Thursday, December 18, 2014

O homem da garrafada!


Paulo Monauer/Boston
Junior Lemos agora usa outro nome Junior Mendes
Junior Lemos ou Junior Mendes ou se tem outro nome nós do Hello desconhecemos, mas ele antes do incidente da garrafada no rosto de uma mulher era Junior Lemos no facebook, agora este nome não existe mais, pois ele trocou de nome no facebook para Junior Mendes o que sobrou para unificar os nomes foi Juninho de Lowell.
·        Contra fatos não há argumentos!
 Vida pessoal de Junior Lemos ou Junior Mendes, vulgo Juninho de Lowell, não diz respeito a ninguém. Sua moral familiar, seu caráter como pai, como filho, como homem no seu trabalho, etc., não esta em jogo. O que esta em jogo é que ele como um homem descontrolado agrediu uma mulher covardemente em uma festa familiar e muito popular na nossa comunidade. As consequências deste seu ato foram nove  pontos e uma fratura no rosto da mulher, que estava na festa com seu esposo, seus filhos parentes e amigos. As festas do CTG sempre foram muito seguras para a família desta mulher uma vez que ela vai em todas as atividades do CTG, ao contrário do Juninho de Lowell que entrou de furão na festa, em uma festa do qual não sabia como se comportar e que tipo de pessoas estavam lá presentes, pensou que era uma balada qualquer e deu no que deu.
·        Como a policia entrou no caso
Primeiro houve uma agressão com consequências que precisam ser averiguadas pela policia. A mulher agredida foi levada por sua família para um hospital nos arredores de Boston. A denuncia foi feita no hospital na grande Boston. Houve uma transferência de investigação desta cidade para Lowell. O detetive que esta cuidando do caso em Lowell é o Tom Hultgreen que tem os seguintes telefones disponíveis 978.674.4501 e 978.674.1853 além do e-mail 7hultgreen@lowell.ma.gov. Neste caso não existe duvida de que houve danos, afinal são nove pontos no rosto e mais fratura no rosto da vitima. Quem decide o futuro dos dois é a corte, é um juiz. Qualquer outra especulação é inapropriada. Uma agressão a uma mulher sempre tem sempre um agravante na corte, principalmente se foi feita por um homem e isso é um fato.
·        Testemunhas
Ambos podem ter, logo elas vão ter que provar que estavam na festa e viram os fatos, o corrido. A mulher declaradamente tem inúmeras famílias que são suas testemunhas, disse famílias, casais. O Junior Mendes ou Junior Lemos disse ter também, mas com certeza por não estar no reduto de amigos, vai ter dificuldades para conseguir provas a seu favor.
·        Advogados
A mulher agredida acompanhada do marido já procurou um advogado, bem renomado na comunidade e vai abrir um processo de indenização contra o Juninho de Lowell, e isso também já é um fato. Juninho por sua vez diz ter um advogado, porém deu uma entrevista para um outro jornal local, se ele tivesse um bom advogado jamais teria dado um entrevista, pois tudo que ele falou pode ser usado contra ele, uma vez que ele é o agressor físico da mulher. Ele esta em cheque. Qualquer advogado diria para ele ficar longe da imprensa, e não foi o que ele fez. Erro primário dele, pois pela nossa experiência na mídia sabemos que não assim que ele resolve o caso, agora e nem depois.
·        Mídias
O Hello falou com o responsável pelas relações publicas do CTG 100 Fronteiras e com a mulher e a família envolvida no caso. Transcrevemos palavra por palavra do que foi dito a nossa redação, sem fantasiar nada. Tentamos um contato com o Juninho de Lowell, Junior Lemos ou Junior Mendes, todos são a mesma pessoa, não conseguimos e publicamos a fonte que deu origem a nossa matéria em nossa última edição, e não temos nada a declarar.
·        Contra fatos não há argumentos!
Uma mulher levou uma garrafada no rosto. A conseqüência disto está no seu rosto, 9 pontos, e isso ninguém consegue apagar, só com uma plástica.O médico que a atendeu disse para ela e seu marido que por um triz ela não ficou cega. A mulher que levou a garrafada e estava no seu reduto familiar com seu esposo, o CTG. Seu marido e sua família são muito conhecidos de todos no CTG e na comunidade.
·        Acusações contra o Hello Brasil Boston News
Quanto ao jornal que nos atacou e a nossa redação, isso não é novidade. Eles são sistemáticos e contumazes em atacar a redação do Hello, quando não atacam a vida pessoal de quem trabalha no Hello, mais parece uma determinação doentia, pessoal e sem fim, deste fraco, velho e abatido concorrente, que não atrapalha em nada o nosso trabalho, porém isso não muda os fatos da mulher agredida e com uma enorme cicatriz no rosto. Uma redação eficiente só existe com profissionais que vivem no meio da comunidade e isso nós temos de sobra.  Respiramos comunidade 24hs por dia. Credibilidade e reputação não se compra, não se impõe, se conquista em qualquer situação, na bonança ou no meio da tempestade. Temos 15 anos no mercado de mídia comunitária, esta não foi a primeira e nem será a última vez que vão nos atacar, logo situações como esta já faz parte do nosso cotidiano. 
HBBN - Paulo Monauer
Foto divulgação

No comments:

Post a Comment