Monday, October 23, 2017

Ainda, Bolsonaro em Boston!

Paulo Monauer

            Nunca fui um fã de Bolsonaro, eu nem sabia quem era o cara. A única coisa que sabia era o que a mídia do Brasil falava sobre ele. E não era, e ainda não são coisas boas até hoje. O pessoal solta o verbo; Ex-militar, capitão do exército, machista, durão, viveu na ditadura, ele é a favor da população ter o direito de se defender com armas uma vez que não existe policia no Brasil, quer mandar os bandidos para cadeia, mas se eles reagirem ele aprova mandar balas nos bandidos, ‘antes eles do que eu’ , fala ele, e por ai vai.

            Eu vive na ditadura também, conheço o esquema, de quando os generais mandavam no Brasil. Sei que a coisa não é fácil e não foi fácil, mas também não era tão complicada assim, eu estava lá. Desde criança cantava no coral da minha escola em Porto Alegre, o famoso colégio Roque Gonzales que depois passou e se chamar Medianeira, os dois se fundiram, cada um era de um lado da linda igreja São José, dirigidos por padres e freiras, na frente do melhor hotel da cidade naquela época, o cinco estrelas, Plaza São Rafael, na Av. Alberto Bins bem no centro da cidade. Por eu cantar no coral da escola algumas vezes que tinha missas na catedral da cidade onde tinha a presença do Presidente da República, o coral do colégio era convidado para fazer uma presença. E adivinha? Eu estava lá. Por isso cantei para alguns presidentes do Brasil como o General Emilio Medice, General Ernesto Gaisel entre outros, os caras estavam ali bem do meu lado na igreja. Eu era uma criança, mas me lembro bem destes momentos. E a ditadura militar no Brasil terminou em 1985, e nesta época eu já tinha 26 anos.

            Acho que o Brasil viveu e vive muitas injustiças que não foram quitadas. Na época dos generais e na época de hoje também. Olhar para o Brasil de hoje onde tem mais de 600 políticos em Brasília, onde o que ganha menos ganha R$146 mil reais por mês, e mais de R$2 milhões reais por ano, o difícil hoje é ver um destes famigerados políticos encher a boca e dizer; ‘eu não sou ladrão’, ‘eu nunca roubei nos meus mandatos’ , ‘não faço leis para meu beneficio pessoal, e sim para o povo brasileiro’, ‘se tiver que roubar largo o cargo’, e por ai vai.

            Olha quem destes mais de 600 políticos de Brasília pode encher a boca para falar isso? Muito poucos, pouquíssimos para dizer a verdade, e um deles acredite se quiser é o Bolsonaro. ‘Não preciso roubar, vivo bem com meu salário’, ‘o Brasil precisa de gente que tenha uma formação de caráter de berço’, ‘o Brasil da lei de Gerson precisa acabar’ diz Bolsonaro.

            Olha o Bolsonaro esta há 28 anos com mandatos consecutivos de político, se elegendo com voto popular, e não conseguem dizer hoje que este homem roubou, participou de conchavos para levar vantagem financeira, durante estes 28 anos. Vamos devagar! Não roubar não é uma virtude, e sim uma obrigação do mandato, mas na atual conjuntura, não roubar virou predicado de qualidade.  Olha se existe alguém liso que nem ele no Brasil e é candidato a presidente do Brasil vamos a luta, e vamos respeitar a concorrência, mas meter o pau por meter o pau no homem (Bolsonaro) só por ele é militar, e por que o cara é durão, é no mínimo insano. Vamos conversar, apresenta um concorrente e vamos nesta. Mas não vem com o tal de Lula que este é uma ofensa, o Lula esta livre da cadeia de favor, já foi condenado pela justiça e responde uma chuva de processos, este pode se dizer com todas as letras por que já foi condenado: ‘É um ladrão’. Quem serão os concorrentes com o Bolsanaro para presidente? Um já se apresentou, o Doria prefeito de São Paulo. Hum será que dá giro? O negócio é no ano que vem, mas já começou a pegar fogo.

                                                                          

No comments:

Post a Comment