Sunday, November 30, 2014

O injuriante caso de Alexandro Gomes Ribeiro, preso desde 15 de maio de 2014 em Boston

By Paulo Monauer
Brasileiros presos em Boston III
Consulado Brasileiros – Inexiste Direitos Humanos, mais uma prova concreta


Foi espancado na cadeia, está com luxações pelo corpo, com a mão toda roxa. Foi colocado em solitária por mais de 4 dias. Está mal alimentado. Esta preso desde 15 de maio de 2014. Há suspeitas de abusos maiores com o Alexandro de que ele anda sofrendo muito mais coisas na cadeia. Na semana passada recebeu a primeira visita consular, para averiguar as condições dele. Antes tarde do que nunca, mas ele já esta até meio perturbado mentalmente. Quem cuida dos direitos humanos dos brasileiros na cadeia é a Ministra Maria Helena Pinheiro Pena. Onde será que ela andava neste tempo todo? E o Glênio Bongiolo era o serviçal que a seu comando cuidava das visitas aos presos brasileiros até outubro deste ano de 2014. Onde ele estava enquanto Alexandro era espancado na prisão e até ameaçado de morte?  
·       Alexandro Gomes Ribeiro / Preso por problemas de imigração
 Preso atualmente em Bridgewater - Está preso desde 15 de maio de 2014 – Depois de preso por 5 meses recebeu a primeira visita consular só aconteceu agora no mês de novembro/2014. Quem fez a visita foi o agente consular Marcos que está assumindo temporariamente o lugar do ineficiente e mal profissional Glênio Bongiolo que carrega o titulo de agente consular brasileiro. Alexandro também recebeu a visita de um psiquiatra que trabalha para o consulado de Boston. O pior a visita não foi espontânea do consulado para o Alexandro, foi induzida a força, pela mãe do rapaz. Que fez inúmeras insistências desesperadoras ao consulado.
·       O desespero de uma mãe, Dona linda:
‘A prisão esta deixando meu filho louco, eles não estão alimentando meu filho direito, ele apanhou na prisão, levaram ele para uma sala colocaram alguma coisa nos seus olhos e bateram nele muito, e fizeram coisas horríveis com ele lá, decorrente desta situação ele ficou com várias luxações no corpo e tem uma grave na mão que ainda não teve um atendimento adequando. Meu filho ficou na solitária depois que bateram nele na prisão, ficou lá por mais de 4 dias incomunicável. Ele no momento esta em um hospital prisão (Bridgewater) para ser tratado, mas ele treme de medo ao pensar em voltar para presídio, ele diz que iram matá-lo lá. Os remédios que estão dando para ele no hospital estão alterando o seu sistema nervoso e ele começa a apresentar problemas de memória, coisa que ele nunca teve antes. Cinco meses atrás meu filho era normal, ele tem 28 anos e sempre foi muito saudável. Eles têm que me devolver meu filho sadio como entrou na prisão, não doente como ele esta agora. Alguém tem que ajudar!’
·       A história de Alexandro
          Alexandro Gomes Ribeiro, natural de Governador Valadares vai completar 29 anos agora 6 de dezembro, completa agora 6 anos de América. Um homem alto forte e de acordo com Dona Linda sua mãe, come bem, e sempre foi muito saudável. Sua mãe Dona Linda tem 9 anos de América, veio primeiro e depois trouxe o filho. Mãe e filho sempre moraram juntos, um cuidava do outro.
Alexandro trabalhava em uma mecânica de funileiro, um especialista na área. Um dia um hispano o contratou para fazer um serviço de funilaria no carro dele em fim de semana. Ele fez o serviço e o hispano nunca pagou pelo serviço. Um belo dia ele cruzou com o hispano na rua, cobrou o rapaz, e nada do dinheiro. Acabou dando uns tapas no hispano na rua. O hispano foi a policia de Somerville e deu queixa que Alexandro tentou assassiná-lo, e usou uma arma para isso. Passado alguns dias policias de Somerville bateram na casa do Alexandro e o levaram preso depois de revistar sua casa e não encontrarem nenhuma arma. Isso aconteceu no dia 15 de maio de 2014. Depois disto Alexandro nunca mais saiu da cadeia.
Dona Linda uma senhora humilde, trabalhadeira sem muitos recursos arranjou dinheiro emprestado e durante todo este período que o filho está preso já pagou $9.500.00 para um advogado. Ele tem um divida neste valor para pagar, pois amigos a socorrem para tentar tirar seu filho da cadeia.
Alexando foi para a corte 3 vezes, para enfrentar o juiz no caso de tentativa de assassinato. O hispano que nunca apareceu em nenhuma corte para consolidar a queixa que ele fez na policia. Depois de 3 meses de prisão, pois não foi dado fiança para Alexandro responder a suposta acusação em liberdade, o juiz encerrou o caso e disse que Alexandro estava livre. Veio à imigração para prendê-lo sem dar chance de ele chegar até a rua. Do presídio de Belirica foi direto para Burlington.
Nova fase para Alexandro, agora estava sendo acusado de falsificação de passaporte. Nos computadores da imigração, o nome dele já estava lá, e já havia sido deportado para o Brasil. Foi tudo um grande mal entendido, viram que ele tinha um passaporte verdadeiro dele, e que alguém tempo atrás clonou o passaporte dele lá no Brasil e veio para os EUA. Todo se resolveu com confronto da foto e impressão digital. A acusação era falsa, mas ele ainda continua preso. De Burlington levaram ele para Briston onde estava preso até uma semana atrás. Foi nesta prisão que ele foi espancado, colocaram alguma coisa nos seus olhos e bateram muito nele, depois foi jogado em uma solitária. Como as condições de saúde dele não estavam boa, levaram ele para o presídio hospital de Bridgewater, o mesmo onde esta o Dadalto Jr. que contamos a história na semana passada, aquele que já cumpriu a pena e depois de 7 anos ainda continua preso. Pois bem vamos voltar ao Alexandro, que durante 7 meses nunca teve uma visita do advogado da dona Linda que já pagou $9.500.00 para ele. Na semana passada um assessor do advogado esteve lá para falar com ele, esta foi à primeira visita em 7 meses.
Alexandro ainda está preso por que esta muito revoltado com tudo que esta passando na prisão, a mãe diz que ele não reconhece mais ela como mãe às vezes. Dona Linda não tem documentos, e vai ao presídio constantemente ver o filho. Há algum tempo atrás ele teve uma informação que finalmente o filho iria ser deportado, e recebeu instruções do advogado para levar uma mala de roupas dele para ele voltar para o Brasil, e ela também mandou $400.00 para ele ter um dinheiro quando chegasse ao Brasil. Isso já fez mais de um mês, a mala esta sentada em Burlington e os $400.00 também, porém o Alexandro ainda esta preso em hospital agora psiquiátrico, tomando remédios fortíssimos, que esta lhe tirando a razão, em uma semana só que esta lá.
Alexandro, agora teve uma primeira visita consular, e só depois de o Hello publicar matérias sobre a falta de zelo e profissionalismo da Diplomata especialista em recursos humanos a Maria Helena Pinheiro Pena e seu subordinado Glênio. Até um psiquiatra o consulado enviou ao presídio. Quanta coisa poderia ser evitada se o consulado cuidasse de nossos presos.
·       Contra fatos não há argumentos o consulado está devendo muito aos nossos presos... Eles estão abandonados
O Consulado de Boston há mais de ano é um fracasso total no quesito: Cuidar dos nossos irmãos presos! A Ministra Maria Helena Pinheiro Pena e Glênio Bongiolo são os nomes que a comunidade nunca vai esquecer, pois tem muitos brasileiros sofrendo por causa deles nas cadeias. Só para o leitor entender a gravidade humilhante da nossa comunidade nos presídios: ‘Tem brasileiro apanhando na prisão, comendo mal, com luxações no corpo, sem um atendimento médico condizente e sem proteção nenhuma consular. Um descaso repugnante do consulado com a nossa comunidade. Ninguém vive de fachada muito tempo, uma hora a casa cai. Caiu para o consulado, mais uma vez. O Hello expõe ao nosso leitor o que o consulado está escondendo e maquiando dela há muito tempo. Contra provas não há argumentos.  O Glênio é morador local (agente administrativo consular), nem parece que é brasileiro e é um dos nossos, pelo serviço que prestou de novembro de 2013 até agora outubro de 2014. Estar preso é uma coisa que você só entende quando vive uma situação real destas. Definitivamente a Maria Helena Pinheiro Pena e o seu fiel e incompetente escudeiro pessoal Glênio Bongiolo, não sabem o que é isso, e deixaram nossos irmãos nos presídios de Boston entregue as baratas. Enquanto famílias desesperadas não sabem o que fazer para libertar seus queridos que estão na cadeia e gastão fortunas com alguns advogados. Nem todo brasileiro na jurisdição do consulado de Boston que está preso é um assassino (a), bandido (a), ladrão, perigoso (a), tem muito brasileiro empreendedor, trabalhador, exemplar que está preso hoje por problemas imigratórios, problemas estes triviais na nossa comunidade, que com um empurrãozinho consular e assistência correta do consulado podem e poderiam ser enormemente diminuídos os seus sofrimentos. Outros aguardam julgamento, não foram condenados e podem ser absolvidos, outros já cumpriram a pena e continuam presos, e por ai vai.
Temos mais casos e vamos contar um a uma e mostrar como os direitos humanos do consulado de Boston NÃO trabalha com que precisa deles.
O presídio de Framingham é feminino, e tem mais de 4 brasileiras presas lá. Estamos falando com as famílias dos presos, e estamos investigando outros presídios também.
Semana vamos continuar com nossa pauta sobre presos em Boston.

HBBN – Paulo Monauer
Fotos Divulgação
www.facebook.com/hellobrazilnews
www.hellobrasilnews.com

Foto 1 – Glênio Bongiolo desde novembro de 2013 até outubro de 2014, esteve à frente de visitas aos presos em Boston. Raramente cumpriu com o que foi lhe designado, literalmente cuidar de presos, e sempre teve a proteção da Ministra Maria Helena Pinheiro Pena no consulado. Por que será heim?

Foto 2 – Maria Helena Pinheiro Pena, Ministra (como vice cônsul) responsável diretamente pelos direitos humanos do consulado, e também diretamente responsável pelas visitas aos presos. Ela já visitou algum preso até hoje? Quem?

No comments:

Post a Comment