Thursday, May 3, 2012

Com a palavra o dono da BR Courier


Quem é José Moreira?
Empresário bem sucedido no ramo gastronômico, pessoa que sabe o que faz nesta área, jovem, dinâmico, trabalhador e que desfruta de um grande carisma com pessoas humildes e influentes da comunidade brasileira de Newark, NJ. Carisma não imposto, induzido, mas conquistado através de anos. Casado, pai de três filhos pequenos. Sua esposa tem uma loja, seu o irmão também trabalha na área gastronômica e tem também um restaurante de grande sucesso em Newark. No longo da sua vida adquiriu algumas propriedades e nos últimos anos perdeu três delas para os bancos que detinham sua hipoteca. Moreira, se expressa bem, tem uma fala mansa e se mostra muito equilibrado e sabe usar as palavras. No caso BR Courier se diz ser um réu confesso. Não foge da culpa, não se esconde tentando dizer que não tem responsabilidades por a BR Courier estar onde está e promete:
  • ‘Vou lutar até o ultimo momento, com todas as minhas forças, para que todas as pessoas que foram lesadas possam de alguma forma receber ou serem indenizadas pelo que perderam. Sou um homem do povo, trabalhei muito para conseguir alguma coisa aqui nos USA, se eu um dia pudesse antever o que está acontecendo hoje com BR Courier, jamais teria me endividado para comprar esta Cia’.
  • ‘Sou um homem que se alguém me trouxer 300 pessoas para comer eu faço o churrasco, cozinho, arrumo as mesas, sirvo a bebida e comida, fecho a mesa, sirvo cafezinho e sobremesa, é disto que eu entendo isso é que eu sei fazer. Nestes anos que fui dono da BR Courier da para contar nos dedos às vezes que fui ao prédio da Cia. Quando ia lá e ouvia um cliente reclamando ficava depressivo, por isso decidi não ir mais até lá e deleguei a quem se dizia entendido e experiente no ramo de transporte, a administração da BR Courier. Acreditei cegamente nestas pessoas: ‘sou do tempo da confiança, da palavra, na verdade sou do tempo que as palavras das pessoas ainda tinham credito, hoje levei um tombo no caso da BR Courier, estou na lama, minha família, meus filhos, meus parentes estão sendo atingidos violentamente por meus erros na BR Courier, que não verdade não foram meus, mas que caíram totalmente sobre as minhas costas, consequências de eu não ter acompanhado de perto tudo que se passava na BR Courier. Mesmo assim não abandonei meus valores e continuo acreditando nas palavras e nas pessoas, entretanto não mais com tanta ingenuidade como tive na BR Courier.
  • ‘Não peço que perdoem, por que na verdade muita gente perdeu muito com BR Courier, contudo graças ao bom pai, tem muita gente que pode recuperar suas caixas e não foram poucas pessoas não, eu sei que ainda tem muitas pessoas desesperadas atrás dos seus volumes. Mas gostaria de esclarecer que nunca peguei um centavo da BR Courier, me deram uma bomba atômica pronta para explodir em minhas mãos, não tive escolha, ela já veio com o pavio acesso e eu sem chance de impedir esta explosão. Sou o capitão da BR Courier e com certeza vou afundar com o barco e vou ser o último a sair e apagar a luz, mas primeiro estou tentado salvar a minha dignidade de imigrante, de homem e de chefe de família, devolvendo tudo que tenho em minhas mãos de qualquer cliente. Quanto ao dinheiro o faturamento da empresa eu não seio o que fizeram com ele, mas não esta comigo, e isso e fácil de provar e eu vou provar. Entreguei toda a contabilidade da empresa para os auditores do estado de NJ, pedi a falência da BR Courier, e se alguém desviou dinheiro da BR Courier a justiça vai cuidar destas pessoas, tenho esta promessa do juiz que esta cuidando do caso. Não tenho medo de enfrentar um juiz pelo que esta acontecendo com BR Courier estou mostrando através dos meus atos que nunca agi com intenções premeditadas, não sou um aproveitador e jamais teria coragem tirar vantagem da minha comunidade, de gente sofrida, não preciso disto, somos todos da mesma origem. Tentei dar um ‘plus' financeiro ao que eu já tinha de bens em minha vida de trabalho ao adquirir a BR Courier, influenciado por ‘amigos’ e que ganhei foi; perda de patrimônio, dor de cabeça, ameaças diárias, ofensas, e estou vendo a minha reputação conquistada há anos a fio ser atirada na sarjeta’. Definitivamente não valeu a pena.
  • Neste processo de finalização da BR Courier, ainda tive muitos contratempos com informações frias, desencontradas que foram enviadas por e-mail e até agora estou procurando a origem delas, não compactuo com elas, falo no que diz respeito ao atendimento ao cliente, mas tenho certeza que tudo isso vai ser esclarecido aos olhos da justiça americana que não é complacente com quem tem alguma culpa, e todos que tem culpa no caso da BR Courier devem pagar, inclusive eu.
  • Está semana vai ser decretada a falência da BR Courier, e a partir daí quem cuida do caso é a justiça, o juiz que decretar a falência, assume de uma forma organizada devolução de caixas e a liquidação de qualquer divida da BR Courier.
  • Para finalizar faço um pedido, por favor, deixem meus filhos que tem idade entre 7 e 14 anos fora disto, minha esposa, meus irmãos, meus parentes, eles não tem culpa de nada do que esta acontecendo, se alguém errou aqui não foi eles e sim eu. É totalmente compreensível para quem esta sofrendo com alguma perda atirar pedras em mim, mas é totalmente incompressível fazer isso com pessoas inocentes da minha família e com meus funcionários no restaurante, eles precisam trabalhar e pagar suas contas e sustentar suas famílias como todo mundo. Se por ventura alguém quiser ofender eles não o façam, eu sou o alvo de vocês, não eles. Nunca se esqueçam de que só quem quebra é quem tem uma empresa, é quem arrisca quem é ousado, quem tenta acertar, e isso e é uma coisa passiva de acontecer a qualquer um inclusive com você’.
  • Paulo Monauer – Edição 48 - 01/05/2012 – Página 2
  • Foto Paulo Monauer
  • Contato: pmonauer@hellobrazilnews.com
  • www.hellobrazilnews.com
  • www.pmonauer.com
  • Siga-nos no facebook – Hello Brazil News


No comments:

Post a Comment