Wednesday, October 30, 2013

A hora delas...

Profissionalmente falando, elas são o máximo, quando o assunto é: Saúde Ocular



Brasileiras, independentes, com suas vidas amorosas e pessoais bem resolvidas, totalmente auto-suficientes financeiramente. Na verdade não só elas, mas muitas mulheres brasileiras da nossa comunidade aqui em Boston estão na mesma situação destas duas protagonistas da nossa pauta de hoje; Roberta Teixeira Feraco e Maria Carolina Yanosy.
História de vida
ROBERTA, carioca de Campos, tem pais separados e mais dois irmãos. Chegou a Boston 2003. Mas sua história de vida começou como todo bom imigrante, lá no Brasil. Com apenas 19 anos entrou na Faculdade de Medicina em Valença, RJ, se formou em 2000. Depois de formada fez residência de Oftalmologia (especialização) no hospital da marinha, RJ, e concluiu os seus estudos fazendo a Pós-Graduação em Oftalmologia também no RJ. Em 2003, participando de um congresso Internacional de Oftalmologia no Rio de Janeiro, recebeu um convite para concorrer a uma bolsa de estudos para fazer uma Pós Graduação em Glaucoma em Boston.  No exame seletivo ficou entre uma das primeiras colocadas e ganhou a Bolsa. Desembarcou em Boston em 2003, concluiu sua Pós Graduação em Glaucoma em 2005. Terminou a Pós Graduação e decidiu estudar por mais dois anos em Boston para tirar sua licença de Optometria, em 2007 se formou, e assim se habilitou legalmente para trabalhar aqui nos USA, e adotou definitivamente Boston como se novo lar. Neste período fez também um estagio em uma clinica de na cidade Somerville, e depois foi efetivada como médica da mesma. Tudo faz mais sentido quando se descobre que a mãe da Dra. Roberta, hoje com 57 anos, logo que se separou do marido, 1996, no Rio de Janeiro, veio para Boston, como imigrante indocumentada. Quando aqui chegou, começou a limpar casas e até hoje tem um ‘schedule’, de onde tira o seu sustento com dignidade. A mãe da Roberta, Dona Delma Clark, com o dinheiro que ganhou limpando casas aqui em Boston, pagou a faculdade da Roberta e de seus dois irmãos. Literalmente formou uma médica (Roberta), um advogado (Vitor) e um jornalista (Gustavo), este inclusive já viveu aqui em Boston e fez uma viajem fantástica aqui de Boston até Rio de Janeiro de moto junto com a namorada, voltando ao assunto, Dona Delma arcou com todas as despesas educacionais dos filhos por que o pai da Roberta, na época enfrentou algumas dificuldades e não conseguiu ajudar os filhos com os custos dos estudos universitários.
CAROLINA, catarinense de Criciúma, tem suas origens todas elas voltadas para o mundo da ótica. O pai da Carolina (‘Carol’ para os mais íntimos), desde que ela se lembra por gente tinha um atacado de vendas lentes para óculos e a mãe uma ótica no centro de criciúma, hoje ambos já estão aposentados. A família ainda tem mais dois integrantes, uma irmã que tem uma ótica hoje na cidade de Criciúma e um irmão que se formou médico, mas ainda esta decidindo no que vai se especializar, enquanto isso como ela diz: ‘Ele vai dando voltas ao redor do mundo, passeando atrás de uma inspiração no que se especializar dentro da medicina’. Carolina chegou aos EUA com 21 anos em 2001, e o que não lhe foge da memória deste seu primeiro dia em Boston foi: ‘O meu tio me pegou no aeroporto e me levou direto para loja dele, uma ótica na grande Boston, uma hora depois eu já tinha vendido o meu primeiro óculos aqui nos USA’. ‘Na verdade vim para EUA para aprender inglês, este era o meu objetivo’, conta Carolina. ‘Não vim fazer fortuna, ou por que tive alguma decepção financeira no Brasil. Sempre fui muito objetiva em tudo que procuro conquistar, por isso logo que cheguei aqui com poucas semanas arranjei um namorado americano, pois na minha cabeça era o jeito mais fácil de eu aprender inglês’, revelou Carolina ao Hello Brasil News. Com dois meses de namoro descobriu que estava gostando do tal americano, e poderia se apaixonar, mas não queria sofrer com isso, com uma separação posterior, então se declarou ao ‘gringo’, contou a verdade, que começou com ele por interesse (aprender inglês), mas que viu que a coisa estava ficando séria pelo menos do lado dela, e pediu o ‘americano em casamento’, o incrível ele aceitou. Ela trabalhou por 4 anos na loja do tio na grande Boston. Casou em 2004 com tal, o mesmo primeiro namorado em Boston, quatro anos depois de pedir ele em casamento. A Carolina brinca que gastou uma pequena fortuna nos casamentos, e que casou com seu marido 4 vezes, e assim se amarou por completo ao Matt Yanosy, o ‘gringo’ da sua vida. Casou no civil e no religioso aqui nos USA e repetiu a dose no Brasil. Hoje o casal tem uma filha de 4 anos. Em fevereiro de 2005 com ajuda de seus pais, que viveram um tempo aqui em Boston, neste período, abriu sua própria ótica em Taunton. Para isso usou todo o conhecimento que aprendeu com os pais e com o tio aqui em Somerville nos EUA, ótica onde trabalhava. Contudo antes de abrir à sua ótica teve que tirar a licença em MA de ‘Optical Technician’ que é dado pelo ‘The Commonwealth of Massachusetts Division of Professional Licensure’.  A Carolina explicou que para se tirar esta licença tem que fazer um curso de 2 anos, para depois encarar a prova, entretanto como ela já tinha uma bagagem de 4 anos de trabalho, foi para o teste com a cara e a coragem e passou, pulando o curso de 2 anos. Este órgão de Massachusetts que dá a licença para os empresários se tornarem aptos a serem donos de uma ótica (loja que vende óculos), é o mesmo órgão do estado de MA, que dá as licenças para as cabeleiras, manicures, massagistas, vendedores de imóveis (real state), etc. Depois disto em novembro 2005 abriu outra ótica em Haynnis, depois abriu outra em Abington. E finalmente se mudou de vez para Everett, onde começou em 2010 e esta até hoje.
A fusão das duas amigas e colegas profissionais
Carolina, logo que abriu a ótica em Everett, descobriu a Dra. Roberta (médica, brasileira, típico perfil ideal para ótica dela) que na época trabalhava em uma clínica em Somerville. Fez um contato telefônico com a Dra. Roberta convidando ela para trabalhar na ótica. De imediato ela foi rechaçada pela Dra. Roberta, pois não conhecia a Carolina, e a Dra. já havia rechaçado outros dois convites de duas óticas conhecidas da comunidade brasileira aqui da grande Boston. Tudo por que o conceito destas óticas na visão dos profissionais americanos da área e da Dra. Roberta é que os donos destas óticas fazem exames de retração em pacientes, e isso é ilegal em MA. A confirmação deste ato ilegal para Dra. Roberta veio através de vários pacientes destas óticas que a procuravam para consertar erros grotescos destas óticas na determinação do grau ocular, entre outros problemas de cada paciente (os pacientes confirmavam para Dra. que quem fez o exame da saúde do olho deles eram os donos das óticas). Um técnico de ótica (dono da uma ótica) tem licença somente para vender óculos, mas nunca tem ou teve licença para prescrever receitas de óculos, fazer exames oculares, determinar o grau de lente, etc., se denunciados podem ir para cadeia, por pratica ilegal da medicina. Só um médico pode fazer isso, e para isso precisa de diploma e de faculdade, anos de estudo. Depois de um tempo a Dra. Roberta ouviu falar da Carolina e descobriu que ela não praticava estas atrocidades de prescrever receitas para pacientes na sua ótica, e o que ela realmente fazia e faz e até hoje é vender óculos, e orientar os pacientes para ter a melhor armação, ou a melhor lente de acordo com as características pessoais de cada cliente, formato de rosto, etc.
A sociedade
Em 2011 depois da confirmado o profissionalismo da Carolina, por parte da Dra. Roberta, ela decidiu aceitar a proposta da Carolina. Hoje são as empresárias proprietárias do Everett Vision Center e grandes amigas.
Entenda a Optometria (especialização médica da Dra. Roberta) 
A Optometria é uma ciência da área da saúde, com base na física. A Optometria existe no mundo há mais de cem anos, sendo praticada em mais de 130 países. A Optometria é uma ciência especializada no estudo da visão, especificamente nos cuidados primários da saúde visual.
Numa acepção mais atual é a ciência que detecta, analisa e compensam problemas visuais de natureza refrativa, funcional, binocular, com o propósito de prescrever lentes compensadoras, ajudas visuais (lupas, telescópios, etc.), treino e/ou reabilitação visual. A Optometria é uma profissão fundamental nas sociedades modernas no que respeita à intervenção preventiva na área da saúde visual. É uma profissão dos cuidados primários da saúde visual que é autônoma e auto regulada. O Optometrista é um especialista dos cuidados primários da saúde visual, que pratica Optometria e que fornece cuidados extensivos em visão e sistema visual, que inclui refração e prescrição, detecção/diagnóstico e acompanhamento/tratamento de doenças oculares e a reabilitação/tratamento de condições do sistema visual. Facilmente um Optometrista diagnostica pressão alta, diabete, colesterol, tumores no celebro, entre outras doenças cada vez que faz um exame de fundo de olho (aquele exame de dilata a pupila ocular)
Técnico de Óptica Ocular (especialização da Carolina)
 É o profissional qualificado apto para realizar fabricação de lentes oftálmicas, montagem e adaptação de artigos destinados a compensar problemas visuais, nomeadamente montagem de óculos, mediante prescrição óptica, dada por um médico com especialização na área. Ou seja, prepara, de acordo com a prescrição, lentes para óculos e coloca-as nas armações adequadas às características ópticas, geométricas das lentes e fatores morfológicos do cliente. Este profissional está também apto a desenvolver atividades de natureza comercial e de organização e gestão de uma pequena empresa de óptica ocular. Basicamente um Técnico Ocular analisa a receita, analisa o estilo de vida do paciente, tipo de rosto, tipo de armação e lente ideal.
Importante: A Dra. Roberta alerta a comunidade
Alguém de jaleco branco em uma ótica com seu nome estampado nele não quer dizer que ele seja um médico. O dono da ótica nunca pode ser o médico, nunca pode fazer um exame de vista em você. O estado de MA não permite isso, existe conflito de interesses e é ilegal.  O DONO DE UMA ÓTICA JAMAIS poderá fazer um exame de refração de olho (verificar a saúde ocular de um cliente e prescrever uma receita), se fizer isso ele é um CHARLATÃO, VIGARISTA e pode trazer danos irreparáveis para seus olhos. Precisa ser denunciado com urgência para os órgãos estaduais da saúde. Ele pode sofrer um processo por isso, corre o risco de ter sua ótica fechada, e na pior das hipóteses pode pegar alguns anos de cadeia, se for comprovado que ele causou algum dano a qualquer cliente seu, e nem vamos falar na indenização financeira que terá que pagar aos prejudicados, além do prejuízo de sujar o nome da comunidade.


Everett Vision Center
1885 Revere Beach Parkway
Everett – MA – 02149
Fone - 617.389.0099

HBN – Local – Paulo Monauer
Fotos Divulgação

facebook - Hello Brazil News and Hello Brasil News

No comments:

Post a Comment