Thursday, December 4, 2014

O brasileiro Junior Lemos dá garrafada no rosto de uma mulher na cidade de Lowell

Paulo Monauer / Boston
www.hellobrasilnews.com
www.facebook.com/hellobrazilnews

Junior Lemos, mais conhecido do Juninho, morador da cidade Lowell covardemente agrediu e deu uma garrafada no rosto de uma mulher no baile de aniversário do CTG 100 Fronteiras de Boston, no último sábado, 29 de novembro na cidade de Lowell.
O incidente
Junior Lemos (Juninho de Lowell) não era uma pessoa conhecida dos membros do CTG 100 Fronteiras de Boston. Entretanto esta era uma festa aberta ao público e algumas pessoas como o Juninho estavam ali pela primeira vez. Juninho estava com um comportamento estranho que destoava dos membros do CTG. Queria dançar com todas as mulheres e era insistente. A grande maioria das mulheres o rejeitava, pois não o conheciam. Ele então começou a pedir para dançar com mulheres casadas, que estavam ali com seus esposos e filhos pequenos. As festas do CTG sempre foram e são em um ambiente muito familiar e de grande respeito mútuo. Ele conseguiu dançar com algumas, outras não. Conforme testemunhas ele não estava bêbado, tinha bebido alguma coisa, mas estava consciente. A confusão se deu quando ele tirou uma mãe para dançar e esta mãe estava com sua filha adolescente na festa. No meio do salão ele perguntou para esta mãe quem era o homem entre ela e a filha. Ele desconhecia que as duas eram mãe e filha. A senhora ficou chateada e largou o rapaz no meio do salão e voltou para mesa onde estava com mais parentes e amigos. Contou para sua irmã o que tinha acontecido e mostrou quem era o rapaz (Junior Lemos) ao apontar para ele, ele estava olhando em direção a mesa e fazendo gestos obscenos com a boca para as duas.
A irmã se levantou e foi ao encontro do rapaz para pedir para ele parar com aquelas atitudes, na mesa que eles estavam tinha crianças. Ao chegar junto ao rapaz bateu em suas costas com uma pequena bolsa de mão que as mulheres costumam levar para as festas, para ele se virar e falar com ela. Ela não teve tempo de mais nada quando ele se virou estava com uma garrafa na mão e bateu com ela no rosto da mulher. O baile já tinha acabado e tudo isso aconteceu no final da última música da festa, todos estavam saindo do clube. A mulher atingida é conhecida de todos no CTG, participa de todas as festas do CTG rigorosamente, ela caiu no chão esvairando em sangue, a garrafada cortou-lhe o rosto profundamente. A garrafada foi violenta em uma mulher que não representava nenhum perigo para o Juninho, ele sim comprovadamente estava agindo e se mostrando um perigo para qualquer um na festa. Na hora Juninho (Junior Lemos) foi segurado por outras pessoas, ele ainda deu mais uma ou duas garrafadas no Vice Patrão do CTG. Apesar de tudo ele foi protegido por muitos membros do CTG que o colocaram para fora do salão, pois inúmeras pessoas queriam bater no Junior que covardemente atingiu uma mãe que estava com seus filhos e esposo na festa CTG. Se ele não tivesse sido levado para fora algo muito pior poderia ter acontecido com ele, pela indignação de alguns membros do CTG que viram tudo.
A mulher atingida foi levada para o hospital na hora, levou 9 pontos no rosto, teve o osso de seu rosto que fica próximo ao olho espatifado pela violência da pancada, e os médicos afirmaram que por questão de milímetros ela não ficou cega de um olho. A policia foi ao hospital e a mulher registrou queixa enquanto estava sendo atendida. A policia já tem a foto de Juninho, deste homem que covardemente agrediu uma mãe na festa do CTG, na frente de seus filhos e seu esposo. Mais de 350 pessoas estavam presentes no evento. Tinha mais de 50 crianças com seus pais se divertindo, comendo, conversando interagindo, vendo apresentações. O CTG de NJ trouxe mais de 50 pessoas para festa, entre elas famílias completas.
‘Junior Lemos covardemente não atingiu só uma mãe, seus filhos e esposo, mais uma instituição inteira e seus membros. O CTG 100 Fronteiras de Boston. Mesmo que foi no último segundo da festa, isso jamais poderia ter acontecido’, disse o Patrão Vitalício Serjão.
Com certeza depois deste incidente o CTG 100 Fronteiras Boston vai continuar, mais forte do que nunca. Todos estão unidos em torno da família que sofreu a agressão covarde do Junior Lemos. Inúmeras mulheres reclamaram deste rapaz na festa. Todas são testemunhas do seu comportamento doentio e perigoso. A polícia de Lowell está atrás do Junior Lemos, quer levá-lo a frente do juiz. A família atingida já entrou com uma ação de indenização financeira, moral e criminal contra o Juninho de Lowell, ele só precisa ser localizado.
O CTG 100 Fronteiras de Boston na voz do seu Patrão Vitalício Serjão disse ao Hello Brasil News;
‘Nossas festas não vão parar de existir, nossas famílias não vão parar de se encontrar, não vamos abandonar nossas tradições, nossa cultura, por causa deste incidente ao qual lamentamos com todas as dores possíveis de se suportar, contudo o CTG é maior que o doente Juninho de Lowell, maior do que eu e de qualquer membro, ele tem raízes que jamais serão arrancadas de dentro da nossa comunidade brasileira local. Vamos em frente, contudo daqui para frente com certeza não vamos ser mais tão fraternais e acolhedores com indivíduos do qual não temos nenhuma referência. Nas nossas festas nos promovemos um encontro fraternal, promovemos a dignidade entre as famílias, o respeito aos nossos compatriotas e amigos, promovemos a união, comemos com fartura, com prazer e com muita abundancia, dançamos a nossa música com orgulho, e fazemos do nosso chimarrão um elo eterno entre amigos e pessoas. Nem tudo pode ser evitado nesta vida, entretanto se tivéssemos forças nos pediríamos a Deus para voltar o tempo para evitar a dor desta família, vamos dar toda a nossa solidariedade à família atingida. Com certeza ela vai se recuperar e o tal Junior Lemos vai ter muita coisa para explicar para o juiz além de bancar todas as despesas morais, sociais e custos hospitalares desta família, testemunhas contra ele é que não vai faltar, caso seja preciso, contudo com certeza só o rosto daquela mãe desfigurado pela sua garrafada será suficiente para incriminá-lo, disto eu não tenho dívidas’.
OBS: Tentamos um contato com Junior Lemos (Juninho) pelo seu numero de telefone celular e não obtivemos resposta. Dados desta matéria foram fornecidos por testemunhas e recorde público policial da cidade de Lowell. 
HBBN – Paulo Monauer
Fotos Divulgação
www.hellobrasilnews.com

No comments:

Post a Comment