pelo título em português – “O Abutre”, que em inglês seria “Vulture”. O nome original, “Nightcrawler”, designa um tipo de verme que rasteja durante a noite e é usado como isca para pesca de anzol. Estes cameramen (repórteres) só trabalham à noite, por conta própria, cobrindo roubos, estupros, assassinatos, acidentes e vendendo imagens cruéis para alavancar as audiências dos telejornais e jornais. Não são repórteres, nem jornalistas de fato: a produção da emissora obtém os dados básicos, edita o material e o coloca no ar. Não é coisa de abutres (aves de porte, que rapinam à luz do dia), são rastejadores noturnos que através da faixa de rádio da polícia às vezes até se antecipam a ela. Tão sem escrúpulos quanto os bandidos cujas façanhas cobrem, entregam o produto em mãos (ou via digital), acertam o preço, geralmente não barganham e recebem a grana na hora. Os (as) infelizes que lidam com os crawlers – plantonistas da madrugada – desempenham funções até piores (como a personagem Nina do filme) porque sabem como tirar partido do horror, mesmo quando o advogado de plantão recomenda prudência e moderação no sensacionalismo. (itálicos acrescentados pela redação no texto de Alberto Dias)’
Mídia local
Na nossa mídia brasileira nos EUA e local aqui em Boston, ainda não entraram em nenhuma redação para matar ninguém, mas o Hello sabe o que um punhado de donos de mídias arquitetados e inimigos da nossa redação tentaram fazer com o nosso periódico e o seu editor tempos atrás, e quem não lembra? E é só eles verem uma oportunidade, verdade ou mentira, não interessa, o que interessa é o sensacionalismo, e os Abutres de plantão querem mesmo é carniça. Já tentaram, difamar, mentir, desmistificar, menosprezar o nosso trabalho e nossas matérias. Hoje podemos dizer que estas mídias perderam, por que a nossa credibilidade com a difamação que tentaram nos impor só aumentou, e eles esqueceram que credibilidade se conquista não se impõe, e a verdade, o caráter impera sobre a mentira e falsidade, o Hello e seu editor são uma prova viva disto. Ninguém apaga um legado imaculado de prestação de serviço comunitário de quase 15 anos de trabalho jornalísco diário, de um profissional local assim, do nada, com uma calunia isolada e infundada, mas eles tentaram. E agora onde estão os nossos acusadores? Já publicamos aqui no Hello na edição 166 em 2 de setembro de 2014 o editorial ‘Mídia sem escrúpulos – A intimidade devassada’ que decorre sobre o mesmo ponto vista. Para sermos práticos e objetivos; tivemos como vítimas da mídia ‘abutre’ na nossa comunidade muita gente inocente e injustiçada como; O Gilson que foi chamado de ladrão no caso do pequeno e doente Felipe, não uma vez só, mais inúmeras. Gilson era e sempre foi inocente e foi caluniado pela mídia, o famoso Dr. Sharma de Framingham, amigo da comunidade, gastava fortunas com publicidade nas mídias locais brasileiras foi acusado de ter levado uma paciente a morte, ele também foi caluniado e esquartejado por esta mesma mídia, também inúmeras vezes, mesmo sendo totalmente inocente, o caso do Zeca da pizzaria de Framingham por que um cliente morreu dias depois de comer na pizzaria, também foi implodido pela mídia, isso abalou seu negócios e também comprovadamente não tinha nada haver com o caso, o editor do Hello, Paulo Monauer foi acusado de ladrão pra fora, ofenderam seus filhos e família, foi capa de todos os jornais locais, mais de uma vez com chamadas piores do que um assassino, por esta mesma mídia abutre, mesmo sem ter nunca praticado uma virgula do que alegaram, o empresário brasileiro de Weymonth que foi caluniado de abuso sexual por uma mulher que se diz colunista social de um jornal local, o fato dela trabalhar no jornal, foi o suficiente para o jornal que tem um estilo de ‘abutre’ na mídia esquartejar o empresário, porém depois do repudio de mais 10 empresários da região unidos contra o pasquim em função desta pauta, o jornal se viu acudo no caso, pois não esperava esta repercussão na região. Não precisamos ir longe há dias atrás um leitor do Hello mandou uma copia de varias mensagens que enviou para os donos de um jornal local provando que eles fizeram uma matéria mentirosa distorcendo o depoimento dele na maior cara de pau (o caso do homem da garrafada no rosto de uma mulher em Lowell) e ao mesmo tempo o jornal tentou mais uma vez desonrosamente, desnecessariamente e totalmente sem ética difamar novamente o Hello e o seu editor criticando e menosprezando o nosso ‘verdadeiro’ conteúdo que foi publicado sobre o caso. Tudo sempre com o objetivo de agir como má intenção, para denegrir, com maldade e o pior não acrescentou nada de informação ao caso só ofendeu pessoas e profissionais. Nossa redação tem elementos e provas mais do que suficiente para fazer inúmeras matérias por muitas semanas para contar uma a uma a verdade com cada um destes injustiçados com depoimentos indignados de todos os que foram caluniados pela ‘mídia abutre local’ e temos conhecimento e fatos de muitos outros que não citamos aqui que foram vitimas da mídia insana, que adora noticia que cheira mal. O tempo funciona e equaliza tudo e muito ainda vamos ouvir falar sobre tudo isso, o Hello tem memória e não esquece, a qualquer momento quando estas pessoas injustiçadas quiserem podem trazer estas pautas à tona elas estão com a couraça dura, apanharam muito da mídia Abrute, mas agora estão com a couraça dura de tanta humilhação injusta e não tem mais nada a perder. Quem viver verá! Não adianta limpar um porco que gosta de chiqueiro sujo, fedido ele sempre vai preferir viver sujo e fedido por que esta é a sua origem ele nasceu neste meio, é assim que ele se sente bem, mas a gente tenta, um dia quem sabe ele aceita mudar e aprende a viver de outra forma mais civilizada na sociedade e profissionalmente.
Ai vem à pergunta: Será que não estamos agindo como eles (abutres) denunciando estes fatos? Por que falar disto? Tudo tem uma razão, a comunidade tem direito de saber destas verdades, destas informações, nosso objetivo é somente divulgarmos tais fatos, dar a notícia verdadeira de fatos distorcidos. A comunidade precisa saber que a mídia local não é dona da verdade e que ela não pode publicar o que quer e quando quiser, não pode julgar pessoas acusá-las por mera fofocas, nós não somos donos da verdade e às vezes erramos e erramos feio e corrigir um erro depois de os exemplares circularem nas ruas, é quase um caminho sem volta em alguns casos, mas não é impossível para quem tem dignidade, caráter e profissionalismo, afinal errar e humano o feio e antiético e se achar um ‘deus no mundo mídia local e agir como um abutre’.
Paulo Monauer
Editor Chefe
De sua opinião sobre este editorial
pmonauer@hellobrazilnews.com
www.hellobrasilnews.com
www.facebook.com/hellobrazilnews

 

Dell Costa é condecorado como referência profissional no setor de financiamentos no estado de Massachusetts.

Dell realmente tem feito um trabalho diferenciado na comunidade. Ele é um profissional que acredita no seu trabalho, no seu talento pessoal. É um homem de resultados e sua visão em um primeiro plano é sempre de se colocar no lugar do cliente, para perceber a sua dificuldade e agir a seu favor. Quando você procura o seu escritório para algum serviço, pode ter certeza que você não esta indo lá para pedir a ajuda dele, mas sim para contratá-lo com um profissional para agir em seu beneficio. Entre outras coisas que somente o escritório do Dell Associates faz; ele cobra os honorários do seu trabalho dos clientes somente quando o seu financiamento ou refinanciamento for aprovado e estiver tudo assinado. Isso mostra o seu caráter, à lisura e o profissionalismo do Dell Costa, que carrega no sobrenome um legado de ética profissional familiar em Massachusetts. O jovem empresário é um dos que mais tem crescido na comunidade brasileira no ramo imobiliário e de refinanciamento de casas em Massachusetts em 2014.
Paulo Monauer
Fotos Divulgação
www.hellobrasilnews.com
www.facebook.com/hellobrazilnews

Leitores do Hello reclamam do Consulado do Brasil de Boston

  Atendimento
·         Ao que tudo indica, o consulado está em um processo de retrocesso do que diz respeito ao atendimento ao público. Poderíamos dizer que são casos pontuais, mas não são. A comunidade está insatisfeita com o atendimento em geral. As reclamações são de várias ordens no atendimento:
Primeiro existe um demora no atendimento há muito tempo, depois que você entra no consulado pode ter certeza que você vai ficar lá dentro no mínimo 3 às 4hs. Existe uma reclamação também quanto às câmeras fotográficas, por que não instalaram as câmeras fotográficas nos guichês para serem usadas, uma vez que estão no depósito consular atiradas há anos em Boston. Foi prometido que neste novo prédio elas seriam instaladas. Onde estão?
·         A falta de educação de alguns atendentes consulares com o público á uma vergonha. Tem muito atendente consular que deveria ser mandado embora, demitido pelo atendimento de disponibiliza aos brasileiros que procuram o serviço consular.
Nenhum atendente/funcionário administrativo ou diplomata usa crachá com seu nome para poder ser identificado pelo cliente (brasileiro) que busca o serviço consular. Mais do que isso quando são questionados pelo nome, se negam a dar. Uma vergonha e total falta de gerenciamento. A coisa está sem controle no atendimento. Quem será que gerencia o atendimento, o nome do diplomata? Depois dizem que o Hello faz perseguição a uma só pessoa da diplomacia, mas o que fazer se esta pessoa só traz problemas para comunidade.
·         O agendamento para fazer um passaporte esta levando 45 dias de espera e subindo mais a cada semana. Já vivemos isso há anos atrás e agora se repete, um prazo aceitável é de 15 dias e olha lá. Quem ganha com isso é à máfia que o consulado criou e fechou as portas para novos adeptos, já reclamamos disto aqui no Hello mil e uma vezes da máfia consular dos despachantes, eles continuam altamente seletivos ninguém há nãos pode aplicar para ser um despachante consular (tem muita gente honesta trabalhando como despachantes, mas por outro lado está cheio de aproveitadores que ganham fortunas onerando o bolso dos brasileiros locais). A meia dúzia que esta ai de despachantes, está pulando de alegria, na verdade o que fica claro, é que o consulado não quer ver cliente nos balcões de atendimento, quer ver e atender somente despachantes no lugar deles, eles vão lá praticamente todos os dias.
Um fato grave que aconteceu no inicio deste ano no balcão de atendimento, no guichê numero 2, no dia 6 de janeiro de 2015, quem estava atendo lá era mulher alta, magra branca, e extremamente mal educada. Ela atendeu Jussara Vieira dos Santos, moradora de Stoughton. Primeiro a atendente implicou com a foto do passaporte apresentado por Jussara, ela disse que a foto tinha brincos e que brincos não eram aceitos na foto do passaporte. Jussara disse para atendente que no site não tinha escrito nada sobre brincos, e que achava um absurdo tirar outra foto por causa disto, pagar novamente, e se deslocar do consulado até uma farmácia para tirar outra foto e voltar.
·         O que diz o site consular sobre brincos? Não diz nada!
3 - Tire uma foto colorida tamanho 2 x 2 polegadas ("inches"), de fundo branco. Na foto você deve estar de frente, sério, sem óculos, sem lentes de contato e sem chapéu. Essa foto deve ser recente e deve estar em alta qualidade.
O site não faz nenhuma recomendação sobre brincos. Jussara estava e esta certa e foi ofendida e teve que voltar e tirar outra foto, pagar pelo serviço novamente, uma vergonha. Neste caso se o consulado não fosse relapso e tivesse instalado as câmeras como o combinado no novo prédio, este problema estaria resolvido, pois a atendente poderia tirar uma nova foto no guichê de atendimento, com custo ZERO. Porém nada disto aconteceu, esta tal atendente mal educada sem crachá e que não quis dar seu nome para a Jussara, deu um chá de cadeira nela, e ela ficou quase 5hs dentro do consulado. Um abuso de poder, de autoridade de que não tem nenhuma, uma vergonha que precisa ser banida do consulado URGENTE.
·         Não vamos citar aqui que o telefone do consulado ninguém atende, se ligar para lá você já sabe que não vai funcionar e se você for contemplado e souber um ramal, esquece também sempre vai dar em uma de mensagens e a resposta vai ser sempre a mesma, ‘estamos muito ocupados e não temos tempo para telefone’. Se fosse assim mesmo deveriam arrancar todas as extensões das salas do consulado, assim esta verdade seria absoluta, mas não é.
Não tem telefone 24hs em funcionamento, em caso de emergência esquece.
·         Não tem telefone para os presos ligarem se precisarem da cadeia.
O manual consular, o livrinho que tem todas as diretrizes de como o consulado deve agir em cada caso com muitas páginas e vários capítulos disponível na internet já trocou, atualizou e mudou inúmeras coisas e diretrizes do seu contexto. Entretanto uma nunca mudou e esta lá escrito para quem quiser ler.
‘A prioridade de todos os consulados é o atendimento ao público, isso vem em primeiro lugar, às outras funções, todinhas vêm depois. Se faltar algum agente administrativo e o balcão de atendimento estiver cheio, os diplomatas devem abandonar o que estão fazendo e atender nos guichês. Devem largar tudo e dar vazão aos clientes.’
Isso não é invenção do Hello esta lá escrito para quem quiser ler e ver, nas normas consulares. Sabe quando isso aconteceu em Boston, NUNCA. Sabe quantas vezes isso deveria ter acontecido? Inúmeras. Esta turma de diplomatas locais se negam a atender o público mesmo que seja uma ordem superior, apesar de serem treinados para isso quando se formaram como diplomatas. O fato é que eles acham o serviço muito baixo para eles, porém com o salário que ganham não existe serviço ruim, e quando entraram na diplomacia aceitaram isso, mas hoje desdenham do que aceitaram. Quem vai mudar isso? A ministra responsável direta pelo atendimento?
·         Enquanto a zorra continuar, nos vamos continuar a gritar em nome da comunidade e abrir espaços para os leitores. Aqui o leitor tem espaço.
OBS: Quem tiver uma dificuldade absurda, indevida como a Jussara teve no consulado, por favor, ligue para a redação 617.593.1828 e nos vamos mandar um repórter na hora no consulado para ajudar você a dirimir suas dificuldades e registrar os abusos caso eles existam mesmo de fato, ou registrar o exemplar atendimento se for o caso também. Salve este numero 617.593.1828 nós vamos até você.
HBBN – Paulo Monauer
Fotos Divulgação

Sam Alves faz show em casa


Foi no último dia 8, quarta-feira no Tropical Café de Framingham. O local foi escolhido a dedo, bem no seu reduto na grande Boston. O Tropical Café se atualizou já há algum tempo no quesito shows na casa. As mesas somem, ficam apenas pequenos balcões de atendimento. O palco é compatível com o ambiente e o som e muito bom. Tem dois bares em funcionamento simultaneamente. Não faltam funcionários e seguranças. A casa comporta estourando a boca do balão de 250 a 300 pessoas. Tai uma nova opção para shows menores!
O Sam fez sua estréia de shows em Boston depois da sua acessão como cantor com alguma reputação.  O garoto montou um currículo invejável no último ano:
·         Ganhou o The Voice Brasil/2013 com nada mais nada menos do que 43 milhões de votos.
·         Sam tem hoje mais de dois milhões de seguidores no facebook.
·         Fez vários shows pelo Brasil a fora.
·         Laçou um CD, etc.
A Mara Rubia além de ser sua fã numero um de carteirinha, arquitetou sua vida para Boston. Amiga da família e conhece o Sam desde pequeno, tem moral para trazer o garoto em qualquer lugar, aproveitou a deixa e lança o seu site www.tudomara.com junto com o evento, que está bombando na web, vale à pena conferir.
O Show
Sam marcou de começar o show às 20hs e começou pra lá de 22hs. A produção alegou problemas técnicos, na verdade faltou o fone de retorno dos ouvidos. Ele acabou cantando sem eles mesmo. Com isso ele perdeu um pouco de público que foram embora, mas a grande maioria ficou, meio impacientes, mas ficaram, afinal todos queriam ver o Sam, por que agora ele virou uma celebridade.
Sam cantou muito, sem dúvida tem uma voz diferenciada, quem ficou curtiu o show muito. Contudo para quem já assistiu inúmeros shows aqui em Boston e tem uma visão mais apurada do assunto, dá para perceber que falta mais desenvoltura e ação de palco, para o Sam. O que não torna o seu show menos atraente.  O menino que morava na grande Framingham está no caminho, mas a jornada é longa. Ele é um ótimo interprete, mas precisa se associar a bons letristas para emplacar com músicas próprias. Se acertar este gol, deslancha, mas se não correr atrás, pode ficar e ver a abanda passar, não que ele não seja bom, mas por que se acomodou.
Ele logo após a ganhar o The Voice Brasil, deu algumas entrevistas na TV que todos nós tivemos a oportunidade de acompanhar aqui nos EUA. Ele tentou no inicio passar a idéia de um jovem tímido, que não falava muito em público, etc. Não colou, por que em tudo quanto entrevista que dava ele falava muito, muito mesmo, e depois dizia que tinha vergonha de falar. Ele perdeu alguma coisa nestas entrevistas, e não soube tirar proveito para se projetar mais nacionalmente. Na verdade ele viveu o glamour merecidamente do momento, mas faltou um conselheiro forte, com visão, para ajudá-lo a se conduzir nas respostas. Porem nunca é tarde para que ele apareça. Na verdade mandamos nossa melhor pedra preciosa bruta vocal que tínhamos em Massachusetts para o topo do mundo dos novatos na música no Brasil, e ainda esta em fase de lapidação. O que ele precisa agora é ajuda profissional para falar, ter postura de palco, entonação de voz nos intervalos das músicas em shows e nas entrevistas, e por ai vai. Ele tem tudo para chegar onde quiser, o sucesso que ele tem hoje é nada perto do que ele pode ainda chegar.
A mulherada não esta nem ai, grita, se escabela, chora e vibra com Sam que esta com a bola toda. Belo Show no Tropical e que volte mais inúmeras vezes, esta é a sua casa, é a sua comunidade que sempre vai te abraçar e te acolher com muito carinho. Sucesso!
HBBN – Paulo Monauer
Fotos Helenita Morais
www.hellobrasilnews.com

Elas só perdem peso


A brincadeira das meninas lideradas pela Lilian está na boca do povo, ou melhor, da comunidade. O ‘Desafio Peso Ideal New England’ pegou de vez. São inúmeros grupos em andamento, reuniões aqui e acolá se multiplicam na grande Boston. ‘O trabalho de coordenação de tudo isso tem tomando muito tempo, contudo tem sido muito gratificante o resultado. É muita gente envolvida e se divertindo com o projeto e ao mesmo tempo, revigorando sua saúde, perdendo peso, aprendendo a se alimentar com sabedoria, ganhando novas amizades, tendo idéias de como se exercitar e como vencer tudo com muita motivação e claro o sucesso chega mais rápido com a mente adequadamente sadia’, explica Lilian Mageski.
O projeto que começou em meados de novembro de 2014 vai ter seus dois primeiros grupos terminando a gincana no dia 8 de fevereiro domingo, às 13hs em um salão de festas que fica na 535 Main St, na cidade de Woburn, MA. Todos que quiserem participar estão convidados a entrada e franca. Lilian avisa que vai ter barraquinhas vendendo produtos e algumas guloseimas sadias.
Só nestes dois grupos são mais de 40 mulheres na gincana. O primeiro grupo a se formar vai ter uma premiação para o primeiro lugar é de $500.00, mais uma reportagem de capa exclusiva para o Hello Brasil Boston News, o segundo lugar vai ganhar $300.00 e o terceiro $200.00 em Gift Card. O segundo grupo a se formar no mesmo dia a premiação esta em aberto. Porém vai ter vários prêmios fornecidos por fornecedores que serão sorteados entre os vencedores e presentes ao evento.
A grande festa vai ser animada pelo DJ Ray que vai garantir a animação da festa. Entre outras coisas ainda vamos ter palestras educacionais dos profissionais credenciados e que dão suporte ao evento.
A festa é nossa, mas a diversão e a perda de peso é sua. Se você quer participar e só ligar para Lilian Mageski 978.760.1460, sempre tem um grupo novo começando.
HBBN – Paulo Monauer
Fotos Divulgação
www.hellobrasilnews.com

 

Como contratar e identificar um bom advogado caso seja necessário?


Na nossa comunidade local sempre vai aparece um ou outro advogado querendo ser o melhor, o principal, o envolvido, o solidário, o conterrâneo, o mais experiente, o mais seguro, aquele em quem você pode confiar, etc., e agregado a tudo isso tem as novidades que são os brasileiros, ou seja, nasceram no Brasil, as vezes uma comunicação mais fácil não é um sinônimo de credibilidade ou confiança, mas confesso que pode ajudar.
Ter um diploma de advogado nos EUA é um mérito inquestionável de esforço, tanto para um americano ou para um imigrante. É uma conquista de luta e superação própria. Não é fácil se graduar por aqui ou em qualquer lugar do mundo e depois fazer uma carreira. Contudo para muitos ser um advogado local é algo que impõe respeito, afinal é um advogado. Acho justo e respeito tanta soberba, mas será que é necessário?
Porém nossa comunidade e formada na sua grande maioria por pessoas simples, humildes e trabalhadoras. Muitas vezes qualquer membro da comunidade se sente acuado por um advogado, na maioria das vezes eles sempre se apresentam maior do que realmente são.
Primeiro todo o advogado tem fama de ser muito careiro, e isso é um fato. Dizem as boas línguas que quanto mais caro melhor ele é. Vamos desmistificar isso. Ledo engano, ser careiro não significa ser bom, e nunca vai ser, a prática em nossa comunidade tem ensinado isso. Todo aquele advogado que explora demais seu cliente em detrimento da sua dificuldade, seja com um familiar preso ou algum tipo de aplicação para imigração, ele esta mais para um explorador e não um profissional sensível pronto para ajudar alguém, ele passa neste caso a ser um aproveitador. E tem muitos que são realmente.
Dizem que todo advogado é frio e calculista com seus clientes, sua visão sempre em um primeiro plano é financeira, a de qual vai ser o seu lucro no caso, ou quanto vai pegar de dinheiro antecipado do novo cliente. Normalmente um advogado aqui nos EUA cobra por hora, tem advogado que tem um custo para alguns membros da nossa comunidade relativamente alto. Só para exemplificar; O que um imigrante ganha em um dia na maioria das vezes é uma hora de trabalho do advogado (preço se respeita e se acata cada um tem o seu), ou seja, tem advogado que cobra de $100.00 ou $150.00 à hora (falando por baixo, pois tem uns que cobram até mais de $450.00 à hora) e a grande maioria dos trabalhadores da nossa comunidade não ganham isso em um dia , com mais de 8hs de trabalho.
Trabalhar com uma classe de clientes mais simples ou humildes requer preços mais módicos para atrair a clientela. Não vemos esta prática destes profissionais no meio da nossa comunidade. Temos visto várias igrejas, ONGs e instituições que se dizem amigas dos imigrantes brasileiros promoverem palestras com advogados desconhecidos e muitos até conhecidos da comunidade, mas por outro lado as instituições dizem que eles são muito bem recomendados, não sei por quem, mais são. Mas não colocam a mão no fogo por eles. Então como trazem eles para dentro das suas ONGs? A coisa fica difícil de se explicar.
Todos, ou melhor, vamos ser justos, 90% das palestras que os advogados fazem em ONGs ou afins, tem como interesse em angariar novos clientes, poucos, mas muitos poucos fazem este trabalho como um verdadeiro espírito comunitário sem querer ganhar nada em troca, ou oferecendo um preço módico para ajudá-los.
O que uma ONG ganha com um advogado cedendo um espaço dentro da sua instituição, só ela pode falar e responder (agora saber qual é verdade disto tudo e outra coisa), mas sempre fica a pergunta a ONG: Não ganha nada não? Acredito que uma ONG, igreja ou instituição comunitária que prese dentro da comunidade e zele pelo seu nome precisa ter algumas respostas públicas antes de abraçar um advogado, deveria primeiro sabatiná-lo antes de apresentá-lo para seu público ou associados. Perguntas como: O que você tem para oferecer para nossa comunidade? Qual o seu preço por hora? Você tem um preço fechado para algum trabalho ou aplicação? Qual o seu preço para aplicar para uma legalização por casamento? Qual o seu preço para legalizar um filho? Qual seu preço para preencher e acompanhar um cliente que esta apto para aplicar para a nova ordem executiva do Obama? Quais as garantias de que podemos confiar no seu trabalho e introduzi-lo na comunidade? Você vai oferecer um preço especial para a nossa comunidade uma vez que todos são humildes e trabalhadores? Quem for recomendado pela nossa ONG vai ter um preço especial? Qual será ele? Etc.. etc. Senhoras e senhores leitores tenho quase 18 anos de América e nunca vi nenhuma atitude de ONGs ou instituições na comunidade brasileira neste sentido, NUNCA. O que deveria ser trivial, diário constante no meio delas neste caso, inexiste. O obvio nestas instituições que ajudam o imigrante nunca foi questionado por ninguém. Porque será? Elas estão contra ou favor da comunidade? Estão ajudando ou ganhando dinheiro com a comunidade? Fica com você leitor a pergunta e claro também a resposta.
Quando abre uma portinha da imigração que possibilita uma legalização, começa a corrida do ouro dos advogados atrás de imigrantes sedentos para garimpar uma legalização. Lei da oferta e da procura. O preço destes profissionais sempre foram exorbitantes, com uma grande procura ou demanda então vão para o espaço.
Bem nem todos os advogados são do mesmo nível. Têm muitos que são bons, outros mais ou menos e outros horríveis. Nossa redação já ouviu e testemunhou inúmeras histórias de membros da nossa comunidade que foram traídos pelos advogados, perderam suas causas por conta deles, que foram exploradas por inúmeros deles. Tem casos recentes e atuais de leitores que pediram dinheiro emprestado e se endividaram para pagar um depósito alto inicial para estes profissionais e continuam no mesmo lugar com seus processos, em alguns casos andaram para trás no processo. Alguns advogados são verdadeiros saqueadores de poupança de uma vida inteira dos imigrantes. Por outro lado tem muitos que fazem um trabalho justo e correto. Conheço um caso positivo de um advogado local da comunidade que presenciei, ele só cobrou do cliente quando o documento foi aceito pela imigração, o processo estava encaminhado, e mesmo assim ainda parcelou o pagamento depois de tudo isso, neste caso o dinheiro não veio em um primeiro plano, porém isso é raro. Tem gente boa trabalhando, porém só para exemplificar o outro lado negativo: Teve um advogado aqui em Boston do tempo quando abriu a lei em 2000 que virou o xodó da comunidade, contratou inúmeras brasileiras para trabalhar e cobrava caro demais, mas todos diziam que ele era muito bom, o melhor, o ‘the best’. Pois bem, milhares de brasileiros, hispanos e pessoas de outras nacionalidades perderam tudo, quase foram deportadas por causa dele. Tem gente que até hoje tem problemas com a imigração por causa dele. Ele perdeu seu direito de advogar e depois de quase 15 anos, neste ano de 2014 aplicou no BAR para voltar a trabalhar em Massachusetts, pois ele perdeu a sua licença de trabalho por causa das denuncias dos seus clients.
Bem vamos tentar dar algumas dicas de como identificar um suposto bom profissional de acordo com algumas dificuldades apontadas por nossos leitores:
1-      Escritório de advogado que quando você liga só da na caixa de mensagens, DESISTA, vai ser um parto falar com ele sempre e quando você precisar então, você vai ficar só na esperança, e ele vai falar com você somente quando ele quiser. Telefone de advogado que não atende o numero que ele disponibilizou para contato ESQUECE, ele é um problema, e se não é, vai se tornar para você, não tenha dúvidas disto. Isto é óbvio do óbvio. A não ser que você goste de falar com uma máquina e deixar mensagens importantes para ela. Não perca tempo procure outro!
2-      Ao abrir o caso o advogado recebe você em pessoa é super atencioso e diz que vai fazer o melhor dele no seu caso e que vai AJUDAR você na sua dificuldade. Erro número um, um advogado não vai AJUDAR você no seu caso, ele esta sendo contratado por você não para ajudar e sim para executar a função dele como profissional, não como um favor, pois a partir do momento que você está pagando ele trabalha para você e não você para ele. Neste caso é você quem o está AJUDANDO, tenha isso na consciência de qual é sua verdadeira a sua posição neste caso, pagante.
3-      Acerte o preço, por hora ou por serviço total (pacote), exija um contrato que não seja verbal, assinado por ambos. Se for por hora e não por serviço (pacote), exija uma conta ‘bill’ mensal explicativa de quantas horas ele trabalhou no seu caso e o que ele fez exatamente e quanto já usou do dinheiro que você deu de entrada para ele e qual o seu saldo, afinal se ele pegou dinheiro na frente (se este for o caso) é dever dele fornecer tal extrato. Quando é por hora, ele cobra cada segundo que fala com você no escritório ou telefone, e explica no ‘Bill” e discrimina o dia e hora e quanto tempo usou no escritório e telefone, e por ai vai, isso tem que estar descriminado minuciosamente no ‘bill’ mensal, caso não tenha um ‘bill’ mensal DESCONFIE, tem algo errado COM ELE, e você pode sair perdendo. Caso isso aconteça de ele não fornecer o ‘bill’ mensal pode ter certeza que o seu advogado e muito enrolado e isso não é bom para você. Tente sair fora desta gelada o mais rápido possível e se precisar procure ajuda para isso.
4-      Normalmente um advogado quando pega um caso vai logo pedindo antes de agir, ou mexer uma vírgula, ele exige que você faça um depósito de $1 mil dólares para cima (raros são os que não pedem depósitos, porém estes é que são os bons). Estou sendo generoso falando de mil dólares, tem gente que vai logo pedindo 2, 3, 4 ou até $5 mil dólares sem mexer em nada. Estes são os famosos águias com se dizem no Brasil. E logo eles vão avisando; ‘O seu caso é complicado, mas nós vamos resolver, mas teremos que trabalhar muito para AJUDAR você. Depois você vai ter pagar mais (esta conversa e uma conversa de um advogado perigoso, principalmente quando ele fala que é influente nas cortes), cuidado o pouco que ele fizer pode lhe custar uma fortuna e se fizer muito então prepare o bolso.
5-      Uma vez que você contratou o serviço do advogado, já deu seu depósito de entrada, aceitou o preço pelo serviço todo ou por hora, fique atento. Caso você tenha alguma dúvida e queira falar com o advogado profissional que você contratou e esta pagando, e ele não tem mais tempo para atender você pessoalmente (normalmente começam a enrolar e marcam uma visita para depois de duas ou três semanas ou até um mês depois da sua solicitação de vê-lo pessoalmente) desconfie dele, principalmente quando você só consegue falar com a funcionária dele, ou a secretária que tenta explicar tudo que esta se passando no seu processo para você e o que esta acontecendo no seu caso. DESCONFIE! Você não contratou a funcionária dele, não pagou para ela, você não tem ligações com a secretária dele, você pagou e contratou o advogado, logo se quer falar com ele é dever dele como seu contratado de atender você, ele tem que prestar conta a você ou ajudá-lo a esclarecer as suas dúvidas, afinal quem esta pagando? A funcionária dele e problema dele não seu. Só para relembrar o que já escrevemos: Normalmente um advogado recebe você em um primeiro momento (quando abre o caso), depois vira um parto falar com ele. DESCONFIE, bote a boca no trombone na comunidade. Nas mídias, nas rádios, nas ONGs e veja quem vai apoiar você ou quem vai apoiar o advogado neste caso. Não esqueça divulgue para seus amigos que ele não é bom caso isso realmente aconteça. Ajude para que outros não sofram o que você está sofrendo, assim vamos afastando este tipo de profissional da comunidade. Precisamos saber quem colocamos no meio da nossa comunidade como supostos “amigos da comunidade’.
6-      Assim como no Brasil tem a OAB que regula os advogados no Brasil, aqui nos EUA tem o BAR que regula os advogados aqui em Boston. Tem casos que você pode se sentir traído, enrolado, esta acuado pelo advogado e você não vê progresso e sente que ele só tomou o seu dinheiro e não fez nada por você e ainda te prejudicou no processo. Neste caso é fácil abrir uma denuncia contra ele, e isso não um bicho de sete cabeças e nem vai custar nada para você, afinal o BAR aqui em Boston funciona como um balcão do direito do consumidor no Brasil. O serviço não foi bom do advogado, você sentiu prejudicado, traído, enrolado você pode e deve buscar seus direitos no Massachusetts Board of Bar Overseers que fica no seguinte endereço; 99 High Street, Boston, Massachusetts 02110, Tel: (617) 728-8700. Você pode consular o BAR também antes de contratar um advogado, para ver o histórico público do profissional que você quer que trabalhe para você, caso ele tenha muitas reclamações, se já foi penalizado pelo BAR ou se esta passando por algum processo interno, etc. tudo você pode saber no seguinte endereço on line: https://massbbo.org/
    Lei do Obama – Ordem Executiva recente – Ela é similar a que foi dada aos estudantes a pouco tempo atrás. A aplicação é fácil, deve ser nos mesmos moldes da anterior, você pode preencher sozinho ou com ajuda de um profissional, como foi com a anterior. A dedução é obvia por que é uma extensão da ordem executiva anterior, logo os moldes são os mesmo. No momento não é possível aplicar, o governo fala que para quem estiver apto as aplicações vão estar disponíveis a partir do final de fevereiro ou em março de 2015. A aplicação não é um bicho de sete cabeças, mas uma ajuda sempre é bom se você não está seguro. Na ordem executiva dos estudantes tinha gente cobrando, $100.00, $200.00, outros cobravam até $1.000,00 dólares para ajudar a preencher a aplicação. E teve algumas ONGs que até ajudavam a preencher por uma preço simbólico de $20.00 dólares. Nesta corrida do ouro para ganhar alguns polpudos trocados com estas aplicações, tem advogados, ONGs, igrejas, e mais um monte de profissionais querendo largar na frente, por isso, vai com calma, nada de afobamento, escolha com calma se precisar de ajuda, nem sempre o mais barato é o melhor e nem o mais caro mais seguro. Procure alguém que você confie para ajudar você e de preferência se pagar para alguém preencher a sua aplicação pegue um recibo e que tenha o nome do responsável pelo local onde você esta preenchendo a aplicação bem legível. Se algo der errado na sua aplicação por conta de preenchimento você pode denunciar na mídia, etc. e dar o nome de quem atrapalhou você na sua tentativa de se legalizar e ainda cobrou por isso.
Importante:
Tem muitos advogados aqui em Boston que falam português, existe muitos outros que são brasileiros e formados aqui, por outro lado, tem inúmeros americanos que contratam tradutores para facilitar a comunicação com a comunidade. Neste meio, tem profissionais muito bem renomeados e de alto nível, sérios e competentes, mas com toda a profissão tem alguns profissionais que são um desastre. Fique atento e você vai saber por conta própria que é quem neste mercado dentro da nossa comunidade. Nesta corrida do ouro aparecem muitos advogados garimpeiros no meio da comunidade. Status não significa competência, pense nisto!
HBBN – Paulo Monauer
Fotos Divulgação
De sua opinião sobre está matéria:
pmonauer@hellobrazilnews.com

Dólar a R$2.70 a caminho dos R$3.00 reais incrementa negócios no Brasil

Hello Economia!
·       Investimentos nos EUA
Bem se você mora nos EUA e optou em comprar uma casa nos EUA, não tenha dúvida que fez um bom investimento, o momento é bom os juros para financiamentos estão baixos demais e as condições estão muito favoráveis ao comprador. Não é um bom momento de vender bens imóveis, ou se desfazer deles por aqui, só se houver uma extrema necessidade. Os preços dos imóveis estão camaradas e a tendência e eles darem uma valorizada em 2015 muito boa, ou seja, os preços podem subir e o mercado inverter, pode ficar bom para venda e não para compra. Para venda espere um momento mais apropriado. A compra ainda é um bom negócio por que tem muitos bancos com casas devolvidas pelos compradores e querem se livrar delas. Outra opção bastante usada por brasileiros e de comprar casa no leilão aqui em Boston os preços nestes casos são prá lá de módicos. No nosso mercado local o câmbio não interfere em nada. Tai a dica local.
·       Quanto aos investimentos no Brasil
O mercado brasileiro para quem vive aqui em Boston é muito diferente em comparação com quem vive no Brasil. Ter o dólar a quase 3 por 1 real e uma oportunidade de consolidar negócios por lá. Se você comprou um imóvel, ou se esta pagando as prestações de um imóvel lá no Brasil, ter uma cotação do dólar neste patamar é quase como ganhar na loteria. As vantagens são inúmeras para quem investiu ou quer investir no Brasil. O momento de comprar é ótimo. Uma entrada em um imóvel no Brasil com seu dólar que praticamente pode ser multiplicado por 3, é um negocio da china. Sem falar que uma cotação alta do dólar em referencia ao real poderia aliviar seus reforços semestrais (se existirem) nas prestações de tempos em tempos, ou seja, eliminá-los. Quanto à prestação ao invés de pagar uma você poderia facilmente pagar de 3 em 3 e quitar o imóvel com mais rapidez e facilidade, se não der para tanto, pague de duas em duas, etc., isso com certeza poderia diminuir seu saldo devedor com uma facilidade meteórica.  O mercado financeiro é muito oscilante e o que é favorável hoje pode não ser amanhã. Contudo nada vai mudar no Brasil nos próximos seis meses e este é o momento de você acelerar nos seus projetos por lá e quitar dividas, diminuí-las com mais facilidade.
·       Quem mora no Brasil e investiu nos EUA
Com o dólar alto, brasileiros que compraram imóvel financiado nos EUA veem as prestações dispararem. Vários fatores levaram inúmeros brasileiros que moram no Brasil a investirem em imóveis aqui nos EUA, principalmente na Flórida. O primeiro foi o preço de um imóvel na Flórida. Eles estavam bem mais compatíveis que no Brasil, o metro quadrado na Flórida era e é praticamente a metade do que é no Brasil. Outro fator que impulsionou os brasileiros a tirarem dinheiro do Brasil e colocarem nos EUA foi à moeda estacionada por um tempo, o que incentivou os investimentos, contudo alguns consumidores não provisionaram margem para cobrir oscilações do câmbio e hoje estão em maus lençóis. Quem comprou um imóvel não a título de investimento na Florida, mas para curtir nas férias, está tremendamente arrependido. Por outro lado quem comprou para investir e alugar, esta tendo uma ajuda com os alugueis arrecadados, mas mesmo assim precisam botar algum para completar as prestações e este algum às vezes não é pouco, até por que não estão com os imóveis alugados todo tempo. Estes estão querendo que real suba e o dólar caia. É como torcer por uma zebra gigantesca acontecer no câmbio, porém na economia tudo é possível e nada é tão previsível assim. Tudo é momento. Entretanto eu não acredito em uma zebra cambial e você?
HBBN – Paulo Monauer
Foto divulgação
De a sua opinião sobre esta matéria
pmonauer@hellobrazilnews.com

O exercito de fofinhas não para de crescer!

Emagrecer
Perder peso e uma obsessão de toda a mulher, não interessa o quão linda ela esteja, sempre acha que esta acima do peso. A vaidade impera de ponta a ponta. Dizem as boas línguas que para elas não se deixar vencer nesta luta de perder peso o que funciona mesmo é uma boa motivação. E nada melhor do que uma gincana com vários prêmios inclusive em dinheiro para isso. Com um grupinho aqui e outro ali, com reuniões em Everett, Marlboro, Framingham e por ai vai, já tem um batalhão de mulheres na competição. A responsável pela idéia e a mentora destes grupos é Lilian Mageski que após fazer algumas cirurgias e brigar com a balança constantemente foi buscar apoio de mulheres com o mesmo objetivo do que o dela para vencer esta luta. A partir daí criou o ‘Desafio Peso Ideal New England’. Lilian fez parcerias com nutricionista Ana Caroline Pavesi, com a psicóloga Flávia Marconato e a Fitness Coach Janaina Suarez que são as profissionais especialistas que servem de apoio profissional nesta batalha contra peso. O projeto esta andando de ‘vento em popa’ e as mulheres que estão participando estão muito motivadas e ficando mais leves. Periodicamente abrem novos grupos e já tem vários em andamento e Lilian diz que sempre tem vaga para mais uma mulher em qualquer grupo. Têm reuniões praticamente todas as semanas (porque são vários grupos) em locais variados. Em janeiro/2015 já vai ter um ou dois grupos em fase de fechamento encerrando a gincana de onde sairá uma grande vencedora, que vai ser homenageada e premiada em uma grande festa, inclusive com uma matéria de capa do Hello Brasil Boston News. Não fique de fora entre em contato com a Lilian e não interessa onde você mora sempre vai ter um grupo bem pertinho de você, que você pode participar.
Contato: Lilian – 978.760.1460
HBBN – Paulo Monauer
www.hellobrasilmews.com
www.facebook.com/hellobrazilnews
    

Diplomacia

Consulado do Brasil em Boston
Na verdade todo o brasileiro desconhece um serviço diplomático do Brasil até um dia sair do Brasil e precisar dele. A visão que todo brasileiro tem da diplomacia brasileira em um primeiro plano, falo de quem nunca saiu do Brasil, é que ela existe para estreitar relações e mediar negócios internacionais de interesses do Brasil e dar um suporte aos brasileiros no exterior, entre outras coisas, o que não deixa de estar em parte certo, até por que os serviços diplomáticos vão bem mais longe que isso. O Brasil era um país pequeno, insignificante e sem uma projeção mundial até bem pouco tempo atrás. Hoje tudo mudou e nós brasileiros temos um espaço respeitado fora do Brasil. Com isso a diplomacia brasileira foi obrigada a crescer no mundo, inclusive em Boston, por isso temos um prédio que podemos chamar de mini embaixada, no coração de Boston com quatro andares exclusivos, inteirinho do consulado.
O que era antes uma ‘caixa de pandora’ para os brasileiros, falo do trabalho diplomático, que é composto por pessoas bem formadas, poliglotas, algo tipo assim um ser superior (visto pelo ângulo diplomático), virou uma banalidade no nosso meio aqui em Boston. Até por que os diplomatas poliglotas, bem educados e bem formados, ‘aqueles seres superiores de antigamente’, hoje têm uma realidade profissional dura e crua que ainda não conseguiram digerir e nem aceitar. Eles precisam trabalhar não somente com pessoas de alto nível social, turistas estrangeiros que vão ao Brasil, empresários internacionais, mas sim com o povo brasileiro que vive no exterior, estes (o povo brasileiro) não por que estudaram, mas por necessidade também são poliglotas na sua grande maioria e muitos são extremamente bem sucedidos financeiramente e por incrível que pareça nem nível colegial completaram no Brasil. O que circula mesmo na casa consular de Boston e faz o movimento dela é a comunidade brasileira local, logo, o diplomata que estudou línguas, se formou na faculdade, sonhou em trabalhar no exterior em ter uma carreira promissora fora do Brasil, cai na realidade, que o serviço que mais rola no exterior, pelo menos aqui em Boston é dar assistência a brasileiros e estes na sua grande maioria são de um nível educacional inferior ao seu de diplomata, o que causa um desconforto ‘besta’ a alguns diplomatas.
Por conta disto tem muito diplomata que foge da comunidade brasileira local, pois não se identifica com o seu povo, com suas origens, com sua comunidade no exterior, até por que se acham superiores a grande ‘ralé’ que vive por aqui e já vi alguns diplomatas desdenhando da comunidade pela sua simplicidade. Os diplomatas para se livrar do contato direto com o povo que vive em Boston, usam um escudo, que são chamados de funcionários administrativos, que fazem o ‘serviço sujo do consulado’ que é atender os brasileiros. Pois um diplomata brasileiro acha uma humilhação ter que atender em um balcão de frente consular e pegar um brasileiro analfabeto que muitas vezes vive há anos por aqui e é um vencedor e um desbravador brasileiro no exterior, do outro lado do balcão. Entretanto este diplomata só esta aqui por que este e outros brasileiros estão aqui.
O Consulado de Boston tem uma média de 10 diplomatas e às vezes alguns diplomatas encostados (só vem para se beneficiar de um curso ou estudo ou uma missão temporária) e mais uns 20 e tantos funcionários administrativos. A grande maioria, ou melhor, na sua totalidade dos diplomatas que trabalham em Boston a comunidade desconhece e nem sabe o seu nome ou função consular. Tudo fica dentro da ‘caixa de pandora’ é um segredo consular. Um erro, pois cada diplomata que chega neste consulado de Boston a comunidade brasileira local deveria saber o seu nome e qual sua função consular. Deveria ter uma lista dos diplomatas lotados em Boston na página do consulado na internet.
Só a titulo de comparação, para podermos ver a queda que atingimos; Antigamente em Boston quem visitava presos e cuidava deste assunto sempre foi um diplomata de carreira, afinal parte dos seus estudos diplomáticos é a ‘cadeira de direitos humanos internacionais’, e ele diplomata depois de formado e trabalhando no exterior está apto profissionalmente para ser um fiscal destes direitos quando tem um brasileiro preso, seja em que situação for, preso de imigração ou pelo crime mais hediondo que existe. Hoje os diplomatas de Boston também acham uma humilhação visitar presos, salvo quando podem ter uma projeção profissional com algum preso, aí tiram todo mundo da frente e tomam a dianteira do serviço, porém como estas são circunstancias raras os diplomatas de Boston usam um escudo profissional para fazer este serviço mais uma vez, os ‘funcionários administrativos’ que não tem gabarito profissional para detectar e cobrar com nobreza os direitos dos brasileiros presos. Neste desvio de função e de funcionários para cobrir obrigações diplomáticas fora do prédio consular eles os diplomatas aproveitam o fato para engrossam o coro mais uma vez quando reclamações da comunidade chegam aos seus ouvidos referentes ao atendimento, o chavão é sempre o mesmo; faltam funcionários no consulado para o atendimento ao público no balcão. Se este é fato real e concreto, neste caso poderíamos ter diplomatas atendendo na frente, os guichês, uma vez que a prioridade do consulado de acordo com sua cartilha de regras consulares é o atendimento ao brasileiro.
Diplomata e Comunidade precisam viver em harmonia sem barreiras, um depende do outro. E o melhor jeito é achar um bom senso para intermediar tudo isso. Mas os diplomatas precisam descer do salto alto que se encontram. A ditadura já acabou há anos e uma nova realidade precisa ser introduzida no meio diplomático, apesar de que a maioria dos diplomatas brasileiros são do tempo da ditadura, logo e plausível, porém é inadmissível dentro da nossa realidade que ainda tragam alguns vícios de trabalho e postura daquela época.
O consulado vai receber uma nova consulesa em janeiro/2015, Grivania Oliveira está será sua primeira casa diplomática fora do Brasil, onde ela será a autoridade máxima. Todo o suporte será dado a ela pela comunidade e pela mídia, ela merece uma carta branca para impor seu ritmo de trabalho. Contudo já entra com desafios que precisam ser resolvidos com urgência referente a serviços junto à comunidade brasileira local como:
·         Brasileiros presos na jurisdição consular
ü  Quantos presos têm na imigração
ü  Quantos presos criminais
ü  Quantos destes são homens
ü  Quantos são mulheres
ü  Qual é a periodicidade de visitas aos presos
ü  Qual o telefone direto do consulado para os presos ligarem e pedirem suporte
ü  Neste mês de dezembro o consulado vai distribuir cartões telefônicos para os presos ligarem para suas famílias, como já fez em outros anos?
ü  Por que alguns presos estão recebendo regalias e tratamento diferenciado e outros não
·         Consulados Itinerantes – Qual a programação para 2015
·         Atendimento do telefone no consulado – Nunca ninguém atende e não existe caixa de mensagens
·         Cartel dos despachantes do consulado – Quando vão abrir este serviço para qualquer profissional se cadastrar – os preços cobrados por alguns despachantes é exorbitante, têm despachantes vendendo por mais de $10 mil dólares sua inscrição no consulado
·         Conselho de Cidadão – Precisa colocar um basta em quem quer ganhar dinheiro e influência na função
·         ‘Open House Consular’ para aproximar o consulado da comunidade – Apresentar o consulado a casa brasileira para quem quiser conhecer
·         Aumentar o horário de atendimento ao público se possível for
·         Abrir um sábado por mês para atendimento ao público – isso facilitaria para inúmeros brasileiros que trabalham nos dias da semana– O consulado poderia trocar um dia de trabalho da semana por um sábado por mês, para não onerar os custos consulares
HBBN – Paulo Monauer